Futebol Jogadores do PSG são proibidos de beber refrigerante de patrocinadora, diz jornal

Jogadores do PSG são proibidos de beber refrigerante de patrocinadora, diz jornal

Com a medida, nutricionista busca mudanças alimentares dos atletas para que aumentem desempenho em campo

Agência Estado - Esportes
A parceria com a Coca-Cola foi renovada pelo clube francês no ano passado até 2024

A parceria com a Coca-Cola foi renovada pelo clube francês no ano passado até 2024

Divulgação/PSG

A nova diretoria do Paris Saint-Germain está focada em fazer o clube alcançar voos maiores nesta temporada, e nem mesmo o aspecto alimentar passou despercebido no "choque de ordem" promovido no vestiário do time parisiense. Agora, os jogadores estão totalmente proibidos de ingerir Coca-Cola durante as refeições da equipe.

Segundo o jornal Le Parisien, a equipe principal do PSG não dispunha de um nutricionista em tempo integral, mas apenas um responsável por todas as categorias do clube. O desejo de contar com um profissional para trabalhar somente com o time liderado por Neymar, Messi e Mbappé partiu de Luis Campos, o novo diretor de futebol do clube.

"A primeira decisão da nova nutricionista foi tirar a Coca-Cola e o Ice Tea das refeições, duas bebidas pouco compatíveis com o esporte de alto nível", escreveu o diário francês. "A explicação, no entanto, é óbvia: há 22 anos, a Coca-Cola é parceira oficial do PSG e o contrato foi renovado no ano passado até 2024."

Apesar de a Coca-Cola se manter parceira do PSG e estar constantemente envolvida na promoção de eventos esportivos, as bebidas açucaradas são encaradas como vilões quando o assunto é alimentação. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é altamente recomendável que o consumo de açúcares não ultrapasse 10% do valor total da dieta de adultos e crianças.

Outra mudança feita por Campos, que assumiu o cargo do brasileiro Leonardo, no que diz respeito ao time principal está na privacidade dos jogadores. O chefe do departamento de futebol proibiu funcionários do clube que não fazem parte dos setores ligados ao esporte de ter livre acesso aos vestiários, tanto no Parque dos Príncipes quanto no centro de treinamento do clube.

Recentemente, Neymar e Mbappé entraram em rota de colisão depois de não terem entrado em acordo sobre quem bateria um dos pênaltis sofridos pelo PSG na vitória por 5 a 2 sobre o Montpellier, na segunda rodada do Campeonato Francês. Após desperdiçar uma cobrança, o atacante da seleção francesa tentou tirar a bola da mão do brasileiro, que se negou a ceder a chance e converteu a cobrança. Diferentemente de outras novelas, a diretoria fez questão de botar panos quentes no caso e resolver a rusga internamente.

Tom Brady se torna o atleta mais bem pago da NFL; confira os maiores salários

Últimas