Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

Punição absurda a Moisés revolta de vez o Palmeiras contra a FPF 

Felipão e Galiotte estão mais do que revoltados contra a FPF. Clube vai recorrer da suspensão. Mas já articula retaliação. Se for campeão paulista...

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli


Gustavo Henrique deu um tapa na cara de Moisés. A imagem é clara
Gustavo Henrique deu um tapa na cara de Moisés. A imagem é clara

São Paulo, Brasil

Luiz Felipe Scolari adora a raiva.

Ele sempre acreditou que seus times conquistaram vitórias quando estavam sendo injustiçados, questionados, criticados.

Leia também

Foi assim toda sua carreira.

Publicidade

Não seria agora, aos 70 anos, que iria mudar.

Ganhou o Brasileiro com o Grêmio, a Libertadores com o Palmeiras, a Copa do Mundo com o Brasil. 

Publicidade

É o treinador que faz do ressentimento uma grande arma.

A absurda suspensão de Moisés de quatro partidas pelo conflito com o zagueiro Gustavo Henrique, ainda na fase de classificação, caiu dos céus ao treinador.

Publicidade

Felipão já está disputando o Campeonato Paulista sob pressão. O técnico sabe muito bem da briga séria entre Mauricio Galiotte e a Federação Paulista de Futebol, presidida por Reinado Carneiro Bastos.

O esforço que Galiotte fez para mostrar que houve interferência na final do Paulista de 2018, que ajudou o Corinthians.

O dirigente classificou o torneio como "Paulistinha".

Foi multado, suspenso.

Deu o troco boicotando a festa de entrega de prêmios da Federação.

E desde então, o Palmeiras jamais apareceu em qualquer reunião na entidade.

O clima já estava tenso.

Veja mais: TJD-SP suspende Moisés do Paulista, e Palmeiras considera pena absurda

Piorou com duas decisões do VAR contra o Palmeiras. O clube foi prejudicado contra o Novorizontino e São Paulo.

E ontem veio a suspensão de Moisés de quatro partidas. Seu pecado: ter seguro a camisa do jogador do Santos e tomar um tapa na cara. Não revidar.

O Paulista tem apenas mais três jogos para o Palmeiras, caso elimine o São Paulo, domingo. Restariam duas partidas finais.

Ou seja, o torneio teria acabado para o meio-campista.

Se dependesse da justiça esportiva paulista não haveria mais jeito. Ele foi julgado duas vezes pelo TJD. A primeira vez tomou um jogo de suspensão. Mas a promotoria do TJD não aceitou a decisão e recorreu. O julgamento foi ontem e veio a decisão por quatro jogos.

O Tribunal de Justiça Desportiva é presidido pelo delegado Antônio Olim. Ele ridicularizou publicamente Galiotte.

"O Campeonato Paulista é o mais importante do Brasil. Chamar de Paulistinha... Ele quer esculachar? Isso é uma vergonha para o Palmeiras.

O Palmeiras é um belo time, tem um time de primeiro mundo, não precisa fazer isso. Vamos ganhar na bola, ganhar no jogo e parar de chorar. O Palmeiras precisa parar de chorar. Vou mandar um lenço para eles, porque eu não aguento mais. Vamos parar de chorar, pô..."

Veja mais: San Lorenzo x Palmeiras: prováveis escalações e desfalques

Foi o tribunal presidido por Olim que suspendeu Moiséis. E também o agressor Gustavo Henrique.

O Palmeiras vai recorrer no Superior Tribunal de Justiça Desportiva, no Rio de Janeiro.

Conselheiros ligados a Galiotte garantiram ao blog que ele ficou revoltado quando soube da senteça. Assim como Felipão e todos no Palmeiras.

Mas o técnico foi claro. O importante seria manter o foco para o importante jogo de hoje, pela Libertadores, contra o San Lorenzo, na Argentina.

E evitar o desgaste protestando, batendo boca, mandando recado para a Federação, Olim, ao TJD.

Usar essa raiva, pela injustiça, como combustível para a decisão contra o São Paulo, no domingo. 

Galiotte ressaltou a dirigentes sua ira porque a partida aconteceu no dia 23 de fevereiro. E só ontem, dia 1º de abril, o TJD deu a sua sentença definitiva.

Mas o dirigente decidiu se calar.

Nada de protestos veementes. 

Veja mais: Gustavo Scarpa é liberado após morte de avó e desfalca Palmeiras na Libertadores

O clube vai tentar fazer o máximo legalmente para livrar Moisés da pena.

E se Reinaldo Carneiro Bastos esperava reconciliação com o Palmeiras, pode esquecer. 

A diretoria credita que a suspensão de Moisés é reflexo da briga entre o clube e a FPF.

Mas haverá retaliação.

Se o Palmeiras derrotar o São Paulo e vencer o Paulista, está concretizada a decisão.

Ninguém irá receber a taça e as medalhas pelo título na festa da FPF e Globo.

Usando a expressão de Olim, o Palmeiras vai 'parar de chorar'.

Decidiu tomar atitude contra a FPF.

E seu 'Paulistinha'.

Por via das dúvidas, o Palmeiras postará equipes de filmagem no clássico contra o São Paulo, no domingo.

Veja mais: Para Antônio Carlos, vitória na Argentina ajudaria Palmeiras na semi do Paulistão

Terá suas imagens do jogo.

Até como precaução em relação ao VAR.

A punição de Moisés foi a gota d'água.

O clube está em pé de guerra com a FPF...

Curta a página R7 Esportes no Facebook

Negócio fechado! Veja as contratações do mercado da bola

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.