Cosme Rímoli Portuguesa surpreende. E pode evitar o previsível Fla-Flu na final

Portuguesa surpreende. E pode evitar o previsível Fla-Flu na final

Fluminense jogou com reservas e não teve a facilidade do Flamengo, ontem contra o Volta Redonda. Empate sofrido na semifinal do Carioca, contra a Portuguesa. 1 a 1

  • Cosme Rímoli | Do R7

A comemoração de Abel Hernández. Uruguaio empatou a sofrida partida com a Portuguesa

A comemoração de Abel Hernández. Uruguaio empatou a sofrida partida com a Portuguesa

Foto: Magá Jr/Ofotográfico/Folhapress

São Paulo, Brasil

Não há garantia alguma que Flamengo e Fluminense farão a final do Carioca de 2021.

Se o time de Rogério Ceni tem enorme vantagem diante do Volta Redonda, por haver vencido ontem por 2 a 0, seu primeiro jogo semifinal, hoje o Fluminense, que também jogou com reservas, por conta da Libertadores, na quinta enfrentará o Junior Barranquilla, sofreu para empatar com a Portuguesa por 1 a 1.

Nino, Calegari, Danilo Barcelos, Nenê, Luiz Henrique e Fred não entraram em campo.

O time de Felipe Surian não teve medo. Muito pelo contrário, pressionou o time improvisado por Roger Machado. O jogo na Ilha do Governador foi de tirar o fôlego. Mostrou a consistência que o fez chegar à inédita semifinal do Carioca. E porque não perdeu dos grandes.

Na Taça Guanabara foi muito bem. Venceu o Fluminense por 3 a 0 e o Vasco da Gama por 1 a 0, e empatou com Flamengo em 2 a 2 e o Botafogo em 1 a 1.

Entrou em campo dona da melhor defesa do Carioca, com apenas oito gols sofridos.

Com muita movimentação, correria e estrutura tática, a Portuguesa mereceu sair na frente do placar. Aos 12 minutos, Paulo Henrique Ganso estava ajudando a defesa, mas tocou com o braço na bola, depois de escanteio. 

O VAR foi fundamental para a marcação do pênalti.

Chay cobrou e marcou para a Portuguesa.

Roger adiantou a marcação do seu time.

Chay cobrou o pênalti da Portuguesa. Atacante é o mais técnico jogador da Ilha do Governador

Chay cobrou o pênalti da Portuguesa. Atacante é o mais técnico jogador da Ilha do Governador

Nathan Diniz / AAP

O que se viu foi os reservas do Fluminense, reforçados por Cazares, lutando no ataque. E a Portuguesa usando os contragolpes velozes.

Eram chances dos dois lados.

Os goleiros Neguete e Marcos Felipe se destacavam.

No segundo tempo, a Portuguesa voltou melhor, mas desperdiçou uma chance excepcional.

Chay roubou a bola de Matheus Ferraz, invadiu a área, tinha companheiros livres. Mas decidiu ser egoísta e chutou em cima do goleiro Marcos Felipe.

Gol desperdiçado aos cinco minutos e empate em seguida.

O próprio Ganso completou de cabeça cruzamento de Cazares. A bola parou no braço de Diego Guerra. O VAR  novamente salvou a arbitrade de Alexandre Vargas Tavares de Jesus. Pênalti. 

Abel Hernández cobrou com convicção, aos 15 minutos, 1 a 1.

A partida seguiu aberta. Com o Fluminense adiantado e a Portuguesa bem montada para contragolpear.

No final, o time de Roger Machado criou mais chances.

Mas o empate acabou justo.

A decisão quem irá disputar o título será no próximo domingo, dia 9.

O problema é que Roger terá a partida fundamental contra o Santa Fé, pela Libertadores, na quarta feira. 

Se o treinador resolver poupar outra vez contra a Portuguesa, poderá ter uma surpresa muito desagradável.

A decisão desta semifinal segue aberta...

Fluminense empata com a Lusa-RJ nas semis do Cariocão; veja as fotos

Últimas