Palmeiras

Cosme Rímoli Dudu. Mais três anos no Qatar. Só depois, voltará ao Palmeiras

Dudu. Mais três anos no Qatar. Só depois, voltará ao Palmeiras

O atacante está fazendo sucesso e quer ficar no mundo árabe. Seu contrato de empréstimo virará de venda. A direção palmeirense já sabe

  • Cosme Rímoli | Do R7

Dudu quer mais três anos no milionário futebol do Qatar. Depois voltará ao 'amado' Palmeiras

Dudu quer mais três anos no milionário futebol do Qatar. Depois voltará ao 'amado' Palmeiras

Al Duhail

São Paulo, Brasil

Apesar de todas declarações de amor, dos dois lados, há a realidade.

Dudu não voltará ao Palmeiras em julho, depois do final do seu empréstimo ao Al-Duhail.

Representantes do clube qatariano já deixaram claro para a diretoria da equipe brasileira.

Ele vai exercer a cláusula de compra.

E acena com um contrato de três anos para o atacante.

O motivo é a sua adaptação não só ao futebol como à rígida vida no Qatar. 

No país mulçumano, o comportamento fora dos gramados é levado em consideração.

Dudu, que foi jogar no Qatar, para ficar longe dos problemas causados por sua relação com a ex-esposa, com direito à denúncia de agressão à polícia, encarou com responsabilidade a vida no país árabe.

Dudu e Galiotte sabiam que o 'empréstimo' se tratava, na prática, de uma venda

Dudu e Galiotte sabiam que o 'empréstimo' se tratava, na prática, de uma venda

Cesar Greco/Palmeiras

A princípio ele ficou muito triste com a mudança na legislação da Fifa, sobre a naturalização de atletas para a disputa da Copa do Mundo, em 2022.

No dia 18 de setembro de 2020, a Fifa anunciou que um atleta para atuar em outra seleção, que não fosse a de onde nasceu, e jogar o Mundial, teria de morar pelo menos há cinco anos neste país.

A decisão foi um balde de água gelada em Dudu.

Ele estava muito animado com a chance de jogar o Mundial naturalizado qatariano, já que Tite nunca o levou em consideração. 

Mas o jogador resolveu entender a situação.

Por conta da parte econômica.

Um mês no Al-Duhail equivale a meses no Palmeiras.

A sua disposição agora é ser comprado pelo clube qatariano.

Acertar um novo contrato, ainda mais lucrativo.

Com luvas e bônus por títulos, por gols, por jogos como titular.

E só depois, desses possíveis três anos, voltar ao Palmeiras.

O sempre apostou nesta possibilidade.

Não foi à toa que pagou 6 milhões de euros, cerca de R$ 38,6 milhões, pelo empréstimo de um ano. A quantia foi exagerada de propósito.

Para os qatarianos, eles sempre trataram a negociação como compra.

Ao final de julho, deverão pagar mais 7 milhões de euros, cerca de R$ 45,1 milhões.

O sonho dourado de Dudu é fazer algo quase que impensável para o Palmeiras.

Ajudar a derrotar o Al Ahly hoje.

E no domingo, tirar o Bayern do caminho, para uma inesperada final entre o time brasileiro e qatariano.

Mas ele sabe que é quase impossível.

Pela diferença técnica.

Por uma questão contratual, dinheiro, Dudu deixou de se preocupar tanto com assistências. E se foca em marcar gols.

Nas 22 partidas que atuou, marcou 11 gols com a camisa do Al Duhail.

Está no melhor de sua forma.

Embora saudoso do Brasil, não quer voltar.

Pretende aproveitar, aos 29 anos, seu último grande contrato no Exterior na carreira.

E depois retornar ao clube onde foi mais feliz.

O Palmeiras.

Mauricio Galiotte já sabe da intenção do atacante.

E não conta com ele para a temporada 2021.

Nem para a 2022, 2023.

No meio de 2024 seria a data mais provável...

(O sonho de ajudar o Palmeiras morreu.

Seu time se mostrou fraco demais.

E perdeu para o Al Ahly por 1 a 0.

Não se classificou para a semifinal.

Não enfrentará o Bayern...)

Últimas