Campeonato Paulista Desfalcado na fase final do Paulistão, Abel critica calendário

Desfalcado na fase final do Paulistão, Abel critica calendário

Técnico do Palmeiras ironizou quem o chama de retranqueiro. Português falou sobre o dérbi e do compatriota Vítor Pereira

Abel Ferreira (ao fundo) comanda o Palmeiras contra o Santos em mais um clássico

Abel Ferreira (ao fundo) comanda o Palmeiras contra o Santos em mais um clássico

CESAR GRECO/SITE OFICIAL DO PALMEIRAS

Após mais uma vitória do Palmeiras em sua "maratona de clássicos", desta vez diante do Santos, por 1 a 0, no Allianz Parque, o técnico Abel Ferreira criticou o calendário brasileiro por conta de desfalques durante o mata-mata do Paulistão.

"Fui muito claro em relação a isso (desfalques causados pelas convocações). Estou sempre batendo na mesma tecla. Eu, se fosse presidente de um clube, ia ficar muito bravo, porque pago salário de um jogador e fico sem ele. Vamos ficar sem Weverton, Kuscevic, Gómez, Piquerez, o Veiga esteve pré-convocado (pelo Brasil). Como eu disse ano passado, somos muito competitivos quanto estamos todos juntos", desabafou o português.

Já projetando o duelo contra o Corinthians, Abel afirmou conhecer seu compatriota, Vítor Pereira.

"É um treinador que eu conheço, tem um currículo impressionante. Tem jogadores internacionais a seu dispor, jogadores que atuaram em equipes como Barcelona e Chelsea. Vamos continuar a jogar da nossa forma, sabemos que será um grande dérbi. Espero que ele seja disputado dentro das quatro linhas. Que nossos torcedores respeitem o adversário e nos ajudem a ganhar dentro de campo. Que seja uma grande disputa, um grande jogo, mas dentro de campo. Fora, vamos respeitar nosso adversário", completou.

Retranqueiro?

Perguntado sobre as chances criadas pelo Verdão contra o Santos que não foram aproveitadas, Abel ironizou sobre sua equipe ser retranqueira.

"Essa equipe é um bocadinho retranqueira. Jogamos atrás, não criamos oportunidades de gol. Essa equipe não ganha, não bate recordes. É um gosto treinar esses jogadores. Essa equipe tem muita alma, sabe o que faz. Eu troco jogadores, centrais, goleiro, centroavante, pontas, e ela mantém um padrão", concluiu o técnico.

Últimas