Corinthians

Cosme Rímoli Timão processado. Por atacante que custou R$ 4 milhões. E nunca jogou

Timão processado. Por atacante que custou R$ 4 milhões. E nunca jogou

Um escândalo. Clube gastou R$ 4 milhões com Luidy. Quatro anos de contrato sem jogar pelo clube. E o atacante entra com processo. Quer mais R$ 724 mil

  • Cosme Rímoli | Do R7

Luidy custou R$ 4 milhões. Quatro anos de contrato. Nunca jogou pelo clube

Luidy custou R$ 4 milhões. Quatro anos de contrato. Nunca jogou pelo clube

Agência Corinthians

São Paulo, Brasil

Uma pequena prova de que os dirigentes deveriam ser responsabilizados financeiramente por seus atos.

Desperdícios de toda espécie são feitos em todos os clubes brasileiros.

A esmagadora maioria deles tem dívida de centenas de milhões de reais. 

Cruzeiro e Botafogo ultrapassaram a barreira do bilhão.

O Corinthians deve mais de R$ 900 milhões, de acordo com o ex-presidente Mario Gobbi.

E vai além.

Tem mais de 150 processos na justiça.

Grande parte trabalhistas.

Mas o que vazou hoje rompe a barreira de qualquer bom senso.

O Corinthians está sendo processado em R$ 724 mil pelo jogador Luidy.

Quem é Luidy?

Difícil saber.

Porque o clube comprou 70% dos seus direitos.

Por R$ 1,2 milhão.

Teve contrato de quatro anos.

E jamais jogou pelo Corinthians.

Porque as comissões técnicas que passaram pelo clube não viam condições técnicas no atacante, que atuava no CRB, de Alagoas.

Foi emprestado para Figueirense, Ceará, Londrina e CRB, clube que o vendeu.

Sempre acabou devolvido.

Seu contrato durou de dezembro de 2017 a dezembro de 2020.

Mas com direito a salário de executivo de multinacional: R$ 40 mil.

Roberto de Andrade e Eduardo Ferreira. Responsáveis pela contratação de Luidy

Roberto de Andrade e Eduardo Ferreira. Responsáveis pela contratação de Luidy

Agência Corinthians

Só em 2017.

Porque acertou com a direção corintiana que teria direito a R$ 10 mil de aumento a cada ano que ficasse no Parque São Jorge.

Em 2018, ele recebeu R$ 50 mil.

Em 2019, R$ 60 mil.

Em 2020, R$ 70 mil!

Com direito a décimo terceiro nos quatro anos, fundo de garantia, férias, como qualquer trabalhador comum.

Claro que o Corinthians tentou rescindir seu contrato.

Mas o jogador, lógico, não aceitou.

Triste resumo para o clube.

Foram cerca de R$ 4 milhões pagos a um atleta que nunca usou.

E ele ainda entra na justiça para receber mais R$ 724 mil por atrasos nos salários e não pagamento de férias, de Fundo de Garantia, de acordo com o site Meu Timão.

O presidente do Corinthians, quando Luidy foi contratado, era Roberto de Andrade, atual diretor de futebol do clube. O diretor era Eduardo Ferreira.

A primeira audiência acontecerá na 23ª Vara de Trabalho de São Paulo, no dia 12 de maio.

A pequena e fraca oposição no Corinthians repassou hoje essa informação a jornalistas.

Querem comprometer a atual situação.

Mas a verdade é que quando a oposição esteve no poder, o dinheiro do Corinthians também foi desperdiçado.

E ninguém foi cobrado.

Como acontece em todos os clubes no país.

Por isso, os dirigentes seguem firmes.

Não querem transformar os clubes em empresas.

Em Sociedades Anônimas, quando o dirigente vira executivo de verdade.

E é cobrado, até judicialmente, por seus atos.

O profissionalismo de casca é que permite absurdos erros de avaliação, como feito com Luidy.

O jogador não tem a menor culpa.

A culpa é de quem o supervalorizou e empenhou R$ 4 milhões do Corinthians.

Luidy treinando no Figueirense. Mas com contrato com o Corinthians

Luidy treinando no Figueirense. Mas com contrato com o Corinthians

Luiz Henrique/Figueirense

Esse é apenas um pequeno exemplo.

Do que acontece no futebol brasileiro.

E o porque a maioria dos clubes está em estado pré-falimentar.

Pelo menos 20 anos atrasados em relação à Europa.

Aqui, eles usam o escudo de serem 'sociedades civis sem fins lucrativos'.

O Brasil rejeita, não quer ter, de verdade, os clubes-empresas.

Para que os Conselhos Deliberativos, os presidentes, sigam mandando.

Sem responsabilidade real com o dinheiro do clube.

Sem cobrança alguma por não saber avaliar um jogador.

Aplicar o dinheiro do clube.

Roberto de Andrade é o atual diretor de futebol.

Será um dos principais avaliadores de jogadores.

As contratações dependerão do seu 'sim'.

Como foi o caso de Luidy...

Maior vitorioso do estádio! Rogério Ceni enfrenta São Paulo no Morumbi

Últimas