Cosme Rímoli Palmeiras, Fla, Atlético. Semi da Libertadores virou Copa do Brasil

Palmeiras, Fla, Atlético. Semi da Libertadores virou Copa do Brasil

Jamais um país teve três clubes semifinalistas da Libertadores. O Brasil conseguiu. Tem Palmeiras, que enfrentará o Atlético Mineiro. E o Flamengo, que terá pela frente o Fluminense ou o Barcelona. É a força do dinheiro

  • Cosme Rímoli | Do R7

O dinheiro do mecenas Rubens Menin conseguiu contratar uma seleção sul-americana

O dinheiro do mecenas Rubens Menin conseguiu contratar uma seleção sul-americana

Yuri Edmundo/EFE 18.08.21

São Paulo, Brasil

Palmeiras, Atlético Mineiro e Flamengo.

Mesmo que o Fluminense caia diante do Barcelona, em Guayaquil, os clube brasileiros já conseguiram algo inédito em 61 anos de disputa.

Jamais um mesmo país teve três semifinalistas da Libertadores da América.

É a vitória do poderio financeiro.

Os três clubes mais ricos do país conseguiram montar os elencos mais poderosos do continente sul-americano. Simples assim.

O Palmeiras já havia despachado o São Paulo, ontem, por 3 a 0.

O Flamengo e o Atlético Mineiro deram espetáculos diante do Olimpia e do River Plate.

O time de Renato Gaúcho voltou a golear os paraguaios. Se em Assunção, venceu por 4 a 1, em Brasília, ganhou por 5 a 1. Com direito a dois gols de Gabigol, Willian Arão, Bruno Henrique e Salcedo contra. Recalde descontou.

A distância entre os dois clubes pode ser medida no placar agregado. Flamengo 9 a 2.

A torcida no Mané Garrincha gritou, ao final da partida, o nome de quem ela considerou o responsável por mais 90 minutos de delírio: Renato Gaúcho.

O dinheiro do Flamengo vem do seu poder de massa. Time mais popular do Brasil

O dinheiro do Flamengo vem do seu poder de massa. Time mais popular do Brasil

Reprodução/Twitter Bruno Henrique

Já no Mineirão, o Atlético Mineiro não teve o menor respeito pelo tradicional River Plate, de Marcelo Gallardo. E com uma atuação ofensiva, segura, a seleção montada pelo bilionário mecenas Rubens Menin voltou a vencer.

Se na Argentina, o jogo foi sofrido, com vitória suada, por 1 a 0, no Mineirão, o time de Cuca se impôs. Atuando de forma ofensiva, vibrante, sem dar chance ao River Plate.

O argentino Zaracho marcou dois gols. O primeiro, um golaço sensacional, de sem pulo. Hulk fez o seu encobrindo, com um toque sutil, o ótimo goleiro Armani. E Zaracho, de cabeça, selou o placar.

Com a derrota, o ciclo de Marcelo Gallardo deve ter terminado no River Plate. 

As semifinais da Copa Libertadores estão desenhadas.

A primeira delas, sensacional.

Colocará Palmeiras e Atlético Mineiro frente a frente. Valendo vaga para a final.

O primeiro jogo será no Allianz Parque. 

O segundo, e decisivo, no Mineirão.

O bilionário elenco montado com o apoio da Crefisa, maior patrocinadora da América do Sul, atual campeão da Libertadores, contra a seleção sul-americana articulada com o dinheiro da construtora MRV, que pertence a Rubens Menin. E que usa o time como grande atrativo dos torcedores para o estádio para 46 mil atleticanos, que está construindo em Minas Gerais.

O dinheiro da Crefisa foi fundamental para a montagem do time palmeirense

O dinheiro da Crefisa foi fundamental para a montagem do time palmeirense

Cesar Greco/Palmeiras

Na outra semifinal, o poderoso Flamengo, mantido com o dinheiro do clube mais popular do Brasil, diante do surpreendente Fluminense ou do competitivo Barcelona, de Guayaquil.

Jamais um país viveu essa realidade.

O Brasil se firma como o país mais poderoso no futebol sul-americano.

Não pelo talento nato de seus jogadores.

Mas pelo dinheiro.

Os elencos dos três classificados são os mais caros do continente.

E contam com três treinadores campeões da Libertadores.

Nada é por acaso no futebol moderno, capitalista.

A explicação dos três semifinalistas brasileiros é financeiro...

Gabigol já é o 4º entre brasileiros com mais gols na Libertadores

Últimas