Moro viajará para o Paraguai. Mas não visitará Ronaldinho

Ministro da Justiça do Brasil estará em Assunção este mês. A assessoria de Moro desmente governo paraguaio. Não verá o ídolo no cárcere

Ministro paraguaio revelou: Moro queria Ronaldinho fora da cadeia

Ministro paraguaio revelou: Moro queria Ronaldinho fora da cadeia

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

Já é público.

O governo brasileiro se posicionou.

Mas fará mais.

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, quis saber das condições de segurança do presídio onde estão Ronaldinho Gaúcho e seu irmão Assis.

Como também perguntou sobre a possibilidade, de que os dois respondessem pela acusação do uso de passaportes falsos, em libertade.

A revelação é do ministro do Interior do Paraguai, Euclides Acevedo.

Até então, ontem foi divulgada, e confirmada pela assessoria de Moro, a ligação do ministro para saber qual era a real situação de Ronaldinho Gaúcho.

"O ministro Moro me escreveu no sábado (dia 7) e perguntou sobre a situação de Ronaldinho.

"Quis saber se ele e Assis poderiam ser libertados.

"Respondi que não depende de mim.

"(Moro) também perguntou se estão em um local seguro, e respondi que sim.

"Ele não gostou da prisão de Ronaldinho."

A revelação foi explorada pela imprensa paraguaia como uma demonstração de autonomia do país, do governo de Mario Abdo Benítez.

O ídolo brasileiro seguirá preso na Agrupácion Especializada da Policia Nacional, em Assunção, enquanto todos os pontos envolvendo seu passaporte falsificado não forem esclarecidos.

Ronaldinho na cadeia paraguaia

Ronaldinho na cadeia paraguaia

Reprodução/Twitter

O governo paraguaio quer ter certeza se ambos não estão ligados em um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de impostos.

Em nota oficial, Moro confirmou o contato.

Mas destacou.

"Em nenhum momento, houve interferência na apuração promovida pelo Estado paraguaio. O Ministério da Justiça e da Segurança Pública preza pela soberania dos Estados e pela independência dos órgãos judiciários."

Ele estará no Paraguai dias 26 e 27 deste mês, para dar palestra sobre segurança e cooperação penitenciária.

O encontro com a Ministra da Justiça do Paraguai, Cecilia Pérez, já estava programado, antes da prisão do ídolo brasileiro.

O governo paraguaio previa uma visita do ministro a Ronaldinho.

Jornalistas já comentavam nos veículos de comunicação paraguaio sobre esse provável encontro.

Afinal, Ronaldinho é embaixador do turismo do governo Bolsonaro.

Só que não haverá o encontro.

Ao contrário também do que se comentava em Brasília, Moro não visitará o ídolo.

A assessoria de imprensa do ministro entrou em contato com o blog.

E nada de visita ao presídio.

Por que não haverá o encontro?

"O roteiro da viagem está fechado. Em nenhum momento houve a previsão da visita", garante Christianne Salles, assessora de Moro, ao blog.

Embora não estivesse agendada a visita a Ronaldinho Gaúcho, ela não seria difícil.

O Palácio da Justiça, onde costuma ficar a ministra Cecília Perez fica exatamente a 3,4 quilômetros da Agrupacíon Especializada, onde está preso Ronaldinho. 

São exatos dez minutos de Uber.

Moro e a ministra da Justiça do Paraguai já se encontraram no Brasil

Moro e a ministra da Justiça do Paraguai já se encontraram no Brasil

Reprodução/Twitter

Se o encontro entre os ministros acontecer no Palácio de Governo, onde trabalha o presidente Mario Abdo Benítez, também não seria tão díficil mudar o "roteiro fechado" da viagem.

São 4,3 quilômetros.

Bastariam 14 minutos.

Também de carro.

E o ministro estaria na cadeia especializada em Crime Organizado.

Mas a visita não ocorrerá.

Até por uma questão de cautela.

Não se sabe, com certeza, a extensão dos crimes praticados por Ronaldinho Gaúcho e Assis.

Eles ainda estão sendo investigados.

O apoio governamental poderia ser precipitado...