Francês cancelado. Ficou muito mais difícil volta de Neymar ao Barça

O brasileiro não terá dez partidas fáceis para se exibir, chegar à artilharia. Agora, terá apenas a Champions para convencer o Barcelona a levá-lo de volta

Neymar terá se ser perfeito na Champions. Para voltar ao braços de Messi

Neymar terá se ser perfeito na Champions. Para voltar ao braços de Messi

Reprodução Twitter

São Paulo, Brasil

Péssima notícia para Neymar.

O  primeiro-ministro da França, Edouard Philippe, foi firme, decisivo.

"A temporada 2019/20 dos esportes profissionais, especialmente o futebol, não poderá ser retomada", avisou.

Philippe seguiu o exemplo da Holanda e Bélgica.

Os torneios nacionais de esportes coletivos estão cancelados até setembro. 

Por conta do coronavírus.

A Champions League deve ser a única exceção, com a participação garantida do PSG nas quartas. E talvez do Lyon, que venceu a primeira partida das oitavas, diante da Juventus, por 1 a 0, na França. E precisa disputar o jogo decisivo na Itália.

Aliás, na Uefa prevalece a tese de, excepcionalmente, a partir das quartas até a final, a Champions seja disputada em um só país, em agosto. Para evitar viagens, ainda resultado da pandemia.

Mas o encerramento do Campeonato Francês, faltando dez rodadas, é um banho de água gelada nas costas de Neymar.

O jogador não esconde de ninguém que deseja voltar para o Barcelona. E quer fazer de tudo para que nesta janela de verão europeu, depois dos torneios nacionais e da Champions, volte a ser valorizado como em 2017, quando terminou o ano como terceiro melhor do mundo. 

E se tornar irresistível para o clube catalão, a caminho dos 29 anos.

Ele está disposto até a buscar uma solução na Fifa para deixar Paris, já que seu contrato termina apenas em 2022 e o PSG não é obrigado a fixar valor para os seus direitos. Cobra o quanto quiser. E vende se quiser.

Só que para provocar uma comoção, Neymar precisa de resultados práticos, além do seu talento.

Com esse objetivo, ele domou seus instintos.

A quarentena, na sua cinematográfica mansão em Mangaratiba, não foi de esbórnia, farra, como temia a cúpula do PSG.

Neymar passou acompanhado dos seus parças.

Mas também do seu preparador físico particular, Ricardo Rosa.

Ele treinou muito, com um objetivos nítidos.

Chamar o máximo possível dentro do campo, com títulos e marcas.

E o primeiro passo seria o fácil Campeonato Francês. 

O PSG caminhava fácil para o tricampeonato. Liderava com 68 pontos, 12 de vantagem sobre o segundo colocado, o Olympique de Marselha. Faltavam dez rodadas.

O que interessava ao brasileiro era conquistar a artilharia do torneio. Algo que ele não conseguiu desde que foi contratado em 2017, como o jogador mais caro de todos os tempos, por 222 milhões de euros, cerca de R$ 1,3 bilhões.

Na temporada 2017/2018 viu Cavani ser o artilheiro, com 28 gols em 32 partidas. O brasileiro acabou em terceiro, com 19 gols em 20 partidas.

No torneio de 2018/2019, Neymar viu Mbappé tomar o protagonismo. O campeão da Copa da Rússia marcou 33 gols em 29 partidas. Neymar terminou em quinto, com 15 gols em 17 partidas.

Na frieza dos números, as duas fraturas no quinto metatarso do pé direito não são levadas em consideração.

Neymar aproveita o baixo nível do Francês. Faz gols e se diverte com Mbappé

Neymar aproveita o baixo nível do Francês. Faz gols e se diverte com Mbappé

PSG

Nesta temporada 2019/2020, Neymar estava começaria para valer, a caça a Mbappé. Seu companheiro tem 18 gols, com 20 jogos, ao lado de Ben Yedder, do Monaco, que entrou em campo 26 vezes.

Neymar tem 13 gols, em 15 jogos, ao lado do nigeriano Osimhen, que marcou 13 vezes, em 27 partidas.

O principal jogador do futebol brasileiro tem muito a lamentar.

O Campeonato Francês é muito desigual, com o elenco do PSG bem mais forte do que os rivais. A chance de marcar muitos gols era enorme.

Neymar já estava obcecado pela artilharia, quando reclamou publicamente do técnico alemão Thomas Tuchel, para disputar a Champions.

Ainda há a indecisão sobre a também desigual Copa da França. 

O PSG está na final diante do limitado Saint-Étienne, 17º no fraco Campeonato Francês 2019/2020.

Há a indefinição, mas como é uma partida só, o torneio pode acontecer em setembro.

Na prática, para Neymar se mostrar absolutamente imprescindível ao Barcelona, há as quartas-de-final da Champions.

Se tudo der certo, mais dois jogos das semifinais.

E a decisão.

Neymar ao acompanhar a eliminação do PSG da Champions em 2019

Neymar ao acompanhar a eliminação do PSG da Champions em 2019

Reprodução Twitter

Fazer do PSG campeão da Champions pela primeira vez seria histórico, espetacular.

Ou seja, antes da janela de verão, que será adiada provavelmente para setembro, Neymar terá dois jogos garantidos, que o PSG tem de transformar em cinco, no maior torneio de clubes do mundo.

E a final da Copa da França.

Perder os dez jogos restantes do fácil Campeonato Francês foi um golpe terrível nos planos de Neymar.

Além dos gols, haveria a facilidade para dribles impressionantes, assistências inesperadas.

Por isso é um golpe pesadíssimo não ter essas partidas contra adversários bem mais fracos.

Na Europa, hoje, já está sob a sombra de Mbappé.

Em Mangaratiba, o brasileiro se preparava como poucas vezes fez na carreira, para 16 partidas que teriam força para mudar sua carreira.

Levá-lo para onde nunca deveria ter saído, a Catalunha.

Agora, Neymar terá só como opção levar o novo-rico PSG para a conquista, quase sempre reservada para os clubes mais tradicionais do mundo, a Champions.

Isso se quiser voltar para o Barcelona.

Neymar treinando muito forte para voltar ao PSG. E forçar ida ao Barcelona

Neymar treinando muito forte para voltar ao PSG. E forçar ida ao Barcelona

Reprodução Instagram

Obrigar Josep Maria Bartomeu a investir pelo menos 150 milhões de euros, cerca de R$ 913 milhões no jogador que 'traiu' o clube, tem duas fraturas no mesmo quinto metatarso do pé direito, está a caminho dos 29 anos. 

Só a taça da Champions teria essa força.

O caminho ficou mais simples e cruel...

Acabou o amor? Namorado da mãe de Neymar decide deixar casa dela