Campeonato Paulista Destaque do Guarani, Lucão do Break leva a paixão pelo hip-hop para dentro de campo

Destaque do Guarani, Lucão do Break leva a paixão pelo hip-hop para dentro de campo

Atacante do Bugre é um dos protagonistas do time campineiro neste Paulistão e une música e futebol nas comemorações de gol

Lucão do Break fala sobre apelido, hip-hop e o momento do Bugre no Paulistão

Lucão do Break fala sobre apelido, hip-hop e o momento do Bugre no Paulistão

Thomaz Marostegan/ Guarani FC

O Guarani é uma das surpresas da atual edição do Campeonato Paulista 2022. Com um futebol propositivo e uma mescla de veteranos e jovens, o Bugre é o atual terceiro colocado do Grupo A da competição, com 7 pontos, mesma pontuação do Água Santa, que ocupa o segundo lugar. E se a equipe campineira mantém vivo o sonho de chegar às fases finais, muito disso se deve a um personagem que une o futebol e a música: Lucão do Break.

A equipe de Campinas enfrenta o Ituano, fora de casa, nesta quarta-feira (16), pela 7ª rodada do Paulistão 2022.

Desde a infância, lá em Planaltina, no Distrito Federal, Lucão leva o esporte e a dança como suas paixões de vida. “Minha infância foi muito humilde, mas foi raiz. Passava o dia jogando bola, nem lembro quantas vezes estourei a tampa do dedão. E aí quando acabava o dia, a gente ia fazer o break. Eu e todos meus amigos”, relembrou o jogador em entrevista ao R7.

Na caixa de som, a trilha sonora era dominada por grupos de hip-hop de Brasília. Os preferidos de Lucão na época, são quase os mesmos dos dias atuais: Tribo da Periferia e Guind'art 121, donos de sons de sucesso como Imprevisível, Alma de Pipa, Insônia, Bom Malandro e Deus É Nosso Pai.

“Esses eram disparados meus favoritos. Na época eram umas quatro ou cinco bandas que cada uma estourou com uma música. E a gente sempre ouvia elas porque eram as que tocavam no rádio. Hoje em dia eu acabo ouvindo as mesmas. Minha esposa fica doida em casa, só ouço essas. Boto no carro e ela fica bolada”, comentou o centroavante.

Como Lucão virou Do Break

O amor pela dança seguiu com Lucão durante toda sua trajetória. Em campo, sempre que faz um gol, o jogador comemora com o break. Mas, foi só em 2020 que a paixão pelo hip-hop se traduziu no nome nas costas.

“Naquele ano eu joguei com o Lucão, o zagueiro ex-São Paulo, lá no Goiás. Ficou essa confusão de nome, mas eu falava que eu era o Lucão verdadeiro, sou mais velho, né. Mas, aí eu falei que podiam me chamar de Lucão do Break, que a rapaziada sempre me chamou e eu gosto. Gosto de passar essa imagem, é um modo de representar um pouco da minha infância”, contou Lucão.

Jogando como time grande

undefined

Nessa edição do Paulistão, Lucão tem apenas um gol marcado, mas que golaço. Foi contra o São Paulo, lá na primeira rodada. O camisa 11 soltou uma bomba de fora da área que encobriu o goleiro Tiago Volpi e entrou no ângulo, garantindo a vitória do Guarani. De quebra, o centroavante ainda levou o prêmio de melhor jogador da partida.

“A gente é um time grande, o maior do interior, e jogamos como time grande joga, para ganhar. A gente trabalha para isso, fazer bons jogos, surpreender, poder dar felicidade pro nosso torcedor, crescer nas nossas carreiras. A gente joga propondo o jogo, não se defendendo, e isso chama atenção. Valoriza o futebol do time, dos atletas que estão ali envolvidos”

Lucão do Break, destaque do Guarani

“Estou feliz pelo momento, tendo um início de ano maravilhoso, fazendo boas atuações e vamos conseguir grandes coisas. Ganhar jogos e ganhar bem, performar. É um ano muito especial que a gente pode tá trazendo muita alegria pras nossas vidas pessoais e pra nossa torcida”, projetou o jogador.

O sonho das quartas de final

Parte fundamental da postura de "time grande" citada por Lucão é não só jogar para se defender, mas sim propor o jogo, "brigar de igual pra igual com qualquer um". O objetivo é o mata-mata, e o atleta do Guarani mostra-se confiante no futebol da equipe para alcançar as metas traçadas para este Paulistão. 

"A gente tem totais condições de se classificar e ir para o mata-mata. E a gente vai não para cumprir tabela, mas pra brigar de igual pra igual com qualquer um. O grupo é bom, a gente está começando a ganhar corpo, entrosamento. Se Deus quiser vamos para grandes coisas. Objetivo é chegar mesmo nas finais e apresentando um bom futebol", completou Lucão do Break. 

Para chegar lá, porém, Lucão e o Guarani ainda tem seis rodadas pela frente. E a próxima é já nesta quarta-feira (16), às 19h, contra o Ituano, em Itu. O Bugre vem de vitória por 2 a 1 contra o Novorizontino e espera mais um resultado favorável para embalar de vez no Paulistão. 

Relembre os principais artilheiros das últimas temporadas do Paulistão

Últimas