Cosme Rímoli Sampaoli fica. Mas é o grande derrotado no Fla. Preparador que agrediu Pedro acabou demitido. Técnico perdeu a confiança do time

Sampaoli fica. Mas é o grande derrotado no Fla. Preparador que agrediu Pedro acabou demitido. Técnico perdeu a confiança do time

Reunião na noite deste domingo definiu a permanência de Sampaoli. Ele aceitou a demissão de Pablo Fernández, que agrediu covardemente Pedro. Mas jogadores não perdoam a omissão do treinador

  • Cosme Rímoli | Do R7

Sampaoli fica. Mas desgastado com os jogadores. Não foi firme contra o preparador que agrediu Pedro

Sampaoli fica. Mas desgastado com os jogadores. Não foi firme contra o preparador que agrediu Pedro

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

Entre a fidelidade a Pablo Fernández e o Flamengo, Jorge Sampaoli não titubeou.

Ficou com o Flamengo.

A escolha foi simples, em uma reunião definitiva nesta noite de domingo.

A direção rubro-negra optou pela demissão sumária e por justa causa de seu preparador físico desde 2019.

Ou Sampaoli aceitava e seguia trabalhando no clube ou discutia sua rescisão e iria embora do clube.

Simples assim.

Como o próprio Fernández, demitido, havia insistido para o treinador ficar, porque ele admitiu que errou ao dar um soco no rosto de Pedro, no sábado à noite, Sampaoli decidiu ficar.

Mas com a primeira missão de se acertar com o atacante, que postou denunciando a agressão que sofreu do agora ex-preparador físico do Flamengo. Mas também se queixou publicamente dos poucos minutos em campo e da "covardia psicológica" que sofre desde a chegada do treinador argentino, que opta por Gabigol e o deixa na reserva. Não busca encontrar uma fórmula para os dois jogarem juntos.

As últimas 24 horas foram muito tensas, pesadas no Flamengo.

Por conta da covarde agressão de Fernández a Pedro, ontem, em Belo Horizonte, no vestiário do estádio Independência, acabando com a alegria de uma importante vitória de virada sobre o Atlético Mineiro, por 2 a 1. 

O soco no rosto dado pelo preparador físico na boca no atacante levou o Flamengo para as páginas policiais.

Pedro mostrando o corte na boca pelo soco que levou de Fernández. Flamengo virou caso de polícia

Pedro mostrando o corte na boca pelo soco que levou de Fernández. Flamengo virou caso de polícia

Reprodução/Twitter

O jogador decidiu prestar queixa pela agressão. Everton Cebolinha, Pablo e Thiago Maia foram com ele para a delegacia, como testemunhas.

Com a revelação do Boletim de Ocorrência e dos bastidores do que aconteceu no vestiário do Flamengo, a situação de Jorge Sampaoli, que seguirá no clube, fica delicada.

Ele não se posicionou como líder, como comandante do time.

Está claro que a direção decidiu ficar com ele porque havia contrato até dezembro de 2024, com direito a multa, e que logo na quinta-feira o Flamengo enfrentará o Olimpia, na primeira partida das oitavas de final da Libertadores, no Maracanã.

O que aconteceu no vestiário após a vitória contra o Atlético foi inaceitável.

Fernández foi cobrar Pedro que parou seu aquecimento ao ver que Sampaoli havia feito as cinco trocas e que não iria entrar na partida de sábado. 

O atacante mandava mensagens para seus familiares, logo após o jogo.

O preparador físico reclamando por ele haver parado o aquecimento sem ordem, deu três tapas no rosto do atacante. Pedro tirou a mão de Fernández da sua face. Irritado, o argentino acertou um violento soco na boca do jogador. O ferimento foi registrado em foto pelos policiais.

Thiago Maia, que estava perto e viu a cena, afastou os dois.

Gerson chegou em seguida e empurrou o preparador físico contra a parede. Os demais jogadores do Flamengo ficaram ao lado de Pedro.

Pablo Fernández deu três tapas no rosto de Pedro, antes do violento soco. Foi demitido por justa causa

Pablo Fernández deu três tapas no rosto de Pedro, antes do violento soco. Foi demitido por justa causa

Reprodução/Twitter

Depois de toda a cena, Jorge Sampaoli foi para a entrevista coletiva como se nada tivesse acontecido.

Enquanto isso, Pedro foi prestar queixa contra o preparador físico, que foi até a delegacia. E respondeu com 'sem comentários' a policiais que o questionaram. Como a lesão foi considerada 'muito leve', o preparador argentino foi liberado.

Pedro revelou o que aconteceu logo após sair da delegacia, nas suas redes sociais.

E ficou em Belo Horizonte, não quis voltar com a delegação no vôo fretado, onde estaria Fernández.

Na tarde de domingo o preparador publicou uma nota pedindo desculpa ao jogador e admitindo que havia errado.

Mas não foi suficiente para evitar sua demissão.

O presidente Rodolfo Landim, que está nos Estados Unidos para uma reunião com a cúpula do Inter Miami e do Real Madrid, decidiu-se pela permanência de Sampaoli. Desde que ele acatasse a saída de Fernández.

Sampaoli disse que seguiria.

E o acordo foi fechado.

Só que o desgaste do treinador argentino com o elenco é evidente.

O técnico não se posiciou firmemente nos vestiários.

Publicou uma nota pífia nas suas redes sociais, colocando-se contra a violência.

Ele acreditou que fosse possível "resolver tudo na conversa".

Errou novamente.

Situação que os jogadores nem cogitavam.

Não aceitariam trabalhar mais sob o comando do preparador físico que agrediu covardemente Pedro.

Pablo Fernández foi demitido.

Mas Sampaoli saiu profundamente arranhado pela agressão.

Os jogadores perceberam sua omissão.

Sua vida será muito mais difícil no Flamengo...

Agressão, abuso psicológico e poucos minutos em campo: Pedro vive drama no Flamengo

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas