Cosme Rímoli Desastre. Palmeiras perde para o Cuiabá. Ótimo para o Atlético

Desastre. Palmeiras perde para o Cuiabá. Ótimo para o Atlético

Abel Braga não poupou jogadores. O mesmo time que venceu o São Paulo entrou para os três pontos obrigatórios contra o Cuiabá, no Allianz. Afobado, depois de gol relâmpago dos mato-grossenses, a derrota, por 2 a 0

  • Cosme Rímoli | Do R7

O primeiro gol do Cuiabá. Clayson, ex-Corinthians. Depois, só desespero do Palmeiras

O primeiro gol do Cuiabá. Clayson, ex-Corinthians. Depois, só desespero do Palmeiras

Cuiabá

São Paulo, Brasil

Foi um desastre.

O Palmeiras tem muito a lamentar.

Mas só pode culpar a si mesmo

O time que empolgou a torcida se classificando para a semifinal da Libertadores, retomou o Brasileiro. E tinha a obrigação de vencer o limitado Cuiabá, no Allianz Parque.

Para continuar sua briga pelo título brasileiro, os três pontos desse jogo eram fundamentais, como segundo colocado na tabela, até o início desta 17ª rodada.

Mas o elenco milionário foi surpreendido por um gol relâmpago de Clayson, ex-Corinthians, logo no primeiro minuto de jogo. E pelo gol de Uillian Correa, aos 48 minutos do segundo tempo.

E também pela dedicação tática perfeita de Jorginho, que tirou o espaço, o oxigênio palmeirense.

O time não tinha o que mais gostava, espaço. 

E acabou caindo na armadilha psicológica. O time, que esperava um jogo fácil, se desesperou. E perdeu a partida. Deixando o líder Atlético Mineiro folgado, com cinco pontos de vantagem e um jogo a menos.

"Em campeonato de pontos corridos não dá para perder esse tipo de jogo, com todo respeito ao Cuiabá, que fez uma grande partida", lastimava Weverton.

O Cuiabá celebrou muito a vitória inesperada, onde tudo deu certo.

O Palmeiras tomou enorme ducha de água fria.

Walter nem teve de fazer grandes defesas. Atacantes do Palmeiras muito tensos

Walter nem teve de fazer grandes defesas. Atacantes do Palmeiras muito tensos

Carla Carniel/Reuters - 22.08.2021

Abel Ferreira conseguiu vencer a Libertadores e a Copa do Brasil na temporada 2020. Seu desejo é vencer, de novo a Libertadores, e o Brasileiro.

Por isso, depois de o time eliminar, de maneira marcante, o São Paulo e se classificar para a semifinal da Libertadores, o treinador decidiu colocar sua principal equipe, hoje, na partida que a vitória seria obrigatória, na briga pelo Brasileiro.

Contra o limitado Cuiabá, no Allianz Parque, derrota por 2 a 0.

Nas últimas quatro partidas, com 12 pontos para disputar, ganhou apenas um. Empatou, jogando mal, com o São Paulo, perdeu para o Fortaleza e para o Atlético Mineiro.

E perdeu hoje.

O primeiro adversário do Palmeiras, e também da equipe mato-grossense. A CBF obriga o Brasileiro a ter, pelo menos uma partida, aos domingos, às 11 horas. Para transmissão para a Europa, por conta do fuso horário.

E os jogadores tiveram de enfrentar o calor de 28 graus em São Paulo, com a sensação térmica de mais três graus, 31 graus, no gramado artificial palmeirense. O segundo tempo começou ao meio-dia e dez minutos, o auge do calor neste domingo.

O segundo problema para o time de Abel era a postura da equipe de Jorginho. O treinador fez o óbvio. Mas muito bem feito. Tratou de montar seu time no 5-4-1. Não oferecendo o que o milionário elenco palmeirense mais gosta: espaço para atacar, ou contragolpear, em velocidade.

Mas antes de o Cuiabá mostrar o quanto estava organizado defensivamente, seu time conseguiu surpreender, sair na frente do placar.

Logo no primeiro minuto, Lucas Ramon desceu pela direita e cruzou para a entrada da área. A bola passou embaixo do pé de Zé Rafael e chegou para Clayson.

O ex-jogador do Corinthians, na entrada da grande área, teve tempo de levantar a cabeça, ajeitar o corpo e bater forte, no canto direito de Weverton. Indefensável. 

1 a 0, Cuiabá.

O gol teve um efeito psicológico e tático importantíssimos. Os palmeirenses se adiantaram, mas afobados, tensos. Sabiam que precisavam dos três pontos diante de um adversário mais fraco. 

Do lado mato-grossense, Jorginho insistia com a consciência tática. Firmeza na compactação, na marcação. Sem dar espaço para bolas longas que o Palmeiras tanto aprecia. Os velocistas Rony e Wesley nada conseguiam, encaixotados na marcação. De nada adiantava a rapidez da dupla.

Raphael Veiga também estava mal, sem movimentação. O grande destaque palmeirense era Dudu, como meia, novamente. Com personalidade, habilidade, dribles, deslocações.

Uillian Correia marcou aos 48 minutos. Decretou o desastre palmeirense no Allianz

Uillian Correia marcou aos 48 minutos. Decretou o desastre palmeirense no Allianz

Carla Carniel/Reuters - 22.08.2021

Mas o Palmeiras insistiu em um erro primário. Levantar a bola para a área. Foram 23 cruzamentos para o time que não havia um jogador alto no ataque. De nada adiantaram os 63% de posse de bola. Foram 12 finalizações, desesperadas, sem perigo do time de Abel Ferreira. Para duas do Cuiabá.

No intervalo, Abel Ferreira promoveu uma revolução. Quatro trocas. Tirou Rony, Wesley, Renan e Marcos Rocha. Colocou Deyverson, Gustavo Scarpa, Gabriel Menino e Piquerez.

Jorginho trocou Cabrera por Camilo. 

As escolhas eram claras. O Palmeiras teria um centroavante alto e mais movimentação. E o Cuiabá buscar defender ainda melhor na intermediária.

Para o Palmeiras era tudo ou nada. Deyverson já entrou perdendo gol claro, aos sete minutos. Gabriel Menino cruzou na cabeça do atacante. Livre, ele mandou a bola em cima do ótimo goleiro Walter, ex-Corinthians.

O Palmeiras seguiu atacando, de forma tensa, nervosa, de acordo o tempo ia passando. Aos 16 minutos, Abel Ferreira abriu de vez o time, trocando Zé Rafael por Willian.

O time passou a atuar quatro atacantes. Deyverson e Willian como dois centroavantes.

E quase tomou o segundo gol, em segunda. Em um contragolpe perfeito, Rafael Gava recebeu livre, com a defesa palmeirense desmontada. Mas chutou fraco, facilitando a defesa de Weverton.

O Palmeiras seguiu lutando, buscando ao menos o empate.

Deyverson perdeu pelo menos três chances claras.

Mas veria a dor maior.

Em um contragolpe fulminante, Clayson tocou para Uillian Correa cortou da zaga e bateu forte de esquerda, sem chance para Weverton. 2 a 0.

Aos 48 minutos do segundo tempo, a partida estava decidida.

No final, a derrota do desespero do time muito melhor contra a consciência da equipe humilde.

Três pontos importantíssimos desperdiçados pelo Palmeiras.

Mas conquistados com inteligência pelo Cuiabá.

Que chegou a 13.

Roger é demitido e já é oitavo técnico sem emprego no Brasileirão

Últimas