Cosme Rímoli Vinicius Junior se cansou do 'Campeonato Espanhol dos racistas'. Pela omissão do Real e da Liga Espanhola, pensa em ir embora

Vinicius Junior se cansou do 'Campeonato Espanhol dos racistas'. Pela omissão do Real e da Liga Espanhola, pensa em ir embora

O atacante, pela sexta vez só neste Espanhol, ouviu uma torcida adversária xingá-lo de 'macaco'. E ainda acabou expulso. Diante da omissão da Federação Espanhola e do Real, ele pensa em 'jogar longe' dos racistas

  • Cosme Rímoli | Do R7

Vinícius Júnior: 'O Campeonato Espanhol não é de Messi, de Cristiano Ronaldo. É dos racistas!'

Vinícius Júnior: 'O Campeonato Espanhol não é de Messi, de Cristiano Ronaldo. É dos racistas!'

Pablo Morano/Reuters - 21.05.2023

São Paulo, Brasil

"Macaco, macaco, macaco."

Essa foi a arma suja, racista, nojenta que as torcidas de Barcelona, Betis, Osasuna, Mallorca, Valladollid e Valença decidiram usar contra Vinícius Júnior.

Milhares de torcedores compararam o brasileiro a um símio por ter a pele negra.

Com a complacência inacreditável da liga espanhola.

E também do Real Madrid.

Porque bastaria Florentino Pérez, o presidente do mais importante clube do mundo, autorizar sua equipe a deixar o campo no primeiro coro racista contra seu melhor jogador, e a situação estaria resolvida.

Mas Pérez é ligado umbilicalmente com o presidente da liga, Javier Tebas Medrano. Sabe quanto é importante ter o apoio de Medrano em várias questões. Principalmente as ligadas a dinheiro, envolvendo transmissão, publicidade, amistosos, negociações.

Então, o resultado é o brasileiro exposto a atos absurdos racistas, que teriam paralisado qualquer campeonato sério no mundo.

E por que Vinícius Jr. foi o escolhido para ter um boneco o representando enforcado embaixo de uma ponte? Lembrando o que acontecia com os negros no auge do grupo racista Ku Klux Klan?

Por que ele tem de ouvir das torcidas adversárias o coro de "macaco puto" antes mesmo de a delegação do Real Madrid entrar nos estádios?

Um jovem de 22 anos ter de acompanhar torcedores imitando macacos cada vez que fica perto da linha de fundo?

São vários motivos. O principal é que Vinícius Jr. é o mais talentoso driblador e o jogador mais perigoso do clube mais forte da Espanha. O segundo é que os torcedores descobriram que a liga e o Real Madrid não dão a menor retaguarda ao brasileiro. E que eles podem ficar à vontade usando a ofensa mais abjeta. A racista.

Carlo Ancelotti e os companheiros de time tentaram ao máximo insistir que a melhor resposta de Vinícius Jr. é continuar a jogar seu melhor futebol. 

Só que os atletas adversários, inferiores tecnicamente, perceberam o óbvio abalo psicológico do brasileiro. Justo o atleta capaz de provocar a derrota, que pode custar o rebaixamento, a classificação ou não para a Champions, a Liga Europa ou até o título espanhol.

Daí começaram a se aproveitar dos nervos à flor da pele de Vinícius e passaram a provocá-lo com faltas, xingamentos. Como ontem. Quando o jogador ia apontar os racistas infiltrados na torcida do Valencia, os atletas do time da casa não aceitaram. E passaram a empurrá-lo, xingá-lo, deixá-lo mais nervoso. Não por acaso. Uma situação previsível e combinada com antecedência. E que acabou com o pior dos resultados.

O atleta, humilhado por racistas, sendo expulso pelo árbitro Ricardo de Burgos Bengoetxea por ter empurrado o rosto de Hugo Duro, que o havia agarrado.

Vinícius Jr. estava completamente desequilibrado emocionalmente.

Tudo isso acontece por conta da omissão da Liga Espanhola, que acoberta os racistas, ao não punir os clubes. 

A solução é a interdição de setores dos estádios onde ficam as organizadas, geralmente as responsáveis pelos cantos racistas.

Simples assim.

Boneco com a camisa de Vini Jr. 'enforcado' em uma ponte de Madri. Revoltante

Boneco com a camisa de Vini Jr. 'enforcado' em uma ponte de Madri. Revoltante

Reprodução/Twitter

A Uefa já interditou arenas de Hungria, Bélgica, Sérvia. E também Lazio, Zenit, Chikhura Sachkhere, da Geórgia, Debreceni Vasutas Sport Club, da Hungria, Steaua Bucarest, da Romênia, e Maribor, da Eslovênia.

O próprio Real Madrid teve parte do seu estádio interditado por racismo em 2014.

Diante da omissão cúmplice da liga espanhola, Vinícius Jr. ameaça ir embora, deixar o Real Madrid. Consagrar a vitória dos racistas.

Seu desabafo avisa que não suporta mais.

"Não foi a primeira vez, nem a segunda, nem a terceira. O racismo é o normal na LaLiga. A competição acha normal, a Federação também, e os adversários incentivam. Lamento muito. O campeonato que já foi de Ronaldinho, Ronaldo, Cristiano e Messi hoje é dos racistas. Uma nação linda, que me acolheu e que amo, mas que aceitou exportar a imagem para o mundo de um país racista. Lamento pelos espanhóis que não concordam, mas hoje, no Brasil, a Espanha é conhecida como um país de racistas. E, infelizmente, por tudo o que acontece a cada semana, não tenho como defender. Eu concordo. Mas eu sou forte e vou até o fim contra os racistas. Mesmo que longe daqui."

A resposta do presidente da Liga veio rápida.

"Já que aqueles que deveriam não explicam a você o que a LaLiga pode fazer nos casos de racismo, tentamos nós explicar, mas você não se apresentou em nenhuma das datas acordadas que você mesmo solicitou. Antes de criticar e injuriar a LaLiga, é necessário se informar adequadamente, Vini Jr.

"Não se deixe manipular, e tenha certeza de entender bem as competências de cada um e o trabalho que estamos fazendo juntos."

O brasileiro retrucou à altura.

"Mais uma vez, em vez de criticar racistas, o presidente da LaLiga aparece nas redes sociais para me atacar.

"Por mais que você fale e finja não ler, a imagem do seu campeonato está abalada.

"Veja as respostas do seus posts e tenha uma surpresa...

"Omitir-se só faz com que você se iguale a racistas.

"Não sou seu amigo para conversar sobre racismo.

"Quero ações e punições.

"Hashtag não me comove."

Vinícius Jr. mostra torcedores racistas, que imitavam macaco. Mas jogadores do Valencia não se comovem
Vinícius Jr. mostra torcedores racistas, que imitavam macaco. Mas jogadores do Valencia não se comovem Pablo Morano/Reuters - 21.05.2023

O Real Madrid, finalmente, se posicionou de forma fime.

"O Real Madrid CF manifesta a sua mais forte repulsa e condena os acontecimentos ocorridos ontem contra o nosso jogador Vinícius Jr.

"Esses fatos constituem um ataque direto ao modelo de convivência de nosso Estado social e democrático de Direito.

"O Real Madrid considera que tais ataques também constituem um crime de ódio, razão pela qual apresentou a denúncia correspondente à Procuradoria-Geral do Estado, especificamente à Procuradoria contra crimes de ódio e discriminação, para que os fatos sejam investigados e apuradas as responsabilidades.

"O artigo 124 da Constituição espanhola estabelece as funções do Ministério Público para promover a ação da Justiça em defesa da legalidade e dos direitos dos cidadãos e do interesse público.

"Por este motivo, e dada a gravidade dos fatos ocorridos, o Real Madrid recorreu à Procuradoria-Geral do Estado, sem prejuízo do seu caráter privado no processo que está a ser instaurado."

E, depois, o clube divulgou fotos e vídeo de uma reunião entre Florentino Pérez e Vinícius Jr.

Para tranquilizar os torcedores do Real, garantindo a permanência do brasileiro.

Só que ele tem contrato até junho de 2024, apenas.

A expectativa era que ele assinasse com a equipe até 2027, nas próximas semanas.

Só que os atos racistas podem fazer com que tudo mude.

E, em dezembro, ele ficaria livre para assinar um pré-contrato com qualquer equipe do mundo.

Há vários clubes bilionários da Champions League com interesse no atacante.

A situação é gravíssima.

E mereceria uma resposta firme, definitiva, da liga espanhola.

Da Uefa.

Da Fifa.

Se ela não vier, Vinícius Jr. pode tomar uma atitude marcante.

E procurar trabalhar em um país no qual os racistas não sejam tolerados.

O que não é o caso, infelizmente, do futebol espanhol...

Jornais esportivos na Espanha culpam Vinícius Jr. por caso de racismo

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas