Cosme Rímoli Santos, orgulho para o futebol brasileiro. Venceu a LDU e a altitude

Santos, orgulho para o futebol brasileiro. Venceu a LDU e a altitude

Com atuação surpreendente, com Cuca e cinco jogadores com covid, o Santos ganhou por 2 a 1 da LDU. Passo gigante para as quartas da Libertadores

  • Cosme Rímoli | Do R7

Marinho comemora o segundo gol santista. Vitória surpreendente e merecida

Marinho comemora o segundo gol santista. Vitória surpreendente e merecida

Staff images /CONMEBOL

São Paulo, Brasil

Foi uma vitória espetacular.

Em todos os aspectos.

A LDU era a grande favorita.

Time que eliminou o São Paulo, ainda na fase de grupos, e que jogava em casa, nos 2.850 metros de altitude de Quito.

Enfrentava uma equipe limitada, com o treinador internado, infectado pela covid. Assim como João Paulo, Sandry, Madson, Luan Peres e Ângelo, que não puderam jogar por conta do novo coronavírus.

Mas o Santos recusou a derrota.

Mostrou vibração, gana, determinação, coragem e muito sacrifício físico. E conseguiu o que nem seus torcedores mais fanáticos esperavam.

Vencer por 2 a 1 seu primeiro jogo das oitavas de final da Libertadores.

O time paulista pode empatar o jogo de volta, na próxima terça, que estará classificado para as quartas.

O grande destaque da partida foi também imprevisível.

Aos 34 anos, Pará tomou conta do jogo.

A LDU não esperava tanta ousadia do time santista. Equatoriano irritados, frustrados

A LDU não esperava tanta ousadia do time santista. Equatoriano irritados, frustrados

Conmebol

Marcou, puxou contragolpes, orientou, cobrou, liderou o Santos.

Outro destaque foi o treinador interino Marcelo Fernandes.

Ele teva a coragem de colocar sua equipe no ataque, no início da partida.

Marcando sob pressão os equatorianos.

E conseguiu sair na frente no placar, com Soteldo, completando descida de Pará, que buscou a linha de fundo e cruzou para o venezuelano marcar, aos seis minutos.

Mas o fôlego santista foi diminuindo, a partir dos 20 minutos.

A LDU cresceu, Pablo Repetto adiantou sua equipe e passou a pressionar o Santos. O jovem goleiro John mostrava seu talento e conseguiu ótimas defesas. 

Marcelo Fernandes, com medo de sofrer o empate, tirou o meia Jean Mota e colocou o zagueiro Wagner.

Só que, por ironia, a LDU marcou em um contragolpe. Os equatorianos desceram em velocidade e, com a defesa santista mal posicionada, Billy Arce invadiu a área, driblou Pituca e chutou forte, para grande defesa de John. Jhojan Julio pegou o rebote e empatou. 1 a 1, aos 46 minutos.

Soteldo comemora o primeiro gol santista. Tática, coragem e velocidade

Soteldo comemora o primeiro gol santista. Tática, coragem e velocidade

Conmebol

No segundo tempo, o Santos voltou mais adiantado, com coragem. Para não ter a LDU na sua área.

E em uma descida em velocidade, típica, Marinho sofreu pênalti de Ordóñez.

O próprio atacante cobrou com personalidade.

2 a 1 Santos, aos 12 minutos.

A partir daí, muita luta, dedicação.

E fortíssima marcação na intermediária.

A LDU foi se enervando, se frustrando.

Marinho celebra triunfo importantíssimo. Santos foi vibrante na altitude de Quito

Marinho celebra triunfo importantíssimo. Santos foi vibrante na altitude de Quito

Conmebol

E passou a levantar bolas na área, o que facilitou para o sistema defensivo santista.

Ao final da partida de Quito, vitória da dedicação, da garra, da tática.

E, principalmente, do coração santista...

Neymar, CR7 e Haaland marcam na Champions; Barcelona segue 100%

Últimas