Cosme Rímoli Federação Paulista evita vexame, como a Carioca. Nada de futebol

Federação Paulista evita vexame, como a Carioca. Nada de futebol

Com a curva crescente da pandemia do coronavírus, FPF se rendeu às evidências. E não permitiu nem treinos dos clubes. Quanto mais a volta do Estadual

  • Cosme Rímoli | Do R7

Federação Paulista teve de se render. Nada de treinos. Muito menos jogos

Federação Paulista teve de se render. Nada de treinos. Muito menos jogos

Reprodução/Sportv

São Paulo, Brasil

105 mil pessoas infectadas.

7.288 mortos.

A certeza de que a curva da pandemia do coronavírus continua ascendente.

A morte do massagista do Flamengo, Jorginho, pela doença.

As restrições do convívio social aumentando em São Paulo.

Tudo se uniu para que a federação mais forte, mais rica, com maior influência na CBF, tivesse de se render.

O presidente Reinaldo Carneiro Bastos teve de admitir aos dirigentes dos clubes que disputam o Paulista.

Não há a menor condição sequer de os clubes voltarem aos treinamentos.

Quanto mais voltarem a disputar as seis rodadas que faltam para o Paulista terminar.

Mesmo precisando desesperadamente de dinheiro, os dirigentes tiveram de admitir. Não há sentido querer forçar a volta do futebol em São Paulo.

Junho foi um mês visto com esperança.

Mas todos que participaram da videoconferência de hoje não podem afirmar quando será a volta do Campeonato Paulista.

Os presidentes dos clubes firmaram um pacto de voltarem aos treinamentos todos  juntos, no futuro. A decisão é muito além de que uma equipe leve vantagem.

Os dirigentes querem ter mais força, juntos, para enfrentarem uma possível revolta dos sindicatos dos jogadores.

Reinaldo Carneiro Bastos atrelou a liberação da Secretaria Estadual de São Paulo, o retorno aos treinos. O governador João Doria impediu qualquer atividade até o dia 11 de maio.

Doria deixou claro que só uma significativa queda dos casos de coronavírus motivaria o afrouxamento do isolamento social. O prefeito Bruno Covas foi pelo mesmo caminho para a capital.

Cássio de máscara contra coronavírus

Cássio de máscara contra coronavírus

Reprodução Instagram

Só que o quadro piorou.

Doria e Covas pensam até em aumentar as restrições.

A milionária Federação Paulista precisava tomar alguma atitude que atraísse a simpatia para o futebol.

E Reinaldo resolveu doar os R$ 120 mil para a festa de entregas de prêmios do Campeonato Paulista para criar um protocolo de volta do futebol no país. Os R$ 120 mil que recebeu da CBF como ajuda, pelo período sem partidas, também terá o mesmo destino.

Vale lembrar que é absolutamente impossível imaginar que houvesse a festa do Campeonato Paulista de 2020, já que os treinos e os jogos, sem público, estão proibidos.

Os clubes devem seguir monitorando os treinamentos individuais de seus jogadores. Não os reunirão.

Reinaldo pediu paciência.

Até porque a FPF não pode enfrentar o governador e o prefeito de São Paulo.

Outra reunião está marcada para a próxima semana.

Depois que Doria e Covas se posicionarem.

FPF reinvestiu R$ 120 mil de festa. Que não poderia acontecer

FPF reinvestiu R$ 120 mil de festa. Que não poderia acontecer

FPF

A Federação Paulista evitou passar pelo vexame da Federação Carioca.

De nada adiantou o presidente Rubens Lopes permitir o retorno dos treinos.

O governador do Rio, Wilson Witzel, e o prefeito, Marcelo Crivella, proibiram o retorno dos atletas aos treinamentos juntos.

Reinaldo foi mais sagaz...

Curta a página de Esportes do R7 no Facebook

Tem até tigre em casa! Conheça o jogador parente de sultão bilionário

Últimas