Cosme Rímoli Nagoya se vinga de Jô. E Corinthians perde atacante contra o Palmeiras

Nagoya se vinga de Jô. E Corinthians perde atacante contra o Palmeiras

Clube japonês processa o atacante na Fifa por 'abandono'. Contrato durava até janeiro de 2021. Não quis liberar documentação. Corinthians sabia

  • Cosme Rímoli | Do R7

O Nagoya Grampus fez questão de não liberar os documentos de Jô

O Nagoya Grampus fez questão de não liberar os documentos de Jô

Corinthians

São Paulo, Brasil

No futebol atual não há espaço para inocência.

E não houve inocência no Parque São Jorge.

A direção do Corinthians desejava que não fosse verdade, mas sabia da enorme possibilidade de não ter sua mais importante contratação contra o Palmeiras.

Aquele que seria a grande atração no Itaquerão.

Talvez no Campeonato Paulista.

E há chances de não ter o jogar nem no início do Brasileiro, no começo da sua participação na Copa do Brasil.

Por uma questão muito simples.

Primária, até.

O Nagoya Grampus está processando Jô na Fifa.

Ou seja, não teve o menor interesse em mandar a documentação do jogador, para que fosse inscrito pelo Corinthians e pudesse disputar o Campeonato Paulista.

Ou seja, os documentos de Jô não chegaram à CBF para a liberação da inscrição na Federação Paulista de Futebol.

Não foi por falta de tentativa do Corinthians.

Os contatos foram feitos e não foram respondidos pelo clube do Japão.

Jô foi anunciado oficialmente pelo clube paulista no dia 17 de junho. Ou seja, há mais de um mês.

Daria tempo de sobra para chegar a documentação.

O problema é mais grave do que parece.

Jô tinha contrato com os japoneses até janeiro de 2021.

Ele se desentendeu com o treinador italiano Massimo Ficcadenti. E passou a não ser mais escalado.

Em abril, decidiu voltar para o Brasil.

De acordo com a direção do Nagoya não houve acerto.

O clube decidiu se pronunciar oficialmente.

Para não se tornar 'vilão' na situação, como se não quisesse pagar ao brasileiro.

"O Nagoya Grampus anuncia que o contrato com Jô (João Alves de Assis Silva) foi cancelado por justa causa. Além disso, esse assunto está atualmente confiado à Câmara de Resolução de Disputas da Fifa", publicou nas suas redes sociais, no dia 21 de junho, ou seja, há um mês.

Jô virou mero reserva com treinador italiano. Deixou o Japão e voltou ao Brasil

Jô virou mero reserva com treinador italiano. Deixou o Japão e voltou ao Brasil

Nagoya Grampus

O clube cobra uma multa milionária pelo 'abandono' do jogador, com contrato válido até janeiro de 2021.

E, desde lá, a situação não mudou legalmente.

O Corinthians anunciou o contrato com o atacante, até dezembro de 2023. Com o salário de R$ 700 mil mensais. Mais bônus.

Só que não recebeu a documentação para inscrevê-lo.

Porque o clube japonês cancelou o contrato.

Mas processa o atleta junto à Fifa.

O Corinthians solicitou que a Federação Japonesa de Futebol enviasse o Certificado Internacional de Transferência. E ele só chegaria se o Nagoya o liberasse.

Não liberou.

Sem o CIT não há como inscrevê-lo na CBF.

E nem na Federação Paulista de Futebol.

Discretamente, Tiago Nunes foi avisado da situação.

Já nem contava com o atacante de 33 anos.

Não houve inocência do Corinthians.

Mas silêncio.

Um conselheiro importante do clube confirmou ao blog.

O Corinthians tomaria a mesma atitude.

Se a diretoria acredita que o jogador abandonou a equipe, voltou para o seu país, deixou tudo em aberto, e o clube o processasse na Fifa, não liberaria a documentação.

Diretoria do Corinthians sempre soube do processo contra Jô, na Fifa

Diretoria do Corinthians sempre soube do processo contra Jô, na Fifa

Corinthians

A situação de Jô é mais complicada do que parece.

A decisão da Câmara de Resolução de Disputas da FIFA pode demorar.

E o clube japonês seguir o impedindo de jogar.

Até porque seu contrato foi 'cancelado'.

Não rescindido...

Com saída de Dudu, quem se tornou o jogador mais bem pago do Brasil?

Últimas