Mano demitido. Palmeiras quer Jorge Sampaoli

Galiotte jamais havia sido tão pressionado, como hoje, na derrota para o Flamengo por 3 a 1. E cedeu. Demitiu Mano Menezes. O nome para sucedê-lo é Sampaoli

  • Cosme Rímoli | Do R7

Mano suportou apenas 20 jogos. Pressão é pela contratação de Sampaoli

Mano suportou apenas 20 jogos. Pressão é pela contratação de Sampaoli

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

Para não perder o controle político do Palmeiras e comprometer não só a sua administração, como até mesmo atrapalhar a chance de Leila Pereira sucedê-lo, ele decidiu agir.

E demitiu sumariamente Mano Menezes depois da vexatória derrota contra o Flamengo por 3 a 1, em plena arena palmeirense.

Galiotte jamais havia sido tão pressionado por conselheiros influentes, capazes de determinar quem merece ser presidente palmeirense e quem não merece.]

O dirigente teve de ouvir palavrões e usar seguranças para se proteger da torcida palmeirense, ao sair do camarote e ir para o vestiário.

O nome que os conselheiros e membros da sua diretoria exigem para trabalhar no Palmeiras é o de Jorge Sampaoli, do Santos.

Basta o clube pagar R$ 10 milhões da multa da rescisão do argentino e terá um treinador moderno, de altíssimo nível para comandar o clube em 2020.

O Racing também quer o treinador do Santos.

O Palmeiras terá de participar de um leilão. E ainda garantir que formará um grupo muito forte para ter Sampaoli. A falta de dinheiro para montar a equipe competitiva que sonha dirigir no Brasil o está tirando da Vila Belmiro.

Foi fácil para Galiotte se livrar de Mano.

Sua multa era apenas de um salário.

Ele recebia R$ 800 mil mensais.

Assim que o nome do treinador foi anunciado, para substituir Felipão, houve revolta em grande parte da torcida.

O treinador havia acabado de ser demitido do Cruzeiro. E mantinha ligação umbilical com o Corinthians. Além de não ter se modernizado. Os times que monta são especialistas em se defender e contragolpear.

Os conselheiros e membros da diretoria que derrubaram Mano também querem a saída de Alexandre Mattos. O presidente do Conselho Deliberativo, Seraphim del Grande, exige o executivo longe do clube.

Ele gastou mais de R$ 200 milhões e o Palmeiras não chegou nem perto da Libertadores, nos quatro anos de trabalho.

E sabe que a prioridade no clube é ganhar a competição sul-americana e chegar ao Mundial de Clubes, título que tanto faz falta ao Palmeiras.

Mattos tem contrato até 2021.

E sua multa é muito alta, garantem pessoas muito próximas de Galiotte. 

Mas o clima é de reformulação total.

Galiotte já não está mais tão disposto a seguir brigando pela permanência do executivo.

O último erro grave foi ter contratado Mano Menezes...

(E Galiotte decidiu não seguir defendendo o indefensável. E mandou embora Alexandre Mattos. Ele não comanda mais o futebol do clube. Cinco anos de fracassos foram suficientes...)

Últimas