Cosme Rímoli Desconfiança e rejeição marcam a chegada de Lisca Doido ao Santos. Depois da deprimente saída do Sport

Desconfiança e rejeição marcam a chegada de Lisca Doido ao Santos. Depois da deprimente saída do Sport

O treinador fracassou nos dois maiores clubes em que trabalhou. Não evitou o rebaixamento do Inter. E não se sustentou no Vasco, na Segunda Divisão. Lisca Doido chega à Vila Belmiro sem ser unanimidade

  • Cosme Rímoli | Do R7

Rueda e o Comitê Gestor do Santos já estão preocupados. A receptividade ao nome de Lisca foi péssima

Rueda e o Comitê Gestor do Santos já estão preocupados. A receptividade ao nome de Lisca foi péssima

Sport

São Paulo, Brasil

"Ele deveria ter a hombridade de nos procurar e dizer a verdade.

"Ele está faltando com a verdade.

"Não só comigo, não só com nossa diretoria e instituição, mas também com nosso torcedor que tanto o abraçou.

"No quesito respeito, hombridade, ética, ele está do outro lado do alambrado.

"Ele pulou o alambrado."

(Yuri Romão, presidente do Sport)

A ansiedade de Lisca Doido para assumir o Santos custou muito caro.

E vai bem além dos R$ 150 mil de multa, que terá de pagar ao Sport, por rompimento de contrato.

Luiz Carlos Cirne Lima de Lorenzi conseguiu afetar sua imagem como técnico em todo o país. 

Virar as costas ao time pernambucano, depois de quatro partidas, três semanas de trabalho, era um direito seu. 

Como acreditar no gesto teatral de Lisca ao subir no alambrado? Foi o que fez com a torcida do Sport

Como acreditar no gesto teatral de Lisca ao subir no alambrado? Foi o que fez com a torcida do Sport

Sport

O rompimento foi feito de maneira vexatório, sem respeito não só ao grande clube nordestino mas também à sua carreira.

Ninguém esquecerá das promessas que fez ao assumir o Sport, o estardalhaço com a torcida, subindo no alambrado, justificando o apelido "Doido", que cultivava, mas do qual agora quer se livrar.

Quando o Santos foi recusado por Renato Gaúcho, Jorge Sampaoli, Odair Hellman, o Comitê Gestor e o presidente Andrés Rueda ficaram divididos entre dois nomes. O primeiro era Guto Ferreira, e o segundo, Lisca Doido. Elano, que era a preferência de alguns conselheiros, foi logo descartado.

É uma informação relevante Lisca Doido saber que não é unanimidade na Vila Belmiro. No complicado Conselho Deliberativo e na exigente diretoria há restrição ao seu trabalho. Suas passagens por clubes grandes foram rápidas e fracassadas: tanto no Internacional como no Vasco.

Lisca Doido foi escolhido não pela sua filosofia de trabalho, amante do tradicional 4-4-2 com variações previsíveis para o 4-2-3-1 ou 4-1-4-1. Mas também pela capacidade de ser o centro das atenções, conseguir mobilizar a torcida, a imprensa, desviar o foco da fragilidade do elenco santista. O clube está mergulhado em mais de R$ 400 milhões em dívidas, o que impede a contratação de jogadores importantes, talentosos.

Foi a velha estratégia depois da demissão do argentino Fábian Bustos, a de um "choque de gestão". O objetivo está claro: evitar o rebaixamento do Santos no Campeonato Brasileiro. A mesma meta que Lisca não conseguiu em 2016 no Internacional.

O Santos não é exemplo de respeito a contratos. Pelo contrário. Há uma sequência assustadora de contratações de treinadores, promessas de longo vínculo e demissões sumárias.

A mais representativa foi a de Fábio Carille. 

Ele foi contratado em novembro de 2021, com o discurso, em tom de promessa, do presidente santista Andrés Rueda.

Rueda prometeu que Carille ficaria por dois anos no Santos. Ficou pouco mais de três meses

Rueda prometeu que Carille ficaria por dois anos no Santos. Ficou pouco mais de três meses

Santos

"O Carille é o nosso técnico. Ele foi contratado para ficar até o final da nossa gestão, em 2023. Eu quando contrato um técnico imagino o serviço a longo prazo."

As palavras foram ditas por Rueda no dia 9 de novembro de 2021. No dia 18 de fevereiro de 2022, Carille foi demitido. 

101 dias depois.

Ou seja, Carille deveria ficar, na promessa do presidente santista, dois anos e um mês. 

Cuca, Ariel Holan, Fernando Diniz, Carille, Bustos. Rueda tem dado estabilidade de quatro meses apenas aos treinadores, em média, que se arriscam a trabalhar no Santos.

Um dos clubes mais importantes do planeta, bicampeão mundial, mas que está inviável financeiramente, por conta de administrações incompetentes.

Lisca Doido e seu empresário, Jorge Machado, deveriam ter respeitado o Sport. E principalmente os milhões de torcedores do clube pernambucano. Fora a imprensa do Recife.

O mais estranho é que Jorge Machado é um empresário vivido, cuida, por exemplo, da carreira de Felipão. Como ele deixou Lisca lidar tão mal com a saída do Recife é um mistério.

Assim que a notícia da proposta do Santos vazou, na noite da segunda-feira, antes da partida do Vila Nova, sem graça, o treinador disse que trataria do assunto depois do jogo. Com a torcida do Sport sabendo do acerto verbal entre ele e o clube paulista, a revolta dominou a Ilha do Retiro.

A ponto de um torcedor jogar nas costas de Lisca o líquido que estava em um copo grande. A princípio, o técnico disse que não era cerveja. Mas, um dia depois, garantiu ser.

Sua coletiva foi vergonhosa. Não assumindo posição alguma. Tratando os jornalistas como se fossem imbecis, só dando respostas evasivas. 

Ele evitaria tudo isso dizendo a verdade. Que recebeu uma proposta do Santos e decidiria o que fazer. 

Afinal, tem 49 anos, e 21 anos como treinador profissional.

'Faltou hombridade de Lisca.'  'Coitado do presidente do Sport.' Deprimente troca de acusações

'Faltou hombridade de Lisca.' 'Coitado do presidente do Sport.' Deprimente troca de acusações

Sport

"O Lisca Doido se queimou. Virou o técnico mais queimado do Brasil", me diz um veterano empresário, acostumado a trabalhar com equipes grandes paulistas.

O treinador tentou se defender atacando a direção do time pernambucano, o que só aumentou a revolta contra ele.

"Coitado do presidente do Sport. Então eu contratei os caras para jogarem cerveja em mim, para me xingarem e fazer todo o coro contra mim e acuar a minha família? De onde ele tirou isso? Eu paguei a multa. Eu pedi demissão do Sport", disse.

Lisca estará hoje na Vila Belmiro para acompanhar a partida do Santos contra o Botafogo.

O clube é o 11º colocado do Brasileiro. Está a quatro pontos da zona do rebaixamento. Lisca vai estrear contra o Fortaleza, no Ceará, no domingo.

O desprezo de Lisca ao Sport repercutiu na imprensa de Santos.

Já não havia grande entusiasmo pelo treinador.

Inclusive forte rejeição de torcedores nas redes sociais.

Ele será cobrado pela maneira absurda com que virou as costas ao clube pernambucano.

André Rueda e o Conselho Gestor estão já estão com o clima de receptividade das exigentes torcidas organizadas santistas, que têm enorme influência na Vila Belmiro.

O clima de entusiasmo, de união, com a estratégia de Lisca Doido de subir no alambrado nas vitórias do clube, perdeu credibilidade.

Ele fez a mesma coisa há menos de duas semanas com a torcida do Sport.

Há constrangimento e não entusiasmo por seu nome na Vila Belmiro.

O técnico aposta no esquecimento generalizado do futebol brasileiro.

Lisca acredita até que poderá voltar a trabalhar no Sport, depois de sua saída vexatória.

"O futuro a Deus pertence. Os diretores mudam. Futebol é muito dinâmico. Eu não fecho as portas com ninguém. Fiz tudo legalmente. O problema foi o vazamento de uma informação incorreta que desencadeou uma série de situações."

O erro de Lisca Doido é menosprezar a inteligência alheia.

Ninguém esquecerá como virou as costas ao Sport.

Ninguém...

Ex-empresário de Schumacher detona esposa do ex-piloto: 'Por que eles não contam a verdade?'

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas