Cosme Rímoli Palmeiras não consegue se livrar do 'problema' Luiz Adriano. R$ 1 milhão por mês só para treinar

Palmeiras não consegue se livrar do 'problema' Luiz Adriano. R$ 1 milhão por mês só para treinar

Com contrato até junho de 2023, rompido com a torcida, afastado do time, treinando sozinho, Luiz Adriano, 34 anos, não se importa. Recebe R$ 1 milhão por mês. Só sai pelo mesmo salário. Clubes não aceitam pagar tanto

  • Cosme Rímoli | Do R7

Luiz Adriano não está preocupado. Aos 34 anos, segue recebendo R$ 1 milhão por mês

Luiz Adriano não está preocupado. Aos 34 anos, segue recebendo R$ 1 milhão por mês

Palmeiras

São Paulo, Brasil

O Palmeiras pagou um ano e dois meses para Guerra apenas treinar, entre 2019 e 2020.

Ele recebia 85 mil dólares por mês, atuais R$ 478 mil.

O clube gastou R$ 7,1 milhões com o atleta que não usava.

A presidente Leila Pereira ficou assustada ao saber desses números.

Só que tem um problema ainda pior nas mãos.

Luiz Adriano.

Assim que o atacante se desligou do Spartak Moscou foi contratado a peso de ouro.

Em julho de 2019, assinou um contrato de quatro anos.

Até o meio de 2023.

Entre luvas e salários, ele recebe R$ 1 milhão por mês.

O desempenho do jogador jamais foi o que se esperava.

Contusões e Covid-19 atrapalharam seu rendimento.

Mas os treinadores ficaram decepcionados com o rendimento, com a falta de explosão muscular, de vibração, das arrancadas, da movimentação empolgante que marcaram a primeira fase de sua carreira.

Muito vaidoso, Luiz Adriano foi se irritando com as vaias dos torcedores do Palmeiras.

Passou a encará-los, desafiá-los. Principalmente as torcidas organizadas.

A situação foi ficando cada vez mais constrangedora.

Luiz Adriano jogando pior e mais vaiado.

Tudo piorou de vez quando ele marcou contra o Sport, em outubro, no Allianz Parque. 

Ele decidiu mandar a torcida organizada, que o vaiava quando tocava na bola, calar a boca.

Os torcedores exigiram retratação.

Passaram a pressionar a diretoria para se livrar do jogador.

Os pedidos chegaram até o ex-presidente Mauricio Galiotte.

E à atual, Leila Pereira.

A essa altura, ele já havia rompido com seu empresário Gilmar Veloz.

Abel Ferreira foi avisado pela nova diretoria que Luiz Adriano não seguirá no Palmeiras neste ano.

Ele vai passar a treinar, a partir do dia 19, em separado, como Guerra.

Ganhou uns dias a mais de folga para tentar arrumar clube.

Houve consultas do Internacional, do Cerro Porteño, do Fortaleza, do Botafogo.

Luiz Adriano encarou as torcidas organizadas. E as mandou calarem a boca

Luiz Adriano encarou as torcidas organizadas. E as mandou calarem a boca

Reprodução/Sportv

Só que, ao contrário de Galiotte, que aceitava "rachar o salário" de jogadores emprestados pelo Palmeiras, Leila Pereira é absolutamente contrária.

Ela não quer pagar para atletas palmeirenses atuarem em outras equipes.

E os clubes não querem bancar R$ 1 milhão pelo atacante.

Assim como ele só aceita ir para uma equipe importante, com time forte.

A situação já pesa.

O jogador tem a solidariedade de todo o elenco.

Abel Ferreira teve inúmeras conversas, fez o que pôde para recuperá-lo.

Mas seu desempenho em 2021 foi fraquíssimo.

Apenas cinco gols.

Luiz Adriano e Junior Mendoza, seu novo empresário, não têm pressa.

Analisam o mercado norte-americano.

Mas sem afobação.

Se não surgir uma negociação que entendam ser interessante, o jogador seguirá treinado sozinho.

E recebendo, no fim do mês, R$ 1 milhão.

Leila não cansa de cobrar Anderson Barros.

Quer que ele encontre um clube para o atacante.

O "mais rápido possível".

Na sua visão como empresária é absurdo um empregado receber sem produzir.

O único caminho.

Seria a rescisão amigável.

Mas o jogador não se mostra disposto a perder dinheiro.

Sabe que, em abril, fará 35 anos.

Não encontrará um clube que lhe pague R$ 1 milhão por mês.

Por isso segue treinando.

E ganhando seu salário milionário...

Mercado da bola: confira as negociações do seu clube para 2022

Últimas