Cosme Rímoli Presidente da CBF aos clubes. 'Se futebol parar, vocês estão fo...'

Presidente da CBF aos clubes. 'Se futebol parar, vocês estão fo...'

Reunião mostra como a CBF está disposta a enfrentar governadores que querem a paralisação do futebol. E revela apoio importante. Da TV Globo

  • Cosme Rímoli | Do R7

Presidente da CBF, com apoio, para a guerra contra paralisação. "A Globo quer (os jogos"

Presidente da CBF, com apoio, para a guerra contra paralisação. "A Globo quer (os jogos"

Reprodução/Youtube

São Paulo, Brasil

"As pessoas em casa sob bandeira vermelha, sob bandeira preta... eu não abrirei mão a não ser sob doutorado dos senhores de deixar de jogar as competições nacionais e retirar nas internacionais e incorporará as Estaduais.

"Então, por gentileza, vamos pensar agora: nós podemos parar o futebol?

"A Rede Globo não quer. Ninguém quer (parar o futebol), seus patrocinadores não querem. E se parar sabe quando nós temos a segurança de dizer que a gente pode voltar? Nunca.

"No dia que o Governador Mauricio disser que pode.

No dia que o Prefeito de São Nunca disser que pode.

"Eu não vou estar a mercê de nenhum deles. Eu vou... Landim, Galiotte, todos os presidentes.

"Eu vou mandar no futebol brasileiro e vou determinar que vai ter competição.

"E que vocês estão fodi... se não tiver (campeonatos)."

Simples e de maneira direta, o presidente da CBF, Rogério Caboclo, definiu para os presidentes dos principais clubes brasileiros a postura da entidade e da emissora que possui o direito do Campeonato Nacional, a TV Globo.

A fala, sem censura, em uma reunião virtual, acaba de ser divulgada pelo jornal O Dia, do Rio de Janeiro.

E deixa claro o que o blog vem publicando há tempos.

A CBF não vai aceitar outra paralisação por conta da Covid-19, como aconteceu em 2020.

Tem o respaldo da Globo, da Fifa, da Conmebol, dos patrocinadores e, principalmente, do Ministério da Saúde, que permite as partidas, seguindo o protocolo brasileiro, copiado do alemão.

Presidente do Palmeiras quis tempo para analisar. Caboclo não deu

Presidente do Palmeiras quis tempo para analisar. Caboclo não deu

Reprodução/Youtube

A transcrição da reunião continuou, depois destes discurso de Caboclo.

Mauricio Galiotte, presidente do Palmeiras.

"Podemos voltar a discutir esse assunto em outro momento, Rogério?"

Rogério Caboclo.

"Por que em outro momento?"

Mauricio Galiotte.

"Porque acho que a discussão é um pouco mais ampla, mas vou encerrar aqui a minha colocação."

Rogério Caboclo.

"Ótimo".

Francisco Battistotti, presidente do Avaí.

"Parabéns, Rogério, pela sua colocação. Parabéns por essa posição. O Avaí Futebol Clube acha a sua posição corretíssima. Aqui em Santa Catarina, só o Rubinho e eu sentimos na carne o que estão fazendo. Sentimos na carne a influência política determinando que seja cancelado o futebol catarinense. Um dia fecham a cidade. Outro dia por interferência por outros prefeitos fecham a outra. Parabéns, presidente Caboclo."

Rogério Caboclo.

"A gente está muito junto. Eu tenho 1.700 ligações. A gente tá muito junto. Fiquem com Deus. E vamos encerrar toda essa ligação."

Nilton Pinheiro, presidente do Brasil de Pelotas.

"Eu gostaria de conversar, presidente."

Caboclo.

"Não"

Nilton.

 "O senhor permite, senhor, com o maior respeito..."

Caboclo

"Eu quero te dizer com muito respeito que eu tenho muitas ligações. Então, eu quero também respeitar as pessoas que estão me esperando. A gente pode falar..."

Nilton.

"Eu queria fazer colocação. O Senhor abriu a votação e entendo que o objeto maior é o futebol. Eu entendo que a continuidade..."

Cabloco.

"Acho que já foi ouvido que todos querem a continuidade."

Nilton.

"Era isso que eu queria. Eu tinha entendido ao contrário. Me desculpa então o meu grau de entendimento ao contrário."

Caboclo.

"Algum presidente aqui presente é contra a continuidade?"

Ninguém responde...

Cabolo.

"Terminamos. Agora tenho algumas ligações particulares..."

Festa na pandemia é mais um infeliz capítulo na vida de Ronaldinho

Últimas