Neto se despede do futebol 'feliz com vitórias e derrotas que fizeram amadurecer'

O zagueiro Neto deu, na manhã desta terça-feira, sua última entrevista como jogador de futebol e da Chapecoense. O defensor anunciou de forma oficial sua aposentadoria dos gramados, onde não pisa, por uma partida oficial, desde 2016, quando ocorreu o trágico acidente com o avião da Lamia que transportava a delegação do time catarinense para a final da Copa Sul-Americana. O agora ex-atleta emocionou a todos presentes na Arena Condá.

"Hoje venho, oficialmente, declarar a minha aposentadoria. O encerramento da minha carreira foi devido às lesões. Não foi algo planejado por mim encerrar, mas os médicos optaram pra que eu parasse de jogar. Sinceramente é uma vida nova. Tudo diferente. Feliz pela carreira que Deus me deu, por tudo que ele programou na minha vida. As vitórias que eu me alegrei, as derrotas que me fizeram amadurecer. Todas as derrotas que eu tive foram muito bem tramadas, porque foram elas que me impulsionaram pra que eu pudesse ter uma carreira sólida", afirmou o defensor.

Neto também falou sobre o que vai fazer no futuro. O jogador deve dar um tempo no futebol e considerou a possibilidade de ser pastor. "Tenho um dom que Deus me deu. Tive experiência com Deus fantástica. Ele me deu sabedoria incrível para levar a sabedoria de forma suave. Minha religião é Jesus. Algo que tem que ser amadurecido. Tudo que é feito com excelência necessita de tempo. Se eu vir a ser pastor, preciso me aprofundar, mesma coisa se eu opte por ser dirigente. Levar a salvação por meio de Jesus, pregando o que está dentro de mim. Falam que a tragédia potencializou isso, mas todos sabiam que eu pregava, já era algo dentro de mim", falou Neto, que também comentou sobre seus sonhos.

"Já realizei todos os meus sonhos. Faltou apenas realizar um do meu pai. Ele tinha o sonho de me ver com a camisa do Flamengo. Minha família é quase toda flamenguista, mas o sonho dele era me ver como profissional. Eu até ultrapassei o limite dos meus sonhos. Eu não tive categorias de base. Tive que trabalhar muito para chegar em uma Série A de Campeonato Brasileiro e marcar território, revelou o atleta.

Neto também falou sobre o começo de carreira. "Guarani foi meu início em um grande clube. Depois fui para o Santos jogar com Neymar e pisar na Vila Belmiro, onde Pelé jogou. Foi mais do que um sonho realizado, pois com 17 anos estava jogando pelada de rua. Jogar no mesmo estádio do Pelé era algo absurdo. Depois vim na Chapecoense, que era um clube pequeno, todos falavam que ia cair. Mas pudemos fazer uma história bacana. Consegui ajudar o clube a chegar no ponto mais alto de sua história", concluiu.

Neto ainda falou sobre a viagem a Londres, onde fez um protesto pacífico, ao lado das famílias que perderam parentes na tragédia da Chapecoense. A seguradora Tokio Marine Kiln não tem arcado com as indenizações. "Pra mim é um privilégio (acompanhar as famílias). Fui para Londres com as famílias. Muitas viúvas não tiveram seus maridos de volta. Estou com elas. Estou com a Chapecoense. Fomos para fazer manifestação. Essa luta é para tudo ser normalizado. Para quem errou, arque com eles, seja parte financeira ou criminal. Vou até o final. Não fiquei vivo para brincar, ser feliz e dar risada. Deus me colocou aqui para que Justiça seja feita e para que eu fizesse parte desse processo", finalizou.

MAIS DE NETO - Neto foi um dos seis sobreviventes do voo da LaMia, mas ficou conhecido por grandes atuações dentro de campo. Depois de passagens pelo futebol de base do Paraná e do Vasco, o defensor iniciou a sua trajetória como atleta profissional em 2006, no Francisco Beltrão.

Na sequência, teve passagens por Cianorte, Guarani e Metropolitano. Em 2013, recebeu a oportunidade de defender a camisa do Santos, onde atuou em 40 jogos e, por fim, em 2015 acertou com a Chapecoense.

Pelo clube alviverde, Neto entrou em campo em 52 oportunidades e balançou as redes quatro vezes. Numa das mais emblemáticas, o defensor de quase dois metros de altura acertou uma linda bicicleta. Depois de uma cobrança de falta de Camilo, o camisa 4 mandou com categoria para o fundo das redes.

Os outros foram marcados contra o Palmeiras - na goleada de 5 a 1 aplicada pela Chapecoense - contra o Santos - seu antigo clube - e contra o Brusque, no Campeonato Catarinense de 2016. Neto conquistou o Campeonato Catarinense de 2016 e levou a equipe à grande final da Sul-Americana do mesmo ano, com o time sendo declarado campeão.

Após o trágico acidente e as inúmeras cirurgias no joelho, o zagueiro voltou a treinar com bola e com o elenco em março deste e alegrou a todos com iminente possibilidade de retornar aos gramados. As dores, no entanto, também eram companheiras constantes. E foi então que o atleta - em conjunto com os médicos do clube - optou por comunicar a aposentadoria.