Futebol Ex-lateral Júnior acredita que o estilo do Chelsea favorece o Verdão

Ex-lateral Júnior acredita que o estilo do Chelsea favorece o Verdão

Ao R7, pentacampeão lembrou da derrota para o Manchester no Mundial de 1999 e apontou Veiga como destaque no time de Abel

  • Futebol | Do Live Futebol BR

Rony, Dudu e Raphael Veiga comemoram a classificação diante do Al-Ahly no Mundial

Rony, Dudu e Raphael Veiga comemoram a classificação diante do Al-Ahly no Mundial

FABIO MENOTTI/SITE OFICIAL DO PALMEIRAS

Há 23 anos, o Palmeiras decidia o Mundial de Clubes contra um time inglês. Em 1999, o Manchester United acabaria vencendo a final disputada em Tóquio, no Japão, por 1 a 0. O gol marcado por Roy Keane veio depois de uma falha do goleiro Marcos, um dos destaques daquele time comandado por Luiz Felipe Scolari que, só na defesa, contava ainda com nomes como Arce, Júnior Baiano, Roque Júnior e Júnior.

O ex-lateral esquerdo conversou com a reportagem do R7 e comentou sobre a expectativa para a final deste sábado (12), quando o Palmeiras volta a encarar um inglês. Para Júnior, o Chelsea tem um estilo de jogo que pode contribuir com o técnico Abel Ferreira.

"Uma vitória sobre um grande europeu, engrandece ainda mais uma conquista desse porte", afirmou o pentacampeão com a seleção.

Do time derrotado em 1999, outros três jogadores fizeram parte da conquista da Copa do Mundo de 2002, a última do Brasil: o goleiro Marcos, o zagueiro Roque Júnior e o técnico Felipão.

"Acho os elencos (do Palmeiras de 1999 e 2022) muito parecidos. Inclusive os técnicos, que são muito exigentes dentro das quatro linhas e estudados. Tínhamos na época o meia Alex, como nosso mentor e, hoje, temos o Raphael Veiga", comparou Júnior.

O Mundial de 1999

Júnior conta que Felipão havia apresentado o Manchester United com vídeos, com destaque para as jogadas dos meias David Beckham e Ryan Giggs. Ele conta que havia uma estratégia para evitar que a bola chegasse no pé de um deles. "Sentimento era de que íamos enfrentar um time de galácticos", confessou o ex-jogador.

No entanto, o lance do gol começa justamente com Beckham e termina com a assistência de Giggs para Roy Keane concluir após a falha Marcos no cruzamento.

Em 2014, a equipe inglesa relembrou a vitória sobre os brasileiros no Japão, comemorando os 15 anos da taça internacional em suas redes sociais.

Questionado se algum jogador do time que disputa a final do Mundial de 2022, contra o Chelsea, jogaria em 1999, o ex-lateral elegeu seu preferido.

“Acho os dois elencos excelentes. Mas gostaria de ver o Raphael Veiga naquela equipe. Não sei se como titular, mas fazendo parte dos inscritos, sem dúvida."

Felipão e Abel

Ex-lateral Júnior em partida comemorativa no Allianz Parque

Ex-lateral Júnior em partida comemorativa no Allianz Parque

CESAR GRECO/SITE OFICIAL DO PALMEIRAS

Dois dos treinadores mais vitoriosos no clube, Scolari e Abel Ferreira já estão na história do Palmeiras, mas o ex-jogador fez questão de ressaltar a postura do português.

"Ele (Abel) é louvável por saber exaltar o processo realizado antes dele no local. O português sabe da importância do Felipão tanto no clube (Palmeiras) quanto lá em Portugal. Infelizmente, no Brasil, os treinadores não conseguem elogiar o trabalho que ele acabou de assumir no lugar de outro profissional."

Além de vencer a Copa do Mundo de 2002 com o Brasil, Felipão dirigiu a seleção portuguesa no vice-campeonato europeu de seleções, em casa, contra Grécia em 2004. Além disso, deixou os lusitanos na quarta colocação da Copa de 2006.

Carreira de títulos

O ex-lateral palmeirense chegou ao clube em 1996, vindo do Vitória, da Bahia, para a suprir a ausência de Roberto Carlos, que havia sido vendido para a Inter de Milão (Itália). Posteriormente, os dois acabaram sendo companheiros de seleção brasileira. Pelo Alviverde, Júnior ganhou um Paulistão (1996), uma Copa Mercosul (1998), uma Copa do Brasil (1998), uma Libertadores (1999) e um Rio-São Paulo (2000).

Ele fez 337 jogos pelo Palmeiras com 184 vitórias, sendo a primeira delas na sua estreia contra o Grêmio, no antigo Palestra Itália, por 2 a 1. Seu primeiro e último gol com a camisa palmeirense foram nos dérbis contra o maior rival, o Corinthians.

Chelsea ou Palmeiras?

"A equipe do Chelsea é um time muito forte. Assim como o Palmeiras. Eu daria 50% de chance para cada um deles. Não acho (vexame) se não vencer os ingleses. Afinal, eles ganharam do time treinado por Pep Guardiola", ressaltou lembrando do duelo final da Champions League contra o Manchester City, que acabou 1 a 0 para os londrinos.

"Todos precisam estar alinhados na final. Se tiver assim, peças podem se sobressair. Pensando individualmente, Dudu e Raphael Veiga têm essa capacidade de decidir e levar a taça para o Palmeiras", comentou Júnior que arriscou um palpite para o duelo deste sábado: 1 a 0 para o Palmeiras no tempo normal.

Mundial: saiba onde estavam há 10 anos os titulares do Palmeiras

Últimas