Cosme Rímoli Travada com R$ 1,6 bilhão em dívidas, nova diretoria corintiana quer a 'Bombonera' em Itaquera. E estádio passe para 70 mil lugares

Travada com R$ 1,6 bilhão em dívidas, nova diretoria corintiana quer a 'Bombonera' em Itaquera. E estádio passe para 70 mil lugares

Ampliar a capacidade do estádio em Itaquera, para poder administrar o Corinthians, com R$ 1,6 bilhão em dívidas. Saída é colocar as organizadas em pé. E colocar mais arquibancadas atrás do gol. No alto, como na Bombonera

  • Cosme Rímoli | Do R7

Andrés foi o responsável pelo estádio em Itaquera. 13 anos depois, clube ainda deve R$ 710 milhões

Andrés foi o responsável pelo estádio em Itaquera. 13 anos depois, clube ainda deve R$ 710 milhões

Corinthians

São Paulo, Brasil

O segredo que era escondido por anos, pelas antigas diretorias corintianas, veio à tona.

De forma clara.

E assustadora.

O Corinthians deve R$ 1,6 bilhão.

Contabilidade feita e tornada pública pela nova administração, tão criticada por atos amadores no futebol do clube.

O diretor financeiro Rozallah Santoro foi cirúrgico ao expor o custo de erros administrativos que ninguém arcou pessoalmente. 

A festança com o dinheiro do Corinthians é devastadora.

São nada menos do que exatos R$ 706 milhões com o estádio. Apesar de todos os benefícios do governo federal com o clube. Como juros abaixo do mercado, prazo sempre esticado, de acordo com os pedidos dos presidentes corintianos.

Nada menos do que R$ 550 milhões em impostos federais.

E, entre R$ 350 milhões e R$ 400 milhões em dívidas de curto prazo.

R$ 217 milhões só para empresários de jogadores.

Nenhum ex-dirigente será responsabilizado pelos gastos absurdos.

Ninguém.

Caberá aos novos dirigentes descobrirem como pagar.

Ou protelar o pagamento e fazer com que os juros aumentem. 

"Para começar a dizer por que o monstro é um pouco diferente do que eu imaginava.

"A dívida do estádio está lá, agora eu sei que são R$ 706 milhões e de impostos federais são R$ 550 milhões. Tem outros R$ 400 milhões que estão no nosso glorioso curto prazo. Aquilo você tem que pagar até o meio do ano."

O dirigente tentou ser o mais didático possível, em entrevista mais do que reveladora ao site Meu Timão.

“O que não é razoável? É que, mais da metade da dívida até o meio do ano (curto prazo), já estivesse vencida. Essa parte que...realmente...se não tivéssemos essa dívida com fornecedores que seguem trabalhando com clube seria uma situação de falência”, explicou o dirigente, que seguiu.

"Não posso ter mais do que metade do meu curto vencido, não consigo operar assim. Pensando na dinâmica do dia a dia, não tem nada que atrapalha mais do que abrir o caixa e ter de escolher quem você paga e quem você não paga."

'O céu é o limite.' Saída simplista para a dívida imensa. Arquibancadas em cima de arquibancadas
'O céu é o limite.' Saída simplista para a dívida imensa. Arquibancadas em cima de arquibancadas Boca Juniors

As antigas diretorias disfarçavam, omitiam, alegavam acordo de confidencialidade.

Mas não tornavam os números públicos.

Os planos da administração de Augusto Melo passam por várias mudanças radicais no clube.

A começar pelo aumento da capacidade da arena.

Engenheiros já chegaram à conclusão que a o estádio de Itaquera pode passar de exatos 48.234 lugares para 54 mil, bastando tirar as cadeiras dos setores onde ficam as organizadas no Setor Sul, igualando ao Norte. E também acabar com os lugares sentados para os lugares mais populares. Muitos passarão a assistir às partidas em pé.

E Melo quer novas arquibancadas atrás dos gols.

Bem altas, como são no estádio do Boca Juniors, a Bombonera.

O sonho é fazer o estádio chegar a 70 mil lugares, ainda na sua administração.

Para arrecadar perto de 80% a mais.

Os jogos do Corinthians têm mostrado mais de 40 mil torcedores e milhares deixam de comprar, por falta de lugares.

Enquanto isso não acontece, os juros se acumulam.

E os processos.

São mais de 150 contra o clube.

A esmagadora maioria trabalhista.

O mais recente, e importante, é o que foi homologado ontem, na Fifa.

A obrigação de pagar 3,5 milhões de dólares, cerca de R$ 18 milhões, para o Argentino Juniores, por conta da compra de Fausto Vera. O clube deve esse dinheiro desde julho de 2023.

O presidente do Argentino Juniores, Cristian Malaspina, resumiu o pensa de negociar com o clube do Parque São Jorge.

"O Corinthians é uma vergonha!"...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas