Logo R7.com
Logo do PlayPlus
BRASILEIRO 2022
Publicidade

Após crise no estadual, Botafogo chega ao meio do ano como um dos melhores times do Brasil

Eliminação no Campeonato Carioca fez Luis Castro balançar, mas o Glorioso se recuperou e é o líder do Brasileirão

Futebol|Do Live Futebol BR

O Botafogo encerra o primeiro semestre de 2023 com dois momentos bastante distintos na temporada. Em seis meses, o clube de General Severiano foi de um princípio de crise, que poderia ter mudado o rumo do projeto, ao patamar de um dos melhores times do Brasil.

 Compartilhe esta notícia no WhatsApp

 Compartilhe esta notícia no Telegram

O início de temporada do Botafogo foi longe do ideal. Após voltar para a Série A do Brasileirão e se manter tranquilamente em 2022, esperava-se um passo à frente em 2023, mas ele não veio no Campeonato Carioca. O Alvinegro perdeu pontos para Audax e Portuguesa, ficou fora das semifinais e precisou vencer a Taça Rio para garantir vaga na Copa do Brasil de 2024.

Publicidade

Leia também

A campanha no Cariocão colocou grande pressão sobre o SAF e sobre John Textor e fez Luis Castro balançar no cargo. No entanto, a diretoria deu um voto de confiança ao técnico português e a decisão se provou a melhor possível já que, no Brasileirão, o clube deu a volta por cima.

Entre 15 de março e 11 de maio, o Botafogo emendou uma sequência de 15 jogos sem perder, uma das maiores invencibilidades do clube no século 21. Após dez rodadas, o Glorioso é o líder do Campeonato Brasileiro com 24 pontos, dois a menos que o vice-líder e atual campeão Palmeiras. Além disso, está classificado para a fase final da Copa Sul-Americana com antecedência.

Publicidade

O único percalço desde então foi a eliminação, nas oitavas de final, da Copa do Brasil. O Botafogo chegou a abrir 2 a 0 para o Athletico-PR em plena Arena da Baixada, mas sofreu a virada e foi eliminado nos pênaltis após vencer por 1 a 0 na volta.

Ao todo, em 36 jogos na temporada, o Botafogo venceu 23, empatou seis e perdeu sete para um aproveitamento de 69,4% somadas todas as competições. A defesa tem sido a estrela do ano, com 26 gols sofridos, média de 0,72 por jogo. O ataque, comandado pelo artilheiro Tiquinho Soares, também não deixa a desejar, com 65 bolas na rede, média de 1,81 por partida.

E aí, quem vem? Veja a situação de cada um dos cotados a assumir a seleção brasileira

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.