Cosme Rímoli Messinho,14, Pedro, 8! Palmeiras domina as revelações no país

Messinho,14, Pedro, 8! Palmeiras domina as revelações no país

Clube adota, desde 2015, política extremamente agressiva e inflacionária, na busca de jovens promessas no futebol brasileiro

  • Cosme Rímoli | Do R7

Messinho. Ficou quatro anos no Cruzeiro. Palmeiras o contratou aos 14 anos

Messinho. Ficou quatro anos no Cruzeiro. Palmeiras o contratou aos 14 anos

Reprodução/Arquivo Pessoal

São Paulo, Brasil

Messinho, 14 anos!

Pedro, 8 anos!

Os dois representam a ponta de um iceberg.

Depois de décadas desprezando as categorias de base e apostando em contratações de 'jogadores feitos', o Palmeiras mudou profundamente sua filosofia.

E se tornou o clube mais agressivo na busca de garotos para o futebol no Brasil.

Adota uma política extremamente profissional.

Com sete olheiros que dividiram o país em regiões, na busca constante por meninos com talento.

São dez treinadores na base, cobrados não só por títulos.

Mas por conseguirem potencializar o talento dos garotos e levá-los para as seleções brasileiras.

O clube possui as categorias sub-10, sub-11, sub-12, sub-13, sub-14, sub-15, sub-16, sub-17, e sub-20.

A cobrança é até mais pesada do que o profissional.

Tanto que o Palmeiras é o clube que mais conquistou títulos na base, nos últimos três anos.

E também o que mais cedeu atletas para as convocações.

Jamais venceu a Copa São Paulo, sim, é verdade.

E a diretoria tem a desculpa na ponta da língua para seguir sofrendo nesta disputa. O grande problema está na convocação de atletas para competições com a seleção brasileira. São sul-americanos, torneios no Exterior e Mundiais que sabotam o clube.

O menino Pedro, oito anos. Segundo jogador mais jovem a ter contrato com a Nike

O menino Pedro, oito anos. Segundo jogador mais jovem a ter contrato com a Nike

Arquivo Pessoal

O responsável por essa política extremamente agressiva tem nome e sobrenome. 

É o coordenador João Paulo Sampaio. Desde 2015, quando ele assumiu o cargo, tudo mudou. O baiano que trabalhava no Vitória recebeu a missão de reformular completamente a base.

"O Palmeiras estava parado no tempo. Não tinha estrutura, interesse, o foco era apenas no profissional. O João Paulo chegou para formar atletas de alto nível. Foi um trabalho muito profundo, que sabíamos, levaria anos. Mas os resultados viriam. Gabriel Menino, Veron, Danilo, Wesley, Patrick de Paula não estão no Palmeiras por acaso", disse ao blog, o ex-executivo de futebol, Alexandre Mattos.

O Palmeiras tem hoje mais de 200 garotos. Eles treinam em Guarulhos, em um área de 45 mil metros, com cinco campos de futebol.

João Paulo conta também com a parceria de vários empresários, que levam atletas para o clube. Muitos que escapam dos sete olheiros.

Veron, Gabriel Menino e Patrick de Paula. Não estão no Palmeiras por acaso

Veron, Gabriel Menino e Patrick de Paula. Não estão no Palmeiras por acaso

Palmeiras/Cesar Greco

Como foi o caso de Estevão Willian, 14 anos, que assume o apelido de Messinho. Ele estava no Cruzeiro há quatro anos, chegou com 10. E mostrou um talento impressionante, atuando como meia-atacante. Mas só poderia assinar o primeiro contrato com um clube, mesmo de formação, aos 14 anos. 

Os direitos de Messinho chegaram a serem dados como garantia de um empréstimo que o Cruzeiro fez com o empresário Cristiano Richard, de R$ 2 milhões, em 2018, quando ele tinha 11 anos. A documentação não tinha validade, mas o agente considerava verdadeira.

A profunda confusão administrativa do Cruzeiro, a dívida de mais de R$ 1 bilhão, acabou pesando para a saída do jovem jogador. Seu empresário, André Cury, em guerra com a direção cruzeirense, sabia da política agressiva do Palmeiras na base. E ofereceu o garoto, às vésperas de completar 14 anos e assinar com o clube mineiro.

O clube paulista aceitou. E Messinho já está treinando, desde a semana passada, no Palmeiras. Em Belo Horizonte, jornalistas divulgaram que a família do menino teria recebido R$ 2 milhões em luvas e garantido o salário de R$ 100 mil mensais.

"Não foi nem dez por cento disso", garante João Paulo Sampaio.

Assinou contrato até 29 de abril de 2024, quando completará 16 anos. E assim poderá ter seu primeiro contrato profissional.

O Movimento de Clubes Formadores do Futebol Brasileiro publicou nota garantindo que o erro foi do Cruzeiro, que não registrou o atleta. Ele já poderia ser registrado na CBF desde os 12 anos, o que impediria sua ida ao Palmeiras.

Grandes promessas têm direito a uma casa para a família em São Paulo. E muitas vezes até trabalho para o pai do menino. Além de o clube bancar escola de bom nível.

O presidente Galiotte apoia a filosofia agressiva do coordenador da base, João Paulo Sampaio

O presidente Galiotte apoia a filosofia agressiva do coordenador da base, João Paulo Sampaio

Palmeiras

Tão animados com a chegada de Messinho, os treinadores da base não escondem a expectativa em Pedro Leonardo Nunes.

Menino de oito anos, revelado na Boston City Brasil, filial da franquia norte-americana em Minas Gerais.

Seu potencial não escapou da Nike, que já tem contrato com o garoto.

Ele se tornou o segundo menino mais jovem que a empresa já patrocinou na sua história.

Além dessa captação de jovens talentos no Brasil, o Palmeiras ainda trata de buscar promessas na América do Sul.

O clube é acusado por dirigentes de outros clubes de inflacionar a categoria de base, com sua política capitalista.

Mas o clube não vai mudar.

Pelo contrário.

Com o sucesso de seus garotos, o investimento promete ainda aumentar na busca de jovens talentos.

Messinho e Pedro não são exceções...

É mundial ou não? Os títulos de times do Brasil que geram polêmica

Últimas