Cosme Rímoli R$ 30 milhões para o Palmeiras lutar para ser campeão do mundo 'de verdade'. E se livrar da sombra da Copa Rio

R$ 30 milhões para o Palmeiras lutar para ser campeão do mundo 'de verdade'. E se livrar da sombra da Copa Rio

A atual direção não quer mais usar como escudo a Copa Rio, que nunca foi Mundial de Clubes. E Leila Pereira quer usar os R$ 30 milhões dados pela Fifa ao campeão para motivar ainda mais os jogadores

  • Cosme Rímoli | Do R7

Palmeiras venceu a Libertadores de 2021. Terceira chance ser campeão do mundo 'de verdade'

Palmeiras venceu a Libertadores de 2021. Terceira chance ser campeão do mundo 'de verdade'

Cesar Greco/Palmeiras

São Paulo, Brasil

"Palmeiras e Corinthians já foram campeões mundiais uma vez cada.

"A oportunidade de ultrapassar o maior rival te dá uma motivação extra?"

Fosse feita essa pergunta a Rony por um repórter de qualquer outro meio de comunicação, seria ridicularizada.

Por mais importante que tenha sido em 1951, a Taça Rio, vencida pelo Palmeiras, não é reconhecida pela Fifa como mundial. E a entidade que rege o futebol no planeta reconhece o Corinthians como bicampeão de clubes: em 2000 e 2012.

Mas a entrevista com Rony foi feita pelo site da própria Fifa e divulgada ontem.

Sim, foi um descuido de quem redigiu o texto, porque no próprio site da entidade o Corinthians segue com dois títulos reconhecidos e o Palmeiras, com nenhum.

O engano repercutiu nas redes sociais.

Só que o clube presidido pela bilionária Leila Pereira se calou.

Desde a saída do ex-presidente Paulo Nobre, em 2017, há um movimento cada vez menor em relação à Copa Rio.

Há plena consciência de que foi um torneio de campeões nacionais, mas todos convidados. Juventus (Itália), Sporting (Portugal), Nice (França), Áustria Viena (Áustria), Nacional (Uruguai) e Estrela Vermelha (Sérvia).

Torneios como esse eram mais do que comuns na época. A repercussão que ganhou no Brasil foi por conta da vontade da imprensa de superar a final da Copa do Mundo de 1950, com a derrota para o Uruguai.

Desde que o clube se reestruturou com a sua nova arena e com o maior patrocínio da América do Sul, houve chance de montar grandes times. E ter mais condições de buscar o título real de campeão mundial.

Mauricio Galiotte já falava muito, mas muito menos de Copa Rio do que Paulo Nobre. Leila Pereira mal toca na competição. Sim, tanto Galiotte quanto Leila "reconhecem"' o torneio para não entrar em choque com velhos conselheiros e em respeito ao clube. 

Mas sabem que Mundial reconhecido o clube não tem.

O repórter da Fifa 'tirou' um Mundial do Corinthians e 'deu' um ao Palmeiras

O repórter da Fifa 'tirou' um Mundial do Corinthians e 'deu' um ao Palmeiras

Reprodução/Instagram

Essa obsessão pela Taça Rio cresceu absurdamente quando o Corinthians venceu seu segundo Mundial, em 2012. E na capital paulista, a mais rica do Brasil, a direção do Palmeiras teve de aceitar seus três rivais, Santos, duas vezes; São Paulo, três vezes; e Corinthians, duas vezes.

Por isso, a importância de vencer o Mundial de Clubes que começa hoje para o Palmeiras.

E, lógico, o dinheiro é uma grande arma para estimular os jogadores de Abel Ferreira.

De maneira discreta, Leila Pereira já acertou com as lideranças do time a premiação em caso de título mundial. 

E que não sairá dos cofres do clube.

A Fifa pagará 5 milhões de euros, cerca de R$ 30 milhões, ao campeão.

Conselheiros que acompanham a delegação nos Emirados Árabes garantem. Essa quantia seria dividida entre os atletas.

Evidente, ninguém confirma.

Leila Pereira já acertou com os jogadores e comissão técnica a premiação pelo Mundial

Leila Pereira já acertou com os jogadores e comissão técnica a premiação pelo Mundial

Cesar Greco/Palmeiras

Jogadores, comissão técnica e diretoria se calam.

Para manter o foco absoluto no Al Ahly.

Não cometer o erro de 2021, quando o pensamento era o Bayern na final, e o time tropeçou no Tigres, do México, na semifinal.

Lembrando que, em 2021, os títulos conquistados valeram ao clube R$ 164 milhões.

O Palmeiras começa hoje uma de suas maiores lutas.

A de tentar sair da sombra incômoda da Copa Rio.

Repetir sem convicção que é "o primeiro campeão mundial", quando sabe que não é.

Por mais que um desinformado repórter da Fifa tenha animado carentes desavisados.

A chance de conquista de um título mundial para o Palmeiras começa de novo hoje.

O clube já fracassou em 1999, caindo diante do Manchester United.

E também em 2021, não chegando nem à final, parando no Tigres.

2022 já foi importante para acabar o tabu de nunca haver vencido a Copa São Paulo Juniores. Conquistou-a depois de 52 anos de disputa.

Desde 1960 há o Mundial de Clubes, entre 1960 e 1979 chamado de Copa Intercontinental, entre 1980 e 2004, de Copa Europeia/Sul-Americana. Nesse período, com jogos em campos sul-americanos e europeus.

A partir de 2000 foi criada a Copa do Mundo de Clubes, totalmente com o comando da Fifa. Nesse ano, o Corinthians e o Boca Juniors foram campeões ao mesmo tempo. O clube brasileiro do primeiro torneio organizado pela Fifa e o argentino ganhou a Copa Europeia/Sul-Americana.

A motivação palmeirense não poderia ser maior para ter o seu primeiro mundial.

Assim como a promessa de recompensa financeira aos jogadores.

Palmeiras campeão da Copa Rio, em 1951. Torneio muito importante. Mas não um Mundial de Clubes

Palmeiras campeão da Copa Rio, em 1951. Torneio muito importante. Mas não um Mundial de Clubes

Reprodução/Instagram

Reverenciar, mas saber do verdadeiro significado da Copa Rio, em 1951.

Assim como faz o Fluminense.

Que venceu a competição em 1952.

E seus dirigentes não repetem à exaustão que são "campeões do mundo".

Porque sabem que não são....

Monterrey fracassa no Mundial após gastar R$ 463 milhões

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas