Adeus ao Rei do Futebol

Pelé, o Rei que mudou o mundo do futebol

Seguramente, ele foi o responsável pelo fato de o esporte ser tão difundido e jogado no mundo inteiro

  • Lucas Pereira | Do R7

Reprodução/Instagram

Vim ao mundo em 1972. Nessa época, Pelé já era o maior de todos os tempos. O tricampeonato mundial, no México, tinha acontecido dois anos antes, diante da Itália.

Mas, como qualquer criança que nasce e se desenvolve na década de 70, eu não me cansava de ver e rever os gols que o Rei tinha marcado. Cresci admirando sua genialidade, seu talento. Confesso que até gostava mais daqueles lances em que o gol não saía. De um jeito ou de outro, fazia o exercício de imaginar como teria sido se a bola entrasse.

Foi ao ver a mágica de Pelé em campo que eu me apaixonei pelo futebol. Acho que ele foi o responsável pelo fato de o esporte ser tão difundido e jogado no mundo inteiro. Essa paixão que o futebol desperta se deve muito ao que ele proporcionou, encantando dentro de campo.

Não tive a sorte de encontrá-lo nem conhecê-lo pessoalmente. Queria muito ter entrado pro hall daqueles que já foram clicados ao lado dele. Um ídolo. Uma lenda. Provavelmente o brasileiro mais conhecido da história e que para sempre será lembrado. São raríssimas as pessoas, em qualquer canto do planeta, que não tenham pelo menos ouvido falar nele.

Pra mim, Edson Arantes do Nascimento sempre será o maior jogador de futebol de todos os tempos. Um atleta muito à frente dos demais nos anos em que desfilou em campo. Um homem que pode ter nos deixado fisicamente, mas cujo legado é eterno.

Descanse em paz, Rei. Nós, enquanto jornalistas esportivos, vamos sempre fazer questão de mostrar como você mudou o mundo do futebol.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas