Cosme Rímoli Diretoria do Flamengo vai cobrar. Acabou a tolerância com Ceni

Diretoria do Flamengo vai cobrar. Acabou a tolerância com Ceni

Depois de dois vexames no Carioca, derrota para o Vasco e empate com a Portuguesa, pressionado, Ceni promete um 'grande jogo contra o Vélez'. Diretoria vai cobrar

  • Cosme Rímoli | Do R7

Rogério Ceni promete um 'grande jogo' contra o Vélez. É o que terá de cumprir

Rogério Ceni promete um 'grande jogo' contra o Vélez. É o que terá de cumprir

Alexandre Vidal/Flamengo

São Paulo, Brasil

Gabigol, entre luvas salários e direito de imagem, ganha R$ 1,6 milhão por mês.

Todo o elenco da Portuguesa Carioca recebe R$ 250 mil.

A folha de pagamento do Flamengo é de R$ 23,5 milhões.

O empate sofrido de ontem em 2 a 2, na Ilha do Governador, mesmo com o atual bicampeão brasileiro atuando com reservas, foi desmoralizante para Rogério Ceni.

Outra vez seu time pessimamente distribuído taticamente. Espaçado, inseguro. Com a defesa falhando em bolas simples.

Não terminou o primeiro perdendo por 2 a 0 por acaso.

Flamengo jogou muito mal ontem, de novo. Escapou da derrota para a humilde Portuguesa

Flamengo jogou muito mal ontem, de novo. Escapou da derrota para a humilde Portuguesa

Marcelo Cortes/Flamengo

Só na segunda etapa, se aproveitando do recuo do time pequeno e da força física e maior técnica dos seus atletas, o Flamengo conseguiu empatar, com dois gols de Pedro.

Mas a frustração dominou os vestiários.

Atingiu a diretoria.

E, lógico, contaminou os torcedores, que descontaram sua raiva nas redes sociais.

Pedindo Renato Gaúcho no lugar de Ceni.

Pressionado, o treinador tomou atitude raríssima na sua carreira.

Prometeu que seu time fará um grande jogo em Buenos Aires, terça-feira, contra Vélez, na estreia pela Libertadores da América.

"Tenho certeza que vamos fazer um grande jogo, um jogo bem melhor do que foi feito contra o Vasco", disse, se referindo à patética partida de seus milionários titulares diante do grande rival.

Rogério Ceni está sentindo o peso das cobranças.

O vice Marcos Braz segue tentando amenizar as queixas.

Mas o clima tenso pelo fraco futebol do time já domina o clube.

A ponto de o treinador fazer o que nunca fez, prometer um 'grande jogo'.

Ele sabe muito bem da necessidade, da obrigação, da prioridade do Flamengo em 2021. Voltar a conquistar a Libertadores.

Esta competição servirá para avaliá-lo de vez na Gávea.

Por mais que tenha sido contratado em novembro e tenha conquistado o Brasileiro e a Supercopa do Brasil, seu trabalho segue sendo acompanhado de perte. Ele não conseguiu dar estabilidade ao time.

Já houve excelentes partidas como péssimas.

A insistência de Willian Arão improvisado como zagueiro, ao lado de Rodrigo Caio, provoca muitas queixas nos bastidores do clube.

O futebol de Isla também.

E a queda absurda de Gerson, mais adiantado, dividindo a responsabilidade da saída de bola com Diego.

Everton Ribeiro também não consegue recuperar seu bom futebol, fixo na direita.

Arrascaeta segue buscando a melhor movimentação.

Por vezes tirando o espaço de Bruno Henrique.

Filipe Luís é visto orientando a movimentação dos dois durante os jogos.

E Gabigol mais preso entre os zagueiros não tem o mesmo rendimento de 2019, por exemplo.

Além dos graves problemas na compactação do time, de recomposição lenta quando o Flamengo é atacado.

E nas bolas paradas.

Ou seja, Rogério Ceni tem muito trabalho até terça-feira.

E ele pode ter certeza que suas palavras serão cobradas.

Os dirigentes não aceitam menos do que um grande jogo contra o Velez.

A avaliação sobre seu trabalho será feito na Libertadores.

Esse é o torneio que Rodolfo Landim está contando.

Apesar dos aborrecimentos no Carioca.

Jogos contra o Vasco e Portuguesa o desgastaram.

Ceni sabe muito bem.

Acabou a tolerância.

A sombra de Renato Gaúcho deve ser levada a sério...

Últimas