Cosme Rímoli Felipe Melo revela os 'motivos' do vexame do Palmeiras no Mundial

Felipe Melo revela os 'motivos' do vexame do Palmeiras no Mundial

Com coragem,Felipe detalha que a obsessão era a Libertadores. E que a pandemia não permitiu o descanso dos jogadores. Abel exige que ele fique no Palmeiras

  • Cosme Rímoli | Do R7

Alívio involuntário pela Libertadores. E desgaste físico. Erros no Mundial

Alívio involuntário pela Libertadores. E desgaste físico. Erros no Mundial

Cesar Greco/Palmeiras

São Paulo, Brasil

"O psicológico influencia muito, mas a partir do momento que você sai de um título tão expressivo, como é o título da Libertadores, tão almejado como foi... a obsessão do Palmeiras é a Libertadores.

"Você vai com um sentimento de:

"'Nossa, fizemos aquilo que se esperava da gente na temporada'."

Felipe Melo foi no ponto exato.

Ele assumiu que o Palmeiras estava tão obcecado pela Libertadores, que o título do campeonato sul-americano acabou influenciando negativamente no Mundial de Clubes.

O clube não soube como lidar com a euforia do título. Tanto que veio um apressado sentimento de satisfação, de apetite satisfeito, antes da disputa do fundamental torneio no Catar.

Daí o vexame contra o Tigres do México e Al-Ahly.

O Palmeiras fez a pior campanha dos times brasileiros nos Mundiais de Clubes.

Felipe Melo foi sincero à ESPN.

E deixou claro que, mesmo sua experiência de 37 anos, não pôde evitar o alívio, até inconsciente, com que o time jogou diante dos mexicanos.

Até porque toda a imprensa brasileira já projetava a partida final diante do Bayern. E nem cogitou que o Palmeiras poderia ficar no caminho, derrotado para o Tigres.

Felipe Melo confirmou o que muitos conselheiros e mesmo a diretoria de Marcelo Galiotte já sabiam.

A inevitável e massacrante maratona que o clube enfrentou para jogar no Catar.

Por conta das datas encavaladas, das partidas seguidas.

E da pandemia da Covid-19.

"Devido à pandemia, foi brutal a forma que foi exigido do nosso aspecto físico. Quando eu falo físico, eu coloco pra você também que a gente sai daqui de São Paulo e vai pra Doha, são cinco ou seis horas de diferença.

"O pessoal, na primeira noite de sono, foi show de bola. Na segunda noite, o pessoal já começava a querer dormir às 22h, já estava batendo aquele sono. Meia-noite, no máximo, estava todo mundo dormindo. Eu às quatro da manhã estava de pé, soltando fogos porque eu consegui dormi bem pra caramba.

Time estava esgotado fisicamente contra o Tigres. Com fuso horário desregulado

Time estava esgotado fisicamente contra o Tigres. Com fuso horário desregulado

David Ramos/Fifa

"Eu lembro quando abriu o café da manhã às sete da manhã e já estava todo mundo lá. A gente estava trocando a noite pelo dia, e isso é muito complicado.

"Enquanto a gente pega o time mexicano que teve, ao invés de 80 jogos na temporada, 40 jogos na temporada, que chegaram uma semana antes…

"O Bayern estava ali do lado, praticamente. O último, que nós perdemos nos pênaltis, do Egito, estava ali perto, tanto que tinham muitos torcedores no estádio. Então não foi fácil. No segundo jogo, eu via que os meninos já estavam cansados.

"Se os meninos estão assim, imagina nós que temos um pouco mais experiência e vivência no futebol. Foi bem complicado, não tivemos tanto tempo.

"E não tem condição de colocar culpa em ninguém, porque a pandemia fez com que isso acontecesse.

"Nós fizemos o nosso melhor."

É essa visão, essa dedicação e coragem que Abel Ferreira deseja que continue no Palmeiras.

Seu contrato termina em dezembro deste ano.

Mas ele deseja a antecipação e renovar por mais dois anos, para encerrar a carreira no clube.

A postura veemente do treinador português, que deseja a permanência de Felipe Melo, tem sido levada em consideração por Galiotte.

Abel Ferreira e Felipe Melo. O treinador avisou à diretoria que o volante é 'fundamental'

Abel Ferreira e Felipe Melo. O treinador avisou à diretoria que o volante é 'fundamental'

Cesar Greco/Palmeiras

E a postura do presidente é pela permanência do jogador.

Felipe Melo se tornou o atleta de confiança de Abel Ferreira.

É o grande líder palmeirense.

A ponto de ter coragem de apontar os erros do Mundial.

E que são levados em conta no planejamento palmeirense.

Fora o futebol do jogador, que segue muito firme.

Com preparo físico privilegiado.

O sonho de parte da torcida do Boca Junior, de ter o 'pitbull brasileiro' não vai se tornar realidade.

O Palmeiras não quer abrir mão do seu líder...

Discreto, mas decisivo: Babi pode estar de saída do Botafogo

Últimas