Cosme Rímoli 'Quem tudo quer, nada tem.' A explicação de Renato revela porque jamais venceu o Brasileiro, em 15 disputas

'Quem tudo quer, nada tem.' A explicação de Renato revela porque jamais venceu o Brasileiro, em 15 disputas

O técnico do Flamengo desdenha a derrota para o Fluminense, e a chance dada para o Atlético disparar de vez e ganhar o Brasileiro. 'Quem tudo quer, nada tem.' Abrir mão do Brasileiro é sua especialidade

  • Cosme Rímoli | Do R7

Renato Gaúcho já disputou 15 Brasileiros. Jamais conquistou algum

Renato Gaúcho já disputou 15 Brasileiros. Jamais conquistou algum

Lucas Uebel/Flamengo

São Paulo, Brasil

Sim, o Flamengo teve 65% de posse de bola.

Chutou 17 vezes a gol.

Não teve Arrascaeta, Gabigol, Bruno Henrique, David Luiz, Pedro.

Mas a derrota para o Fluminense, ontem, no Maracanã foi frustrante. Pelo futebol sem consistência, intensidade, imaginação para escapar da forte marcação, já anunciada pelo técnico Marcão. Assim como os previsíveis contragolpes em velocidade pelos lados do campo, do time tricolor.

O Flamengo ficou estagnado com 46 pontos, na terceira colocação do Brasileiro, com dois jogos a menos, é verdade. O Fortaleza chegou a vice líder, com 48 pontos. O Palmeiras, se vencer amanhã, deixa o rubro negro em quarto lugar.

Mas o grande rival, Atlético Mineiro, tem dez pontos de vantagem, na liderança. E pode chegar a 13 pontos, se vencer hoje o Cuiabá, se aproximando cada vez mais do título.

Tão decepcionante quanto a derrota do Flamengo, foi a entrevista coletiva de Renato Gaúcho. O treinador mostrou a velha postura que adotava no Grêmio. Ele não consegue enxergar a possibilidade de que seu elenco tem potencipal para ganhar não só o Brasileiro, como a Libertadores e a Copa do Brasil.

Ele deixa claro que o melhor é focar em algumas competições. E deixar outras escapar.

"Satisfeito pelos problemas que a gente vem tendo. Desfalques de jogadores na Seleção, no departamento médico. Mesmo assim, o Flamengo em três competições. Está na final da Libertadores, temos 90 minutos para colocar o clube em outra final na quarta-feira e estamos brigando no Brasileiro. Está cada vez mais difícil, mas qual clube joga e vence as três competições?",perguntava, estranhamente conformado, com a derrota no clássico contra o Fluminense.

Diante do tom das perguntas sobre a diferença técnica entre os elencos da Gávea e o das Laranjeiras, e como o Fluminense não sofreu para derrotar o Flamengo, e o prejudicar muito na disputa pelo Brasileiro, com o Atlético, o técnico só deu as mesmas desculpas.

Falou dos desfalques, do excesso de jogos, mas não levou em consideração ter um elenco muito melhor do que o Fluminense. Mesmo com os jogadores com os quais não pôde contar.

"Temos coisas para melhorar, para corrigir, mas ninguém leva em consideração os problemas que estamos tendo. A gente sabe o que está passando. A cada três dias, o Flamengo tem obrigação de ganhar para ficar vivo nas competições. E nenhum time no mundo disputa três competições ao mesmo tempo e vence as três, é muito difícil.

"Quem tudo quer, nada tem.

E os outros clubes que estão disputando só o Brasileiro? Poderíamos estar melhor no Brasileiro? Sim, mas ninguém quer saber dos nossos problemas no dia-a-dia."

"A gente sabe que a gente precisa melhorar e dar sequência ao trabalho. Quem está aqui sabe o quanto temos trabalhado para buscar os resultados. Respeito opinião, mas não adianta querer tumultuar o nosso ambiente. Empata duas, perde uma e parece que está tudo errado.

"Vejo outros clubes disputando apenas uma competição e mal, e ninguém fala. O Flamengo dá ibope. Se eu fosse torcedor, também estaria um pouco insatisfeito.

"Mas o torcedor entende que estamos em três competições."

Ou seja, Renato segue o mesmo de Porto Alegre.

Não acredita que um elenco possa ganhar três títulos ao mesmo tempo.

E o longo Brasileiro é o torneio que Renato Gaúcho mais fácil abre mão.

Talvez, por isso, nunca o venceu.

Foram 15 disputas. Por Fluminense, Vasco, Atlhetico Paranaense, Grêmio. Jamais chegou em primeiro. Foi rebaixado com o Vasco em 2008. O melhor resultado foi vice, em 2013, com o Grêmio.

Seu currículo explica a estranha relação com o Brasileiro.

Para desilusão da diretoria.

Que sonha com o tricampeonato nacional.

O domínio do futebol do país.

Renato tem como focos principais a Libertadores.

E a Copa do Brasil.

Incrível, mas falta ambição ao técnico do Flamengo...

Hulk Iraniano: ele quebra ossos com a mão e é maior que o carro

Últimas