Cosme Rímoli O segredo da felicidade do Corinthians: 16 contratações e Vítor Pereira. O novo acordo, de 31 anos, para pagar o estádio em Itaquera

O segredo da felicidade do Corinthians: 16 contratações e Vítor Pereira. O novo acordo, de 31 anos, para pagar o estádio em Itaquera

Em silêncio, Andrés Sanchez, homem que domina o clube desde 2007, amarrou um acordo excepcional para pagar a dívida do estádio, com a Caixa Econômica. 31 anos para pagar. Com acesso ao dinheiro da arrecadação

  • Cosme Rímoli | Do R7

Andrés Sanchez, entusiasmado, amarrou todo o acordo pelo estádio. Corinthians terá 31 anos para pagar

Andrés Sanchez, entusiasmado, amarrou todo o acordo pelo estádio. Corinthians terá 31 anos para pagar

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

Giuliano, Renato Augusto, Róger Guedes...

Carlos Miguel, João Pedro, Willian...

Paulinho, Bruno Melo, Robson Bambu...

Ivan, Júnior Moraes, Maycon...

Rafael Ramos, Yuri Alberto, Balbuena e Fausto Vera.

Mais Vítor Pereira e comissão técnica contratados por 300 mil euros, cerca de R$ 1,6 milhão.

Qual o segredo para o Corinthians contratar 16 reforços na gestão Duílio Monteiro Alves, se o candidato delegado e ex-presidente fazia o seguinte discurso em novembro de 2020?

"O Corinthians tem uma dívida de R$ 1 bilhão, fora o estádio. O quadro é pré-falimentar. Não se consegue pagar salários em dia. Se não mudarmos a gestão ficaremos piores que o Cruzeiro."

Em 2022, a situação não é tão alarmante. Pelo contrário. O clube deve cerca de R$ 500 milhões, fora o estádio. Empréstimos a bancos, dívidas trabalhistas, processos gerais. E tem conseguido fazer vários acordos.

Mas o ponto principal, como havia prometido o ex-presidente Andrés Sanchez, como último ato no comando oficial do clube, foi a excepcional renegociação da dívida da construção do estádio em Itaquera.

Não está pagando um centavo em 2022. Só pagará juros em 2023. Só em 2025 passará a pagar parcelas do valor principal de R$ 611 milhões.

R$ 300 milhões serão pagos pela Hypera Pharma, dona dos naming rights do estádio por 20 anos, até 2041.

4,5 milhões de dólares, R$ 25 milhões, por 70% de Fausto Vera. Meio-campista argentino, 22 anos. Comprado

4,5 milhões de dólares, R$ 25 milhões, por 70% de Fausto Vera. Meio-campista argentino, 22 anos. Comprado

AFP

E esticou o pagamento em 13 anos. 

Ou seja, a dívida que deveria ser paga pelo estádio até 2028 ganhou mais 13 anos para ser resolvida.

Ou seja, em 2041, quando será paga a última parcela do acordo com a Hypera Pharma.

O Corinthians, na prática, terá de pagar R$ 311 milhões.

O empréstimo de R$ 400 milhões da Caixa Econômica Federal foi feito em 2010!

Ainda há mais. Foi corrigido o absurdo acordo que previa que todo o dinheiro arrecadado seria destinado ao pagamento do empréstimo à Caixa Econômica Federal. A partir de 2023, o clube ficará com uma grande parcela do que os torcedores pagarem para assistir aos jogos. Entre 50% e 80%!

A direção garante que a dívida com a Odebrecht já foi paga.

No início de julho, com as grandes contratações feitas pela diretoria, o clube já arrecadou mais de R$ 50 milhões. A tendência, dependendo dos resultados, é ganhar uma quantia muito próxima a essa no segundo semestre.

Róger Guedes, R$ 1,3 milhão por mês. Um dos maiores salários do futebol brasileiro. No Parque São Jorge

Róger Guedes, R$ 1,3 milhão por mês. Um dos maiores salários do futebol brasileiro. No Parque São Jorge

Rodrigo Coca/Corinthians

No ano passado, o clube arrecadou R$ 266 milhões só com a transmissão de seus jogos. Com a ótima campanha na Libertadores, na Copa do Brasil e no Brasileiro, a esperança é, caso o clube conquiste pelo menos um título, ou chegue à final, atingir os R$ 300 milhões.

Há ainda o dinheiro do marketing, da transferência de jogadores, dos sócios-torcedores, que voltaram após a pandemia.

Ou seja, o Corinthians respira e muito bem em relação a dois anos, por exemplo.

E, sigilosamente, Andrés Sanchez, que ainda comanda o grupo político que domina o clube desde 2007, articula a busca de um sócio disposto a injetar dinheiro no futebol do Corinthians. 

Andrés ficou alguns dias em Belo Horizonte, acompanhando como seu amigo Ronaldo lida como "dono do Cruzeiro". O ex-presidente não quer que um investidor tenha tanto poder no Parque São Jorge. 

Ou seja, aceitaria um sócio, mas com a direção corintiana sendo majoritária.

"Não é fácil, porque o investidor que coloca R$ 300, R$ 400 milhões quer mandar no clube. Por isso, o Andrés está procurando achar uma fórmula", revela ao blog um conselheiro muito próximo do ex-dirigente.

Mas Andrés Sanchez já está empolgadíssimo.

Seu plano deu mais do que certo.

Ele conseguiu o sonhado estádio do Corinthians em 2010.

Andrés corrigiu o péssimo acordo que havia feito. E agora busca um 'grande investidor' para o Corinthians

Andrés corrigiu o péssimo acordo que havia feito. E agora busca um 'grande investidor' para o Corinthians

Agência Corinthians

O clube só terminará de pagar 31 anos depois.

Andrés Sanchez, que foi tão massacrado pelo antigo acordo, sorriu por último.

Graças a esses acordos improváveis é que o Corinthians pôde contratar 16 inesperados reforços.

Ainda sonda o mercado, com indicações do português Vítor Pereira.

E briga para valer pela Libertadores, Copa do Brasil e Brasileiro.

Algo inacreditável em novembro de 2020...

Cinema, spa e até campo de futebol! Veja a mansão de mais de R$ 100 milhões de CR7

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas