Cosme Rímoli Rancor no Corinthians por desprezo de Aguirre, que assinou com o Inter

Rancor no Corinthians por desprezo de Aguirre, que assinou com o Inter

Menos de 1 mês de ter rejeitado oferta, técnico uruguaio fecha, empolgado, com o Internacional. Diretoria corintiana entendeu o desprezo pelo elenco fraco que possui

  • Cosme Rímoli | Do R7

Não completou um mês da rejeição de Aguirre ao Corinthians. Desprezou o elenco fraco

Não completou um mês da rejeição de Aguirre ao Corinthians. Desprezou o elenco fraco

Internacional

São Paulo, Brasil

Foi constrangedor para a direção do Corinthans.

Foram menos de 12 horas.

Na tarde de sexta-feira o contato, a conversa inicial, o acerto.

E logo pela manhã de ontem a confirmação.

Diego Aguirre fechou contrato com o Inter até dezembro de 2022. Com ele, o clube resgata também o preparador físico Paulo Paixão, campeão do mundo com a Seleção Brasileira, em 2002 e com o clube gaúcho, em 2006.

O treinador havia recusado, há menos de um mês, no dia 22 de maio, proposta idêntica ao que recebeu do Inter, cerca de R$ 700 mil para ele e sua Comissão Técnica.

O motivo que incomoda o presidente corintiano Duilio Monteiro Alves é simples. Aguirre queria voltar a trabalhar. Mas ele preferiu seguir no desemprego a assumir o elenco fraquíssimo que o Corinthians tem. Ainda mais com a cobrança pesada das torcidas organizadas, com enorme influência no clube.

Foi fácil avaliar as condições do Corinthians.

Além de sua vivência no futebol, Aguirre conta com grandes amigos em São Paulo. Os empresários Juan e Marcel Figer. Uruguaio como ele, Juan o trouxe como jogador para o Brasil. 

Além disso, Aguirre tem amizade fraternal com antigos conselheiros do São Paulo.

Inter celebra a contratação de Aguirre. Sylvinho só está no Corinthians pela recusa do uruguaio

Inter celebra a contratação de Aguirre. Sylvinho só está no Corinthians pela recusa do uruguaio

Internacional

As indicações que ele recebeu do Corinthians foram as piores possíveis.

Esse foi o tom ameno que usou para 'explicar' a recusa.

"Recebi o convite do Corinthians com muita alegria e me senti honrado com a lembrança. Conversamos em alto nível, mas nesse momento não pudemos alcançar um denominador comum, ainda que tenhamos deixado as portas abertas para o futuro. Deixo meu agradecimento ao clube e sua diretoria pelos esforços e interesse, e desejo sucesso na continuidade da temporada"

Mas na verdade não quis assumir uma equipe fraquíssima que vai lutar para tentar não ser rebaixada no Brasileiro.

Em compensação, ao acertar ontem com o Internacional, a felicidade estampada em palavras no seu Instagram.

"O que sinto neste momento é a plena felicidade e a expectativa por voltar a um lugar que eu aprendi a amar. Esse era um grande objetivo pessoal e profissional, e só tenho a agradecer à instituição por me permitir realizá-lo. É uma honra, @scinternacional.

"Vamos fazer tudo para executar o melhor trabalho possível, à altura da história do clube e da torcida. Vivi o Sport Club Internacional como jogador, como treinador e sei o que representa defender essa instituição. À torcida, minha promessa de que haverá determinação e coração em cada instante e cada pedaço deste trabalho."

Aguirre sabe que contará com um elenco muito melhor em Porto Alegre do que encontraria no Corinthians. Ele já trabalhou no Internacional em 2015, quando foi campeão gaúcho.

O clube gaúcho respira aliado com o acerto, depois da fracassada experiência de 101 dias com o espanhol Miguel Ángel Ramírez. Aguirre é muito mais tradicional e montará uma equipe com muita força física e marcação agressiva, característica que respeita a tradição do Internacional.

A direção do Corinthians não quer se manifestar publicamente por ter sido rejeitada, trocada por Aguirre pelo Internacional. Mas o rancor ficará. E enquanto esse grupo político que comanda o clube ficar no poder, o uruguaio não trabalhará no Parque São Jorge.

Para aliviar o rancor, conselheiros ligados a Duílio lembraram o blog.  A direção do Internacional não tem muito o que comemorar. Porque o clube foi rejeitado antes da chegada de Aguirre. O português Marco Silva preferiu seguir desempregado a trabalhar no clube gaúcho.

Mas doeu, incomodou os dirigentes corintianos, o acerto do uruguio no Rio Grande do Sul, menos de um mês depois de dizer 'não' à proposta de Duílio Monteiro Alves.

A rejeição não foi assimilada.

Sylvinho só está no clube por conta do não de Aguirre...

Chris Smalling, zagueiro da Roma, afirma ter visto ETs durante viagem

Últimas