Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

Cuca garante a Duilio. Desistir do Corinthians seria um 'atestado de culpa' pelo estupro na Suíça. Jura resistir à pressão pela demissão

Os protestos contra a presença de Cuca no comando do Corinthians não param. Nesta segunda-feira haverá mais um. O técnico garantiu a Duilio que ele seguirá no clube. 'Sou inocente', repete a todo instante

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

Cuca garantiu a Duilio. Vai resistir. Pedir demissão seria 'atestado de culpa' pelo estupro
Cuca garantiu a Duilio. Vai resistir. Pedir demissão seria 'atestado de culpa' pelo estupro Cuca garantiu a Duilio. Vai resistir. Pedir demissão seria 'atestado de culpa' pelo estupro

São Paulo, Brasil

Apesar de toda a pressão, Cuca não vai desistir de continuar treinando o Corinthians.

A sua rejeição, por causa da condenação por estupro na Suíça, só aumentou depois da divulgação de um manifesto do time feminino do próprio Corinthianscontra a contratação do treinador.

Manifesto que foi divulgado aos 40 minutos do segundo tempo da partida de ontem, quando o time já perdia por 2 a 1, na estreia do técnico. Depois, a equipe ainda sofreria o terceiro gol.

Publicidade

A derrota atiçou ainda mais os desafetos nas redes sociais e no conselho do próprio clube.

Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

Publicidade

Está programado para hoje outro protesto contra a sua vinda ao Parque São Jorge.

Não bastasse tudo isso, Adilson Monteiro Alves, ex-diretor do Corinthians e "pai" da Democracia Corinthiana, movimento libertário que defendia o fim da ditadura militar e eleições livres para presidente, além de maior participação dos jogadores na vida política do clube, decidiu escrever um post nas redes sociais apoiando as jogadoras.

Publicidade

Tudo ficou pior porque Adilson é pai de Duilio Monteiro Alves, que contratou Cuca.

Foi um duro golpe, que só deixou o ambiente ainda mais pesado no Parque São Jorge.

Após a dura derrota de ontem, por 3 a 1, Duilio Monteiro Alves quis confirmar com o técnico se ele pretende enfrentar a pressão e seguir no comando do futebol do Corinthians, como haviam combinado, até o fim do ano, quando acaba o mandato do presidente.

Cuca deixou claro que sim.

Mesmo que o Corinthians seja eliminado da Copa do Brasil, na quarta-feira (26), pelo Remo.

Por um motivo muito simples.

Para Cuca, pedir para sair seria admitir a culpa na acusação de estupro.

Ele não para de reafirmar que foi condenado de forma injusta, à revelia, pela Justiça suíça. Que jamais teve relações sexuais com Sandra Pfaffi, que, em 1987, tinha 13 anos.

Não se importou com as faixas contra ele no estádio em Goiânia, de corintianos. Além das faixas, houve coro de alguns torcedores contra o treinador.

Compartilhe essa notícia no Telegram

Ao contrário do que aconteceu no São Paulo, Palmeiras e Corinthians, a condenação voltou à tona de forma incontrolável. 

Graças à popularidade do Corinthains e ao atual momento, em que os abusos contra a mulher são inaceitáveis.

Duilio Monteiro Alves garantiu a Cuca que não irá recuar.

Nem mesmo tendo o pai contra sua decisão.

O número de torcedores contrários ao técnico no clube só aumenta.

E os organizadores do protesto de hoje prometem.

As manifestações vão continuar.

Até que ele saia do Corinthians... 

Troca de técnicos e elenco envelhecido: os 7 erros de Duilio no Corinthians

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.