Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

'Ei, você aí. Acabo com sua vida se o Coringão cair.' Clima de terror depois da derrota do Corinthians contra o Bragantino, em Itaquera

Organizadas revoltadas com o fraco futebol do Corinthians de Luxemburgo. São agora oito derrotas em 16 partidas. Medo do rebaixamento é real. Técnico de 71 anos cada vez mais ameaçado de perder o emprego

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

Revolta em Itaquera. Nova derrota, namoro com zona do rebaixamento. E ameaça séria das organizadas
Revolta em Itaquera. Nova derrota, namoro com zona do rebaixamento. E ameaça séria das organizadas Revolta em Itaquera. Nova derrota, namoro com zona do rebaixamento. E ameaça séria das organizadas

São Paulo, Brasil

"Ei, você aí, acabo com sua vida se o Coringão cair."

"Ou joga por amor, ou joga por terror."

Esses foram os coros que vieram das arquibancadas do estádio, onde ficam as organizadas do Corinthians, depois da derrota por 1 a 0 para o Red Bull Bragantino. Gol de Sasha.

Publicidade

No primeiro tempo, o domínio foi total do time interiorano. No segundo, o Corinthians atuou desesperado, correndo, mas sem o mínimo poder criativo. Mereceu outra vez perder.

Foi a oitava derrota em 16 partidas, sob o comando de Vanderlei Luxemburgo.

Publicidade

De nada adiantou a arena lotada.

42.904 corintianos pagaram ingresso para ir até a Neo Química Arena, trocando o domingo de sol com a família para apoiar o time do coração.

Publicidade

Outra vez, desilusão, vergonha, raiva.

E até o radicalismo das ameaças da torcida.

E o Corinthians, merecidamente, perdeu mais uma vez.

Derrota que acabou com a invencibilidade no Brasileiro na sua casa, diante de sua torcida.

A tensão pós-jogo foi além do normal.

Não por acaso, a segurança do elenco foi reforçada.

O Corinthians, que não chegou sequer à semifinal do Paulista, foi eliminado precocemente da Libertadores e agora acumula sete derrotas em 13 partidas do Brasileiro.

Foram apenas três empates e três derrotas solitárias.

O namoro é firme com a zona do rebaixamento.

E a torcida está revoltada.

Time que não ataca já prejudicou Yuri Alberto. Agora, Guedes. Seis jogos sem marcar. Tudo piora
Time que não ataca já prejudicou Yuri Alberto. Agora, Guedes. Seis jogos sem marcar. Tudo piora Time que não ataca já prejudicou Yuri Alberto. Agora, Guedes. Seis jogos sem marcar. Tudo piora

Luxemburgo, como é de seu feitio, tratou de repassar a culpa para os jogadores.

O máximo que admitiu é que não está satisfeito com seu trabalho.

O desempenho é vergonhoso.

São apenas 33,3% de aproveitamento. Porcentagem de time rebaixado no Brasileiro.

Ele poupou titulares contra o Liverpool uruguaio, na quarta-feira, no adeus à Libertadores.

Ou seja, teve uma semana de treinamento para a péssima partida de hoje, com mais um vexame.

"Se eu falar que estou satisfeito tenho de tomar pancada."

Mas Vanderlei, perguntado por que o Corinthians não pressionou o Bragantino no seu campo, jogando em casa, viu a chance de jogar a derrota no colo dos atletas. Não assumiu que este é um trabalho específico de um técnico moderno.

De óculos escuros, Matías Rojas, novo reforço, ouviu o coro ameaçador das organizadas corintianas
De óculos escuros, Matías Rojas, novo reforço, ouviu o coro ameaçador das organizadas corintianas De óculos escuros, Matías Rojas, novo reforço, ouviu o coro ameaçador das organizadas corintianas

"Bem prático? Para você fazer uma marcação agressiva tem que ter jogadores em condições para isso. Intensidade do jogo: para você fazer uma marcação tem que ser intenso. Nosso time é um time que não é intenso para jogar no campo do adversário. Todas as vezes que marcamos adiantados não conseguimos.

"Para um time marcar na linha média precisa identidade. Será que nossos jogadores são adequados para isso? No perde e pressiona?

"Eu analiso, mas não sou obrigado a expor tudo aqui. Mas vocês têm que analisar tudo isso, o jogador que consegue correr 10 km, um trabalho de intensidade... Isso é toda uma situação que você tem que analisar. Nosso melhor jogo foi quando fizemos a marcação na intermediária e bem compacta. Por quê? Porque você percorre uma distância menor."

Luxemburgo deixou bem claro que os atletas não conseguem correr 10 km por jogo. 

Absurdo é que, com 16 partidas sob seu comando, a equipe não tem sequer "identidade". Isso mostra quanto é incompetente o trabalho. 

E quanto tem afetado os atacantes.

No Corinthians espaçado, inseguro, medroso com Luxemburgo, Yuri Alberto é o mais prejudicado. Joga isolado, correndo atrás de chutões de Cássio, da zaga. Com o time não buscando o gol, até mesmo Róger Guedes, que era o melhor jogador da temporada, já acusava o golpe, após a derrota contra o Bragantino.

"Estou muito triste, não temos conseguido as vitórias. Meu sexto jogo sem marcar, isso incomoda um pouco. Trabalhar, não tem outro modo. Pressão vai vir, já estava vindo. Jogar no Corinthians é assim, levantar a cabeça, o campeonato é longo, mas lógico que temos que abrir o olho, ter um cuidado maior."

Sim, Róger se referia ao medo do rebaixamento.

Mas Luxemburgo, de maneira bizarra, quis lembrar o Flamengo campeão de 2020. 

Sim, com o Corinthians despencando, ele teve coragem de falar em título.

Por uma questão até de superstição, e para não aumentar a pressão, ele não repete a palavra rebaixamento.

"Tem tanto jogo pela frente para falar isso... O ano que o Flamengo foi campeão, ele começou a jogar muito no segundo turno e foi ganhando e ganhando."

"A projeção para ser campeão não, só na Copa do Brasil."

"Mas com três ou quatro vitórias você está brigando pela Libertadores. Hoje é complicado, mas amanhã não dá para saber."

"Você pode ter certeza que se ganhar três ou quatro jogos a pontuação melhora bastante."

Óbvio, vencer aumenta a pontuação em qualquer campeonato do mundo.

Luxemburgo acumula oito derrotas em 16 jogos. Aproveitamento de rebaixado
Luxemburgo acumula oito derrotas em 16 jogos. Aproveitamento de rebaixado Luxemburgo acumula oito derrotas em 16 jogos. Aproveitamento de rebaixado

Luxa também confirmou ter conversado com Luan. O meia pediu para voltar a treinar com os demais jogadores e ter uma nova chance. 

"Pergunte ao torcedor do Corinthians, esquece podcast. Se querem o jogador no jogo. Não cabe a mim responder, foi antes de mim. Transfere a pergunta. Ele conversou comigo, sim, mas para ser bem claro: o torcedor foi lá e disse que não quer o Luan aqui, pois não foi justo. Por que vamos comprar essa briga?"

Vexatório, Luxemburgo não "compra briga" com jogador contratado porque as torcidas organizadas querem Luan em campo. Que comandante é esse? Não é melhor repassar o controle da equipe de vez para as organizadas?

A verdade é que Luxemburgo está se mostrando cada vez mais perdido.

E Duilio Monteiro Alves já percebeu isso.

As derrotas estão encurralando a direção do clube.

Há eleição no fim do ano, e a temporada tem sido mais do que frustrante.

Assustadora.

O Corinthians jogará na quarta-feira a primeira partida das quartas da Copa do Brasil, em Belo Horizonte, contra o América Mineiro.

E aposta no retorno de Renato Augusto, que sofreu contusão na panturrilha direita, no dia 10 de junho, contra o Cuiabá.

As organizadas prometem novos protestos antes do importante jogo.

O novo contrato, o meia paraguaio Matías Rojas, estava no estádio, em Itaquera.

E foi embora ouvindo um coro nada animador.

"Ei, você aí, acabo com sua vida se o Coringão cair..."

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.