Seleção brasileira

Cosme Rímoli 'Não' a Corinthians, Flamengo, Internacional, Fluminense. Cuca não quer trabalhar em 2022. Espera a Seleção em 2023

'Não' a Corinthians, Flamengo, Internacional, Fluminense. Cuca não quer trabalhar em 2022. Espera a Seleção em 2023

Cumprindo a promessa que fez para a direção do Atlético Mineiro, de não trabalhar em 2022, Cuca já teve de recusar clubes importantes. Está com a ideia fixa que assumirá a Seleção

  • Cosme Rímoli | Do R7

Cuca é o treinador mais desejado do país. Mas está 'de resguardo' esperando a Seleção Brasileira

Cuca é o treinador mais desejado do país. Mas está 'de resguardo' esperando a Seleção Brasileira

JHONY PINHO/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

São Paulo, Brasil

O telefone de Cuca tem tocado com insistência esse ano.

Desde que abandonou o Atlético Mineiro foram várias consultas.

Jornalistas de três estados seguiram ligando nestes seis meses.

Os clubes que estariam interessados nele variaram.

Corinthians, Fluminense, Internacional, Grêmio e, agora, Flamengo.

A resposta tem sido direta.

O atual treinador campeão brasileiro diz 'não'.

Ele fez uma promessa à direção do Atlético Mineiro ao não seguir em 2022.

Cuca jurou que ficaria a temporada toda sem trabalhar.

Cuidando de problemas com doença na família.

E apostando no seu projeto pessoal.

Ele não diz nem torturado qual é este 'projeto pessoal'.

Mas a direção do Atlético Mineiro tem certeza do que é.

Cuca está apostando que este ano sabático será fundamental.

Para que ganhe força política para assumir a Seleção Brasileira em 2023. 

Ele acompanha com toda a atenção a corrida para suceder Tite.

Sabe que o presidente da CBF, Ednaldo Pereira, não vê com mal olhos a contratação de um técnico estrangeiro.

O lobby que havia para Jorge Jesus ficou abalado com sua postura pressionando a direção do Flamengo. Que deu errado e ele assinou com o Fenerbahce, da Turquia.

Um novo movimento, ainda tímido, avalia Abel Ferreira.

Mas Cuca tem seus defensores.

Até mesmo Tite seria um deles.

O atual técnico gostaria de ver um brasileiro seguir comandando a Seleção.

Por isso, Cuca anda misterioso.

Com seus telefonemas curtos, sem grande exposição.

Esperando apenas a Copa acabar.

E 2023 chegar.

Sem trabalhar nos próximos seis meses.

Como havia prometido para os dirigentes do Atlético Mineiro...

Por que estátua da cabeçada de Zidane gera polêmica no país da Copa do Mundo

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas