Futebol Flamenguista que assediou repórter é denunciado por crime de importunação sexual

Flamenguista que assediou repórter é denunciado por crime de importunação sexual

Marcelo Benevides beijou sem consentimento a repórter Jéssica Dias antes do jogo do Fla contra o Vélez, pela Libertadores

Agência Estado - Esportes

Nesta quinta-feira (23), o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou o torcedor flamenguista Marcelo Benevides Silva por importunação sexual — artigo 215-A do Código Penal. Ele beijou sem consentimento a jornalista Jéssica Dias, da ESPN, durante uma reportagem antes do jogo da equipe carioca diante do Vélez Sarsfield, no Maracanã, pela Copa Libertadores.

Jéssica Dias foi surpreendida durante a transmissão no entorno do estádio e ainda relatou que o flamenguista a acariciou sem sua anuência. Marcelo Benevides pode ser condenado entre um a cinco anos de reclusão.

Torcedor do Flamengo que assediou jornalista é denunciado por crime de importunação sexual

Torcedor do Flamengo que assediou jornalista é denunciado por crime de importunação sexual

Reprodução/Twitter

A denúncia oferecida pela promotora de Justiça Glícia Pessanha Carvalho Viana, integrante do GTT-Desporto, relata que "a jornalista se preparava para entrar em uma transmissão para televisão, quando Marcelo Benevides começou a gritar e proferir xingamentos, sendo solicitado pela vítima a se acalmar".

A promotora seguiu com a denúncia, em que relata o comportamento inadequado de Benevides. "O denunciado, então, se aproximou dela, pediu desculpas, colocou a mão em seu ombro, deslizando-a até o braço, e deu um beijo no ombro da vítima, que se esquivou. Em seguida, ela iniciou uma reportagem ao vivo e, enquanto falava com a apresentadora do programa, o denunciado voltou a beijá-la, agora em seu rosto, contra a sua vontade."

O torcedor ainda tentou fugir do local, mas acabou detido por dois profissionais da ESPN que auxiliavam a repórter na cobertura. Ele foi detido e encaminhado ao presídio de Benfica, onde passou uma noite. Mas acabou liberado após pagamento de fiança.

O juiz Marcello Rubioli, da 1ª Vara Criminal Especializada em Organização Criminosa, Juizado do Torcedor e Grandes Eventos do Rio, considerou, na época, que não havia prova do risco que o agente representa à ordem pública, à ordem econômica, à instrução criminal ou à aplicação da lei penal. Agora, Benevides terá seu crime de importunação sexual julgado e terá de se explicar à Justiça.

Camisa em homenagem ao Japão é mais uma a dividir opiniões no Corinthians; relembre outras

Últimas