Cosme Rímoli Quatro derrotas em oito jogos: Flamengo afunda com Ceni

Quatro derrotas em oito jogos: Flamengo afunda com Ceni

O clube vai perdendo partidas e jogos fundamentais no Brasileiro. Ontem foi para o Atlético Mineiro, por 2 a 1. O sonho do tricampeonato vai se perdendo. Diretoria avaliará, a sério, o técnico na Libertadores

  • Cosme Rímoli | Do R7

A derrota para o Atlético só aumenta mais a pressão sobre Ceni. Quatro derrotas em oito jogos

A derrota para o Atlético só aumenta mais a pressão sobre Ceni. Quatro derrotas em oito jogos

Alexandre Vidal / Flamengo

São Paulo, Brasil

"Fora, Ceni! Imbecil."

No começo da madrugada desta quinta-feira (8), o ataque ao treinador do Flamengo, estampado nos muros da Gávea.

O agressivo protesto do torcedor se reflete em preocupantes números. Quatro derrotas em oito jogos. E a segunda consecutiva ontem, diante do Atlético Mineiro, em Belo Horizonte.

Clube em 11º, com duas partidas a menos.

"É o nono jogo que tivemos com ausências importantes para o time. Esses jogadores têm se desgastado e este é um adversário duríssimo. Entendo todas as críticas, as reclamações, e sigo fazendo meu trabalho da melhor maneira que posso", desabafou, se desculpando.

Deixou evidente sua insatisfação porque completou nove partidas com ausências de jogadores importantes, convocados para a Copa América. Pela Seleção Brasileira, Chilena, Uruguaia e Paraguaia.

"Compreendo todas as críticas. Entendo o torcedor sem dúvida nenhuma. Não é natural. Quando você está no Flamengo, não pode perder uma partida em dez dias, que dirá três", assumiu.

Só que Ceni surpreendeu de forma negativa na escalação do time, mesmo com desfalques, contra o Atlético.

Ele colocou como titular Bruno Viana, que não atuava há dois meses.

"O Bruno vem treinando bem todos os dias. O motivo de começar com ele foi por ter uma boa condução de bola e passe entrelinhas. Além disso, queria o Rodrigo no confronto com o Hulk, e ele teve muito sucesso no primeiro tempo.

"Nem sempre, você está em uma noite feliz. O Bruno não esteve em uma noite tão boa, mas os gols saíram no segundo tempo, quando ele não estava em campo", disse o treinador.

Apesar da pressão, Ceni ainda goza da proteção do vice Marcos Braz, que o 'tirou' do Fortaleza. 

O restante da diretoria, inclusive o presidente Rodolfo Landim, esperam pela partida da próxima semana, pelas oitavas da Libertadores, contra o Defensa y Justicia, na Argentina.

Ceni vai se mostrando mais tenso, a cada jogo.

Ele sabe que enfrenta a sombra de Renato Gaúcho.

Mas não está conseguindo fazer o Flamengo reagir.

A segurança foi reforçada no aeroporto do Galeão.

Medo da própria torcida.

E os muros são pichados...

Rogério Ceni com cargo ameaçado: por que técnico não emplaca no Fla

Últimas