Cosme Rímoli Diniz sabe que está derrotado. Todo São Paulo quer Rogério Ceni

Diniz sabe que está derrotado. Todo São Paulo quer Rogério Ceni

Mesmo sendo psicólogo, Diniz não conseguiu evitar o desespero. Foi expulso ao ver seu time, com dois a mais, só empatar com o Fortaleza de Ceni

  • Cosme Rímoli | Do R7

Diniz. Desespero por não vencer o jogo contra o rival Ceni. Com dois jogadores a mais

Diniz. Desespero por não vencer o jogo contra o rival Ceni. Com dois jogadores a mais

Reprodução/Sportv

São Paulo, Brasil

O curso de psicologia de nada adiantou.

Fernando Diniz não conseguiu se controlar.

Bateu o desespero ao perceber o cenário.

Com dois jogadores a mais, nos 12 minutos finais da partida, comandando um elenco milionário, ele não conseguira vencer a partida fundamental para sua continuidade no São Paulo.

Não agora.

Mas assim que o Brasileiro acabar.

Ele tinha de vencer o time comandado pelo treinador sonhado por Julio Casares e por Roberto Natel, os candidatos a presidentes do São Paulo, na eleição de dezembro.

Mas não conseguiu.

Rogério Ceni, mesmo sem o apoio da fanática torcida do Fortaleza, conseguiu montar uma equipe tática, impetuosa, valente.

Manteve o controle do jogo, e só permitiu o empate em 3 a 3 depois da expulsão do seu goleiro, Felipe Alves, expulso, com o auxílio do VAR. E também o ingênuo lateral Carlinhos, que demorou, de propósito, para ser substituído. E ainda xingou o inseguro Rodolpho Toski Marques.

Fernando Diniz terminou também recebendo cartão vermelho, por discutir com Toski, pedindo mais tempo de jogo. 

O empate na primeiro embate pelas oitavas da Copa do Brasil foi inteiramente favorável a Rogério Ceni.

Não ao Fortaleza.

O time cearense com dois desfalques importantes terá de vir para São Paulo, no dia 25. A chance de acabar eliminado é grande.

O que é absolutamente normal, na comparação entre um elenco e outro.

Mas Ceni saiu aclamado na batalha de ontem.

Em um dos melhores jogos de 2020.

"A vontade que esse time tem de vencer e de se entregar dentro de campo, isso é inegável. A parte tática é o que ele se dedica, claro que sabemos que algumas equipes possuem um jogo tecnicamente às vezes melhor do que o nosso, mas a gente compete até o fim, isso deixa a gente orgulhoso", resumia, mais do que empolgado, Rogério Ceni, depois do empate.

Rogério Ceni. FIrme, confiante, após o duelo. Sabia que venceu Diniz

Rogério Ceni. FIrme, confiante, após o duelo. Sabia que venceu Diniz

Fortaleiza

Como, desde jogador é profundamente racional, Ceni deixou a estocada para o final.

"Com relação ao São Paulo, acho que eles se sentem favoritos, mas não costumamos desistir antes de jogar."

O sentimento dos candidatos à presidência do São Paulo, e dos seus grupos que o apoiam, é um só.

Ceni está amadurecido.

Os quase dois anos de Fortaleza, e a passagem-relâmpago no decadente Cruzeiro, serviram para amadurecê-lo.

Ele está pronto para um longo projeto no São Paulo.

Como Ceni 'deixou escapar' na entrevista ao Sportv.

Disse que gostaria de trabalhar em um clube que possa gastar R$ 100 milhões em reforços.

Como acontece com Sampaoli e aconteceu com Jorge Jesus.

E deverá se concretizar no São Paulo de 2021.

O cartão vermelho de Fernando Diniz revelou.

É difícil demais enfrentar o maior ídolo do São Paulo.

O homem que todos querem ver no seu lugar.

Ele está consciente.

Perdeu a grande chance de abalar essas convicções.

Entregar seu lugar a Ceni é só uma questão de tempo.

Esperar o Brasileiro acabar...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Luxa caiu! Ex-Palmeiras é o 11º técnico demitido no Brasileirão

Últimas