Cosme Rímoli Fla, Ibaneis e Ferj pressionam. Exigem público na final do Carioca

Fla, Ibaneis e Ferj pressionam. Exigem público na final do Carioca

Mesmo com o Brasil ainda enfrentando a pandemia, a diretoria do Flamengo e o governador Ibaneis querem a liberação de 20 mil torcedores. Com a final do Carioca em Brasília

  • Cosme Rímoli | Do R7

Diretoria do Flamengo luta pela volta do público em Brasília. Sábado, na final do Carioca

Diretoria do Flamengo luta pela volta do público em Brasília. Sábado, na final do Carioca

Alexandre Vidal/Flamengo

São Paulo, Brasil

A ligação fervorosa entre o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, com o Flamengo não é segredo para ninguém.

Principalmente para o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim.

Foi com a participação de Ibaneis, o seu clube de coração e o que tem mais torcedores no país, fechou contrato de trê anos com o Banco de Brasília. São R$ 32 milhões até 2023 para ter o logotipo da instituição financeira no peito.

O dinheiro do Banco de Brasília chegou até o basquete do Flamengo, em forma de patrocínio. São R$ 2,5 anuais.

Ibaneis tem sido um fortíssimo aliado. Graças a ele, o rubro-negro pôde decidir a Supercopa do Brasil com o Palmeiras, em abril, quando a recomendação de associações médicas de Brasília era manter o lockdown.

Landim conta agora com Ibaneis para outra guerra.

A de liberação de público para a final do Campeonato Carioca.

Ibaneis, que tentou e não conseguiu, a liberação de sete mil pessoas para a final da Supercopa do Brasil, entra outra vez em ação.

E desta vez, com o apoio da Ferj, Federação de Futebol do Rio de Janeiro.

Autorizar que o estádio Mané Garrincha, com capacidade para 70 mil pessoas, abra suas portas para 20 mil torcedores.

Mesmo com o país ainda enfrentando a pandemia do Coronavírus.

Ibaneis, além da ligação afetiva, defende o patrocínio com o clube mais popular do Brasil

Ibaneis, além da ligação afetiva, defende o patrocínio com o clube mais popular do Brasil

Divulgação/Governo Brasília

O Flamengo é absolutamente a favor.

Tanto da mudança do local da final.

Muito mais a presença de público pagante.

Sem público, sua diretoria garante que deixou de ganhar R$ 110 milhões.

Fora a fuga dos sócios-torcedores, que têm desconto nos ingressos.

O Fluminense teria deixado de arrecadar cerca de R$ 30 milhões.

A Ferj insiste na partida com torcedores.

Para valorizar o Campeonato Carioca.

A diretoria do Fluminense, está reticente.

Por enquanto, tem se mantido contrária à decisão.

Presidente do Fluminense, Mario Bittencourt, tem postura contrária à volta do público

Presidente do Fluminense, Mario Bittencourt, tem postura contrária à volta do público

Fluminense

É notória a maioria de torcedores flamenguistas em Brasília. A final seria como se o grande rival atuasse em casa.

Ibaneis já está trabalhando para a liberação do jogo.

Assim como a Ferj.

A decisão deverá sair entre hoje e amanhã.

Caso Flamengo, Ferj e governo de Brasília consigam, será o primeiro jogo de futebol com púlbico, desde março de 2020.

A pressão é enorme sobre o Fluminense...

Triste realidade: Corinthians já foi eliminado dez vezes em sua arena

Últimas