Duelo tenso entre Corinthians e Palmeiras, por Rony, acaba hoje

O Athletico age de forma clara. A prioridade é corintiana. Se o clube não pagar hoje R$ 27 milhões por 50%, o jogador será vendido ao Palmeiras

Rony não esconde sua preferência pelo Corinthians. Mas aceita o Palmeiras

Rony não esconde sua preferência pelo Corinthians. Mas aceita o Palmeiras

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

A luta é entre o coração e o profissionalismo.

Rony quer jogar no Corinthians.

Mas é o Palmeiras quem oferece mais dinheiro.

Por conta de uma discussão com o homem que controla o Athletico Paranaense, Mario Celso Petraglia, o jogador de 24 anos está fora dos planos do time de Curitiba.

Veja mais: De fora do país! Confira craques estrangeiros que vão jogar no Brasil

Desde o ano passado, quando fechou contrato com Andrés Sanchez, Tiago Nunes havia avisado da possibilidade da contratação do veloz atacante. Os dois têm excelente relacionamento.

Nos contatos com representantes do Corinthians, o jogador, que nasceu no Pará, relevou. Um dos seus sonhos na infância é vestir a camisa branca e preta.

Se dependesse apenas de sua vontade, já estaria treinando no Parque São Jorge.

Só que não depende.

Petraglia pediu 6 milhões de euros, cerca de R$ 27, 9 milhões, por 50% dos direitos do atacante. 

O Corinthians aceitou. E ofereceu o triplo do salário do atacante. De R$ 150 mil, passaria a receber R$ 450 mil.

O Athletico exigiu as garantias bancárias do pagamento.

O clube paulista avisou que iria demorar, porque o dinheiro seria adiantado pelo patrocinador BMG e, por questões burocráticas, a liberação viria de Portugal.

Como a situação se arrasta desde o fim de 2019, o Palmeiras resolveu consultar oficialmente o Athletico. E recebeu a resposta que tudo segue aberto. O jogador não ficará no Paraná e não tem nada fechado com o Corinthians.

Os contatos telefônicos entre o diretor de futebol Anderson Barros e Petraglia têm sido diários há mais de 15 dias.

E ontem, o substituto de Alexandre Mattos, avisou a Mauricio Galiotte. Chegara a hora de ir para Curitiba e fazer oficialmente a proposta de seis milhões de euros à vista por 50% do atacante, a mesma feita pelo Corinthians.

Veja mais: São Paulo tenso. Quer se livrar de pagar mais R$ 36 milhões por Pato

Ao jogador, o salário triplicado. Mais 500 mil euros de luvas, cerca de R$ 2,3 milhões. 

Além da promessa de Vanderlei Luxemburgo que seu lugar no time titular está reservado, no lado esquerdo do ataque palmeirense.

Petraglia aceitou.

Até porque se animou com a possibilidade de, no Brasileiro, o Palmeiras aceitar conversar sobre a venda de Raphael Veiga, jogador que foi muito bem, emprestado em 2019.

Rony tem excelente relacionamento com Tiago Nunes. Trunfo corintiano

Rony tem excelente relacionamento com Tiago Nunes. Trunfo corintiano

Reprodução/Twitter

Mas disse que o Corinthians tinha a prioridade.

E o clube tem até hoje para fechar a questão.

Se não conseguir, na sexta, a proposta do Palmeiras está aceita.

Tudo muito às claras.

Embora ainda duas questões pesem.

A divergência sobre a parte da compra dos direitos que pertence a Rony.

E o Albirex Niigata, ex-clube japonês do jogador, que reclama na Fifa que houve quebra de contrato. O atacante teria abandonado o clube.

Mas os departamentos jurídicos de Corinthians e Palmeiras dizem que a situação pode ser resolvida e recomendam a contratação.

Ou seja, a definição ficou para hoje.

Se o Corinthians apresentar a garantia dos 6 milhões de euros por 50% do atleta, negócio fechado.

E o coração de Rony sairá satisfeito.

Se não conseguir, ele será do Palmeiras.

Veja mais: Kannemann. Rony. Dodô. Sonhos do Palmeiras após Florida Cup

E sua alegria estará na conta bancária.

Esse é um dos mais civilizados duelos entre os maiores rivais do futebol de São Paulo.

Aberto, claro, sem ofensas.

Mas tenso.

É por um grande jogador...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Com início dos estaduais, confira craques que estão livres no mercado