Neymar, sem saída. Barça não o quer. Só restou ficar no PSG

O brasileiro disfarça, diz que escolheu ficar em Paris. Na verdade, deixou de ser prioridade ao Barcelona. A saída foi ser adulto e cumprir seu contrato

Neymar não teve outra saída. A não ser ficar no PSG. Nada de Barcelona. Nem Messi

Neymar não teve outra saída. A não ser ficar no PSG. Nada de Barcelona. Nem Messi

Divulgação/PSG

São Paulo, Brasil
As lágrimas, após a derrota para o Bayern, na final da Champions, já denunciavam.

Neymar estava arrasado.

Porque, aos 28 anos, ele percebeu que o mundo não está à sua disposição.

Uma descoberta que costuma ser normal para um adolescente.

Ou para um adulto que não 'quer crescer', típico caso da 'Síndrome de Peter Pan', personagem infantil, criado pelo britânico  J. M. Barrie, retratado no livro Peter and Wendy, em 1911.

Peter, se nega a virar adulto, vive na Terra do Nunca,com os 'garotos perdidos', bebês que caíram dos carrinhos de babás descuidadas.

Psicólogos aproveitaram a analogia e de maneira simplista relacionaram homens infantilizados, incapazes de encarar a responsabilidade da vida adulta. Os rotularam com a Síndrome de Peter Pan. E venderam milhões de livros na década de 80.

Neymar deixa as decisões adultas na sua carreira para seu pai. Seus parças, amigos que banca inanceiramente para que os acompanhar onde estiver neste mundo, representam os 'garotos perdidos' que não largam Peter Pan.

Paris, pelo menos até 2022 será para o brasileiro a sua Terra do Nunca, onde seguirá preso. Onde será o principal personagem, sem liberdade para voltar onde gostaria, a Espanha, a Catalunha.

Arrependido de ter virado as costas para o Barcelona, para Messi, depois de três anos, ele sonhava com uma volta triunfal.

Comandante da primeira conquista da Champions na história do Paris Saint-Germain. Escolhido melhor do mundo. E encontrando Messi e Suárez, seus grandes amigos, de braços abertos.

O sonho do "Peter Pan" Neymar não acontecerá. Messi e Suárez só em fotos antigas

O sonho do "Peter Pan" Neymar não acontecerá. Messi e Suárez só em fotos antigas

EFE/Quique García

Nada disso acontecerá.

"Vou ficar no PSG na próxima temporada. Fico com a ambição de chegar à final da Liga dos Campeões novamente, e desta vez ganhá-la. Gosto da ideia de fazer tudo ao meu alcance para colocar meu nome nos livros da história do clube."

Justamente Neymar, que detesta livros, quer ficar naqueles que detalharão a história do PSG.

Na verdade, ele não teve escolha.

Primeiro, porque o Barcelona assume que perdeu cerca de 300 milhões de euros, cerca de R$ 1,9 bilhão, com a pandemia.

Segundo, porque a diretoria do clube estava dividida em relação ao brasileiro. Suas farras, chiliques, simulações não condizem com o comportamento exigido no clube que divulga a vontade da Catalunha em conseguir sua independência da Espanha.

Neymar chorava pela derrota. E por seu futuro. O PSG não o largará até 2022

Neymar chorava pela derrota. E por seu futuro. O PSG não o largará até 2022

UEFA/Champions League

Terceiro porque ele já tem 28 anos e duas fraturas no mesmo quinto metatarso da pé direito. Fato que sempre foi levado em consideração pelos grandes clubes europeus.

E quarto, o principal motivo, o PSG tem o brasileiro sob contrato até 2022.

Na França, não há multa rescisória.

O clube pode pedir quanto quiser por seu jogador.

O PSG pagou 222 milhões de euros, R$ 1,4 bilhão em valores atuais, o transformou no jogador mais caro do mundo. E o quer até o final do contrato.

O clube pertence à bilionária família real qatariana. Será no Qatar o Mundial de 2022. Neymar acaba como um dos garotos-propaganda do torneio.

A saída seria Neymar ir à final para uma briga jurídica até conseguir um preço de seus direitos. Desde que o Barcelona estivesse por trás. A batalha poderia levar meses e meses. 

Mas os catalães nem cogitam Neymar, preocupados estão em tentar segurar Messi, renovar a equipe, sob o duro comando do holandês Koeman. A ordem é rejuvenecer o elenco. Tanto que Suárez não ficará, mesmo se oferecendo para ser reserva.

Como o blog adiantou, na entrega da medalha pelo vice da Champions, Neymar chorando, foi abraçado pelo presidente/dono do PSG, Nasser Al-Khelaifi. Ele prometeu que o PSG será reforçado e que valeria a pena seguir no clube.

Antes de ir para suas farras tradicionais em Ibiza, onde está de férias, Neymar teve de encarar a realidade.

Se viu adulto no rompimento com a Nike, empresa que não lhe deu apoio na acusação de estupro de Najila Trindade. O destrato foi feito, antecipado em dois anos. A partir da amanhã, dia 1 de setembro, ele estará livre.

A Puma, que já tem Lewis Hamilton, Usain Bolt e Suárez, entre outras estrelas, está na frente na briga pelo brasileiro. A Adidas também tem interesse.

Neymar fez de tudo para divulgar a Nike. Depois de 15 anos, casamento acabou

Neymar fez de tudo para divulgar a Nike. Depois de 15 anos, casamento acabou

Benoit Tessier/Reuters - 10.1.2018

Neymar falou à revista oficial do PSG como um funcionário bem comportanto. Muito diferente do jogador revoltado no início deste ano, deixando claro que ficou 'forçado' pelo contrato no clube francês.

"Se as pessoas duvidavam da presença do PSG como um grande clube europeu, essas dúvidas morreram em Lisboa

"Saímos com a sensação de estarmos renovados e com confiança na nossa capacidade de um dia conquistar a Liga dos Campeões para escrever uma história ainda maior."

Declarações que parecem de um relações públicas, não de Neymar.

Mas sua realidade é essa.

Não havia saída.

A não ser seguir no PSG.

E buscar outro contrato milionário para substituir a Adidas.

A volta ao Barcelona ficou impossível em 2020.

Sonhar, em 2021, a caminho dos 30 anos, será ainda mais improvável.

Por isso Neymar chorou tanto na final da Champions.

Pelo título perdido.

E por seu futuro.

Descobriu não ser Peter Pan.

Foi obrigado a olhar no espelho.

E enxergar um adulto mergulhado na frustração.

Como acontece com todos nesta vida...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

De visual novo, Neymar passa férias com filho, pai e amigos, em Ibiza