Cosme Rímoli Noite de guerra. Palmeiras e Corinthians querem se sabotar

Noite de guerra. Palmeiras e Corinthians querem se sabotar

Maiores rivais de São Paulo lutarão para atrapalhar o caminho do adversário. Ninguém poupa ninguém. Vale tudo por uma vitória

  • Cosme Rímoli | Do R7

Palmeiras e Corinthians. Não há partida tranquila. Dois maiores rivais de São Paulo se odeiam

Palmeiras e Corinthians. Não há partida tranquila. Dois maiores rivais de São Paulo se odeiam

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

O maior prazer no futebol em 2020, para Mauricio Galiotte, não há dúvida.

Foi no dia 22 de julho.

Não pela conquista do Campeonato Paulista, que ele segue considerando 'Paulistinha', quando faz o planejamento do Palmeiras para o ano.

A satisfação veio do fato de o clube ter evitado o tricampeonato estadual do Corinthians, em pleno Allianz Parque.

A rivalidade ainda é fortíssima entre as diretorias palmeirenses e corintianas.

Há o São Paulo e o Santos.

Mas os grandes rivais paulistas estão no Palestra Itália e no Parque São Jorge.

Ao longo de décadas, os dois vivem de dar troco no 'arquiinimigo'.

Cada conquista do 'outro lado' traz pressão, cobranças, menos paciência dos conselheiros, da torcida.

A mesma lógica vale hoje para Duílio Monteiro Alves.

Ele acompanha de perto que o Palmeiras é finalista da Libertadores da América e da Copa do Brasil. Se vencer os dois torneios será uma façanha gigantesca.

O pior, para os corintianos, é que há ainda a chance, difícil, do título do Campeonato Brasileiro.

Duílio sabe que duas competições, o que seu clube pode fazer contra o Palmeiras é torcer. 

Mas o Campeonato Nacional, não.

Vagner Mancini, vivido, soube muito bem fazer a leitura dessa situação.

Mancini conseguiu revolucionar o desacreditado elenco corintiano. Quer a Libertadores

Mancini conseguiu revolucionar o desacreditado elenco corintiano. Quer a Libertadores

Agência Corinthians

E preparou o Corinthians hoje como se fosse para uma final, no Allianz Parque.

Precisa ganhar para se firmar ainda mais no cargo.

Cássio, Fagner, Jermerson, Gil e Fábio Santos; Gabriel e Cantillo; Mosquito, Casares e Matheus Vital; Gil.

Mancini treinou muita compactação, intensidade, velocidade nos contragolpes.

Ele aproveitar o esgotamento físico o Palmeiras, que enfrenta uma maratona de jogos seguidos pelo Brasileiro, Libertadores e Copa do Brasil.

Mesmo jogando na arena palmeirense, a ordem de Mancini é ter personalidade, atitude. Se impor, encurralar o rival.

Abel Ferreira não quer abrir mão do Brasileiro.

Ou pelo menos não sair da competição pelas mãos do grande rival.

Por isso, 'compra a briga'. Colocará, como o blog informou no sábado, a maioria de titulares que pode entrar em campo.

Nada de rodízio.

Galiotte considera o estadual como Paulistinha. Mas evitar o tri do Corinthians foi 'especial'

Galiotte considera o estadual como Paulistinha. Mas evitar o tri do Corinthians foi 'especial'

Cesar Greco/Palmeiras

O time mais forte possível.

A palavra 'clássico' significa muito para o português.

Weverton, Mayke (Emerson Santos), Luan, Alan Empereur e Viña; Gabriel Menino, Danilo e Raphael Veiga e Gabriel Scarpa; Rony e Luiz Adriano.

A ordem de Abel é clara.

Repetir o primeiro tempo contra o Grêmio, na sexta-feira.

Imprensar o adversário no seu campo.

Mas ter mais consciência nas finalizações.

O Palmeiras poderia ter goleado e apenas empatou, porque cansou no segundo tempo.

A determinação será tentar 'matar o jogo' nos primeiros 45 minutos.

Abrir uma vantagem, por exemplo, de dois gols

E se postar para os contragolpes, se desgastando muito menos.

Felipe Melo, que está se recuperando da cirurgia no tornozelo esquerdo, e já voltou aos treinamentos, foi importante na preparação para o clássico.

Motivando os companheiros, deixando claro para Ferreira o que significa a vitória no ambiente do clube.

Mancini já salvou a temporada para o Corinthians.

O clube estava ameaçado pelo rebaixamento e agora é nono no Brasileiro.

Uma vitória além de complicar a vida do rival, coloca o clube de vez na luta pela Libertadores.

O Palmeiras é sexto.

Os três pontos levaria a equipe à quarta colocação, a seis pontos do decadente líder São Paulo.

E deixaria o Corinthians estagnado, mais perto da Sul-Americana e não da Libertadores de 2021.

O clássico das 19 horas vale muito.

E terá consequências imediatas para os dois clubes

Para Abel e para Mancini.

Aos jogadores que querem se firmar.

E para Galiotte e Duílio.

A noite desta segunda será importantíssima para o final da temporada 2020.

O clima no Parque São Jorge e no Palestra Itália é conhecido.

De final de campeonato...

Inter e Atlético têm mais de 20% de chance de título brasileiro cada um

Últimas