Cosme Rímoli Libertadores, Seleção, recuperar o dinheiro que perdeu com Bigode. Scarpa empolgado no Atlético. Depois do fracasso na Europa

Libertadores, Seleção, recuperar o dinheiro que perdeu com Bigode. Scarpa empolgado no Atlético. Depois do fracasso na Europa

Depois de fracassar na Europa, voltar ao Brasil foi a saída para Gustavo Scarpa. Com as portas fechadas no Palmeiras, houve um leilão pelos seus direitos. O Atlético venceu

  • Cosme Rímoli | Do R7

Com as portas do Palmeiras fechada, Scarpa optou pelo clube que pagava mais. O Atlético

Com as portas do Palmeiras fechada, Scarpa optou pelo clube que pagava mais. O Atlético

Atlético

São Paulo, Brasil

2023 foi um ano terrível para Gustavo Scarpa.

O sonho europeu se tornou um pesadelo.

Como o treinador Abel Ferreira havia avisado para ele, a adaptação na Europa seria muito difícil.

Por conta de suas características físicas.

Não é velocista, não tem força e nem vigor, para o contato constante.

Muito menos artilheiro.

E estava indo para uma equipe média, o Nottingham Forest, que não poderia se dar ao luxo de ter jogador apenas técnico, pensante, ótimo em bolas paradas. 

Bastaram seis meses e veio a dispensa.

Fim de Premier League.

No fraco futebol grego, no Olympiacos, também não conseguiu jogar.

Pelos mesmos motivos.

Não marcou um gol na Europa.

Deu duas assistências.

Uma no Nottingham e outra no Olympiakos. Em dez partidas na Inglaterra e 11 na Grécia.

Em nenhum dos dois clubes que pertencem ao bilionário Evangelos Marinakis teve atuações convincentes. Tanto que as Ccomissões Técnicas das duas equipes pediram sua saída, por insuficiência técnica.

Enquanto estava se desiludindo na Europa, Scarpa perdeu R$ 6,3 milhões investidos em criptomoedas. Seguindo conselho de seu amigo Willian Bigode.

Ao Palmeiras não voltaria, porque sondado se retornaria, ele fez questão de dizer que se sentia 'livre', quando voltasse ao futebol brasileiro, que imaginava depois de três anos, no mínimo, escolheria a equipe.

Foi o suficiente para o clube paulista esquecer do atleta.

Conselheiros reclamam de ingratidão.

Com seu fracasso na Europa surgiram propostas de clubes brasileiros: Internacional, Flamengo, São Paulo tentaram.

Bilionário grego, Marinakis, facilitou a volta de Scarpa ao Brasil. Atlético pagará em três anos
Bilionário grego, Marinakis, facilitou a volta de Scarpa ao Brasil. Atlético pagará em três anos Reprodução Instagram

Mas o Atlético Mineiro ofereceu mais dinheiro.

Tanto a Marinakis, quanto ao jogador.

O bilionário exigiu 5 milhões de euros, no brasileiro. Os R$ 26,6 milhões serão pagos parcelados, em três anos.

Ele receberá R$ 1,2 milhão por mês. Mais luvas diluídas de R$ 5 milhões por ano de contrato. Scarpa assinou até o final de 2027.

Na sua apresentação, hoje de manhã, Scarpa, que saiu do país como o melhor jogador do Brasileiro de 2022, voltou com dois focos. A conquista da Libertadores para o Atlético e chegar à Seleção Brasileira.

Antes, admitiu o fracasso na Europa.

Deu seus motivos.

"Acho que é uma série de fatores, desempenho, opção de treinador, uma lesão ou outra, nada sério assim, mas obviamente que não foi o ano que eu gostaria na Europa.

"Era meu sonho ter ido para lá e isso eu sempre deixei claro, mas também não vou ser hipócrita de falar que foi o ano assim dos sonhos.

"Realizei meu sonho em jogar a Premier League, me senti muito realizado em jogar na Europa, não foi o ano que eu desejava, mas bola para frente. Eu estou aqui no Galo justamente para dar essa volta por cima, para conquistar meu espaço no futebol novamente."

Em Belo Horizonte, sua bola parada foi destacada. E realmente realçada por Felipão, grande defensor de sua contratação.

"Modéstia parte eu tenho uma bola parada boa, claro que eu dependo obviamente do pessoal que vai para a área, que graças a Deus ao longo desses anos eu tive companheiros muito qualificados nessa parte. Eu sou um meio campista ofensivo, jogo um pouco mais aberto, não chega a ser um ponta, mas é isso, o Felipão sabe que ele pode contar comigo em várias posições e sobre a questão de comemoração foi algo que começou de forma completamente aleatória, deu muito certo no Palmeiras, eu espero que dê muito certo aqui no Galo.

"O meu foco com certeza é ganhar Libertadores e o Campeonato Brasileiro são metas difíceis, porém muito possíveis, ainda mais com o elenco qualificado que a gente tem. Então é isso, coloquei metas pessoais e coletivas nesse meu ano e eu espero que eu consiga alcançá-las."

E a reviravolta para ser completa, estaria em ser chamado para a Seleção Brasileira, dirigida por Dorival Junior.

As inspirações foram Paulinho e Arana.

"A Seleção Brasileira também foi um peso. Eu realmente vi com Paulinho e Arana voltarem da Europa com um desempenho talvez não tão alto, não tão bom quanto eles desejavam e aqui no Galo reconquistaram o espaço deles a ponto de chegar na Seleção, então serviram, sim, de exemplo. Eu espero que comigo seja a mesma coisa. Mas eu sei que não será dado de mão beijada assim, mas estou pronto para lutar pelo meu espaço."

Ficou evidente na coletiva.

Depois de sofrer na Europa, Scarpa quer uma reviravolta na carreira no Brasil.

E está em um clube ideal.

Com elenco fortíssimo.

Com treinador disposto a aceitar jogar como gosta.

Sem tanto contato físico, sem força na recomposição, ter mais privilégios, em campo.

Como Abel havia alertado, no Brasil, Scarpa é diferenciado.

Na elite do futebol europeu, não...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas