Cosme Rímoli Corinthians se cansou de 'desperdiçar' R$ 1,5 mi por mês com Jô e Luan. Oferece 'de graça' a dupla

Corinthians se cansou de 'desperdiçar' R$ 1,5 mi por mês com Jô e Luan. Oferece 'de graça' a dupla

Luan e Jô se tornaram reservas absolutos no Corinthians. O treinador português Vítor Pereira não vê espaço para os dois. Empresários tentam clubes que aceitem pagar os salários de R$ 700 mil e R$ 800 mil de Jô e Luan

  • Cosme Rímoli | Do R7

Luan, 'rei da América' em 2017, não 'chegou' ao Corinthians. Vítor Pereira não utilizará o meia

Luan, 'rei da América' em 2017, não 'chegou' ao Corinthians. Vítor Pereira não utilizará o meia

Conmebol

São Paulo, Brasil

A avaliação de Vítor Pereira foi o ponto-final.

Para o treinador português, Jô e Luan podem procurar clubes.

Ele não vê sentido em manter os dois jogadores no elenco.

A dupla não se encaixa no futebol intenso que o português deseja para o Corinthians.

Duilio Monteiro Alves e Roberto de Andrade já acionaram empresários para tentar a negociação da dupla.

Jô custa R$ 700 mil mensais.

O Corinthians pagou R$ 3,4 milhões ao Nagoya Grampus como indenização por sua rescisão.

O atacante tem contrato até o fim de 2023.

Assim como Luan.

O meia, que foi o grande jogador do Grêmio na conquista da Libertadores de 2017, custa R$ 800 mil mensais, entre luvas e salários. E também tem contrato até dezembro de 2023. E custou R$ 29 milhões.

Ou seja, os dois reservas custam R$ 1,5 milhão por mês.

E tanto Jô quanto Luan não querem sair do Parque São Jorge.

O Corinthians quer tratar as situações amigavelmente.

Sem confronto.

Jô é muito lento para jogar da maneira intensa que deseja Vítor Pereira

Jô é muito lento para jogar da maneira intensa que deseja Vítor Pereira

Agência Corinthians

Tentando não fazer com que os jogadores treinem separados.

Mas a situação chegou ao limite.

Eles não serão aproveitados.

O Corinthians quer emprestá-los de graça.

Mas sem pagar nenhuma parte dos salários...

Neymar só fica atrás de Messi e CR7 entre os maiores salários do mundo

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas