Cosme Rímoli Nobre desiste e admite. Leila e Galiotte dominam o Palmeiras

Nobre desiste e admite. Leila e Galiotte dominam o Palmeiras

Ele tinha esperança de retornar um dia ao clube. Mas percebeu que não tem apoio político para enfrentar a rival, Leila Pereira, e o sucessor, Galiotte

Paulo Nobre, Palmeiras, Galiotte

Paulo Nobre perdeu a guerra que mantinha com Leila Pereira

Paulo Nobre perdeu a guerra que mantinha com Leila Pereira

Reprodução/Instagram

São Paulo, Brasil

Paulo Nobre causou surpresa.

Mas sua postura é definitiva.

Ao dar seu apoio público ontem a Genaro Marino, na eleição para a presidência do Palmeiras, marcada para o próximo dia 29, o bilionário deixou claro o que já havia antecipado a conselheiros.

Ele desistiu de voltar a ser presidente do Palmeiras.

Sua decisão é definitiva.

Nobre presidiu o clube entre 2013 e 2016.

E tinha como braço direito Mauricio Galiotte.

O fez seu sucessor em novembro de 2016.

Só que houve o rompimento entre eles. 

O motivo, Leila Pereira.

A dona da Crefisa decidiu ser presidente do Palmeiras.

No mesmo período que Nobre pretendia voltar, após dois mandatos de Galiotte, já que a oposição estava destroçada.

A empresária conseguiu o mesmo apoio da esmagadora maioria de conselheiros que apoiava Nobre.

Nobre e Leila entraram em conflito.

E Galiotte ficou ao lado de Leila, que foi eleita como conselheira, com votação recorde, a maior da história do Palmeiras.

Veja mais: Ainda sem Willian e Hyoran, Verdão se prepara para encarar Atlético-MG

Durante os dois anos que está no cargo, o atual presidente e Pereira foram conseguindo cada vez mais apoio político. Conseguiram uma vitória fundamental ao aprovarem a mudança do estatuto do clube, passando o mandato presidencial de dois para três anos.

A alteração era fundamental. Para que Leila tivesse o tempo mínimo necessário como conselheira para concorrer à presidência. E a mudança foi feita. Ela está pronta para concorrer em 2021.

Nobre fez uma leitura profunda da política palmeirense para pessoas mais próximas.

E percebeu que não há espaço para seu retorno.

Mustafá Contursi, histórico presidente palmeirense, está afastado do clube. Perdeu muita força com uma briga pública com Leila, envolvendo distribuição de ingressos.

Os antigos presidentes não têm como contestar o sucesso econômico e esportivo do clube. Com a nova arena, as centenas de milhões do patrocínio bancado por Leila, as arrecadações, o dinheiro de transmissão da tevê, o plano de sócio-torcedor, o Palmeiras é o clube que mais fatura na América do Sul.

Paulo Nobre e Leila Pereira entraram em conflito. Por disputa de apoio político

Paulo Nobre e Leila Pereira entraram em conflito. Por disputa de apoio político

Agência Palmeiras

E não há porque romper essa corrente financeira.

Galiotte perder a reeleição é algo impensável.

Assim também como Leila não seguir seu caminho para a presidência em 2021.

Veja mais: Palmeiras tem a tabela mais difícil até o fim do Brasileirão, diz Jean

Já sonhando até com a reeleição em 2024.

Ou seja, o Palmeiras ficou inviabilizável politicamente para Nobre.

E ele admite isso.

Além de tudo isso, segue 'inimigo número um da Mancha Verde'.

O bilionário encara como esforço sem sentido tentar voltar.

Os caminhos para Nobre estão fechados no Palmeiras.

Veja mais: Após clubes europeus ensaiarem Superliga, Fifa diz que pode banir craques da Copa

Em maio, recebeu os R$ 146 milhões que ele emprestou ao clube, nos seus quatro anos de administração.

A pressa de Galiotte em pagar o dinheiro era para cortar qualquer elo com o ex-presidente e Palmeiras.

A harmonia entre Leila e Galiotte deve garantir o poder no Palmeiras até 2024

A harmonia entre Leila e Galiotte deve garantir o poder no Palmeiras até 2024

Agência Palmeiras

Conseguiu.

Nobre diz a amigos que vai seguir sua vida.

Palmeirense, mas longe do clube.

Perdeu a disputa política para Leila e Galiotte...

Curta a página R7 Esportes no Facebook

Confira quem são os fregueses nos principais clássicos do Brasil

    Access log