Cosme Rímoli Medo no Flamengo. Que o vexame para o Inter reflita na Libertadores

Medo no Flamengo. Que o vexame para o Inter reflita na Libertadores

Renato Gaúcho vive o outro lado na Gávea. Depois de só vitórias, seu time foi goleado. Ele tentará que o resultado vexatório contra o Internacional não reflita na Libertadores, na quarta-feira.

  • Cosme Rímoli | Do R7

Renato está vivendo o outro lado da moeda. Depois de só vitórias, seu time foi goleado

Renato está vivendo o outro lado da moeda. Depois de só vitórias, seu time foi goleado

Alexandre Vidal/Flamengo

São Paulo, Brasil

Renato Gaúcho teve uma semana para treinar.

Poupou seu time titular contra o ABC, em Natal.

Mas mesmo assim, o Flamengo foi goleado pelo Internacional, em pleno Maracanã, por 4 a 0. Com direito à infantil expulsão de Gabigol, por bater palmas ao árbitro.

Pedro sofreu entorse no tornozelo direito e será avaliado hoje.

A derrota cortou o clima de euforia na Gávea, desde que o treinador foi contratado. Eram sete partidas e sete vitórias.

A equipe terá, daqui dois dias, jogo fundamental contra o Olimpia, pelas quartas de final da Libertadores.

A preocupação no Flamengo é o quanto o vexame de ontem pesará no jogo do Paraguai.

E não há certeza que não refletirá.

O Flamengo ontem esteve irreconhecível.

Será a primeira vez que Renato lidará com um derrota. E tão significativa.

"Quarta é outro jogo, outra competição, e será um Flamengo bem diferente do que foi hoje", disse Renato Gaúcho.

O treinador age como se os jogadores fossem máquinas.

O que não é o caso.

Os atletas saíram muito irritados da partida contra o Internacional.

Tensos.

"Acredito que hoje (ontem) foi o dia que muitas coisas deram errado. A gente acabou sofrendo com o jogo deles, tentamos criar ali na frente, erramos, não conseguimos encaixar. No contra-ataque, eles conseguiram fazer os gols. É aprender, quando tiver difícil caprichar", disse Everton Ribeiro, em uma sutil queixa dos atacantes, que tiveram chance de marcar.

Renato Gaúcho irritado, conversando com a arbitragem depois da goleada por 4 a 0

Renato Gaúcho irritado, conversando com a arbitragem depois da goleada por 4 a 0

Reprodução/TNT

Mesmo descansado, o Flamengo não teve intensidade, vibração para marcar a saída de bola gaúcha, deixar suas linhas altas, os jogadores próximos trocando passes, envolvendo o adversário, como fez nas outras partidas com Renato.

A chance de corrigir existe. Até pela fragilidade do adversário, na quarta-feira.

O Olimpia vive grave crise financeira. Seu elenco é muito fraco. Está em penúltimo lugar no Campeonato Paraguaio, com três pontos em quatro partidas. Uma derrota e três vitórias.

Jornalistas de Assunção garantem que o clube apostará tudo na Libertadores, em busca do dinheiro da classificação e da valorização dos seus jovens jogadores.

Renato Gaúcho sabe que seu time entrou displicente, desconcentrado. As vitórias seguidas fizeram a equipe acreditar que venceria o Internacional, que estava em baixa, na hora que quisesse.

O treinador tentou negar o óbvio.

"Não teve salto alto. Sempre digo a eles que os times que enfrentam o Flamengo mudam a tática, jogadores, esquema... dão a vida. Sempre converso sobre isso. Mas infelizmente não deu nada certo."

"Ainda perdemos um jogador (Gabigol expulso) no segundo tempo para complicar ainda mais."

"Quarta, o Flamengo vai ser o Flamengo de sempre."

Mas para garantir o que está prometendo, ele deverá ter uma conversa franca com o grupo. E analisar com os jogadores a péssima partida contra o Internacional.

E cobrar.

O treinador não assume, mas por suas reações no banco de reservas, durante a goleada para o Internacional, ficou claro que ele não gostou do comportamento do time, disperso, sem a tradicional competitividade, que tanto apregoa.

Renato Gaúcho e Gabigol. A relação pode piorar. Técnico não quer mais expulsões infantis

Renato Gaúcho e Gabigol. A relação pode piorar. Técnico não quer mais expulsões infantis

Alexandre Vidal/Flamengo

Renato vai estudar também o que fazer em relação ao comportamento defensivo.

Outra vez Gustavo Henrique e Léo Pereira foram mal na zaga flamenguista. Não mostraram a mínima confiança no jogo.

E Rodrigo Caio está no processo final do tratamento de recuperação do joelho esquerdo, que operou em 2014, mas que passa por um processo de reequilíbrio biomecânico. Não deverá atuar no Paraguai.

A princípio, o treinador sabe que Everton Ribeiro e Arrascaeta estavam muito ofensivos, não ajudaram na marcação nas laterais como deveriam. Essa cobrança vai acontecer.

Assim como Isla e Filipe Luís mostraram enorme insegurança. Sendo facilmente batidos. Oferecendo ao Internacional a chance de seguidas jogadas pelos lados de seu ataque.

Gabigol será um capítulo à parte. Além de displicente nas finalizações, ele ainda conseguiu ser expulso por bater palmas ao árbitro Paulo Roberto Alves. Justo o atacante que reclama quando é substituído.

Renato sabe que, se houver uma expulsão nos jogos decisivos da Libertadores, pode custar até a eliminação. Esse tipo de comportamento precisará ser resolvido com o atacante.

Como ontem, ao ser expulso, tratou de atacar a arbitragem.

"Isso é uma piada. Por isso o futebol brasileiro é isso. Futebol brasileiro é essa várzea mesmo. Essa várzea."

Se acontece algo parecido no jogo da Libertadores, Gabigol será suspenso. Ataques de jogadores não são perdoados.

O técnico quer que o atacante esqueça de vez os árbitros.

Renato Gaúcho descobrirá hoje o outro lado do Flamengo.

Não o que celebra vitórias.

Mas o que se reconstrói nas derrotas.

A goleada contra o Internacional precisa ser esquecida.

Por que daqui a dois dias terá o Olimpia pela Libertadores.

A competição que é prioridade para a diretoria.

Para a torcida do Flamengo...

Palmeiras supera Flamengo e tem elenco mais valioso do Brasil

Últimas