Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Corinthians no Grupo da Morte. Palmeiras no mais fácil. Começa a disputa pelos R$ 113 milhões do título da Libertadores

O Corinthians tem a incômoda companhia do Boca Juniors. Palmeiras, Flamengo e Atlético Mineiro não têm grandes adversários. O Athletico não pode se queixar, como o Bragantino. Já o Fortaleza e o América vão sofrer

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

Bicampeão Palmeiras deu muita sorte nos grupos. Tem toda chance de fazer melhor campanha
Bicampeão Palmeiras deu muita sorte nos grupos. Tem toda chance de fazer melhor campanha Bicampeão Palmeiras deu muita sorte nos grupos. Tem toda chance de fazer melhor campanha

São Paulo, Brasil

A diretoria do Corinthians disfarça.

Mas há grande preocupação com o grupo E, em que o clube caiu no sorteio da Libertadores.

As três companhias são perigosas.

Publicidade

O tradicional Boca Juniors, o colombiano Deportivo Cali e o boliviano Always Ready, que joga na indecente altitude de 3.600 metros de La Paz.

A tensão é grande porque no planejamento da diretoria, para o clube ter um ano satisfatório financeiramente, a expectativa é que o Corinthians chegue pelo menos à semifinal da Libertadores. 

Publicidade

Um tropeço na primeira fase, a de grupos, seria algo desastroso.

O treinador Vítor Pereira ficou muito preocupado com o rendimento do time nas quartas do Paulista, quando apenas empatou com o Guarani, em plena Itaquera, e só se classificou graças a Cássio, que defendeu a sétima cobrança do time de Campinas.

Publicidade

Leia também

Pereira não torna público, mas se ressente demais de não ter feito a pré-temporada com o elenco corintiano. Quem fez foi o demitido Sylvinho.

O início da competição será no início de abril. Pouquíssimo tempo para o português fazer os ajustes que considera necessários ao time. Como impor mais intensidade, triangulações pelos lados do campo. A definição da "fundamental" contratação de Maycon, do Shakhtar.

Publicidade

A esperança da diretoria corintiana é que, uma vez classificado na fase de grupos, o time embale para os mata-matas. 

A revolta de Tite, na eliminação do Corinthians para o Boca Juniors. Libertadores de 2013
A revolta de Tite, na eliminação do Corinthians para o Boca Juniors. Libertadores de 2013 A revolta de Tite, na eliminação do Corinthians para o Boca Juniors. Libertadores de 2013

Mas ninguém ficou satisfeito com o sorteio dos grupos.

A situação do Palmeiras é bem ao contrário.

O "velho" plano de Abel Ferreira, de lutar, não só pela classificação, mas pela melhor campanha, para garantir as decisões no Allianz Parque, pode se materializar.

No Grupo A, os adversários estão bem abaixo do grande potencial do elenco milionário bicampeão da Libertadores.

Emelec, do Equador, Deportivo Táchira, da Venezuela, e Independiente Petrolero, da Bolívia, são clubes que permitem vislumbrar vitórias dentro e fora do estádio palmeirense.

A ordem de Abel Ferreira também é a mesma. Não menosprezar os rivais, pelo contrário, valorizá-los para que seu grupo não perca o foco.

Ele só espera que o Palmeiras consiga contratar o atacante João Pedro, do Al Wahda, como antecipou o blog. A negociação ainda acontece.

O Flamengo, no grupo H, terá um pouco mais de competitividade. Mas o nível técnico do time de Paulo Sousa é muito maior que o de Universidad Católica, do Chile, Sporting Cristal, do Peru, e Talleres, da Argentina. 

Sousa quer a efetivação da contratação do goleiro Santos, do Athletico. A diretoria flamenguista queria baixar o preço do jogador, 3,5 milhões de euros, cerca de R$ 18,9 milhões, valor de sua multa rescisória. Mas está quase impossível. A saída será mesmo pagar o que o clube paranaense exige.

O argentino Antonio Mohamed não tem do que se queixar. O Atlético Mineiro tem tudo para ficar em primeiro no grupo D. O Independiente del Valle, do Equador, perdeu muita força desde a saída do espanhol Juan Ángel Ramirez. O português Renato Paiva, que dirigia o Benfica B, não conseguiu manter a mesma intensidade. O time é mais convencional, sem tanta vibração física como era com Ramirez.

Hulk é o destaque do fortíssimo Atlético Mineiro. Grupo fácil para o campeão do Brasil
Hulk é o destaque do fortíssimo Atlético Mineiro. Grupo fácil para o campeão do Brasil Hulk é o destaque do fortíssimo Atlético Mineiro. Grupo fácil para o campeão do Brasil

Os outros dois adversários são o colombiano Tolima e o velho rival América Mineiro, que está vivendo momento conturbado. Sem dinheiro, sem grandes planos, elenco limitado, não conseguiu sequer chegar à semifinal do Campeonato Mineiro.

Se o América conseguir chegar às oitavas, será uma grande surpresa.

O Red Bull Bragantino vai enfrentar adversários tradicionais. Com menos capacidade, mas enorme vivência na Libertadores. O Nacional, do Uruguai. O Vélez e o Estudiantes, da Argentina. Se o time de Mauricio Barbieri conseguir controlar os nervos, não ceder à pressão psicológica dos jogos fora de casa, também poderá se impor como primeiro no grupo C.

Já o Athletico, no grupo B, só tem como incômodo o Libertad, do Paraguai. Os dois outros adversários são muito fracos. O Caracas, da Venezuela, e o The Strongest, da Bolívia, não assustam. O incômodo, sempre, será a altitude de La Paz.

No caldeirão que é a Arena da Baixada, o time paranaense tem tudo para se garantir nos mata-matas, com três vitórias. E arrancar ótimos resultados na Venezuela, na Bolívia. E até no Paraguai.

O Fortaleza também terá de impor o fator casa no grupo F. O River Plate é o clube que está muito acima tecnicamente da equipe de Juan Pablo Vojvoda. Tanto que o plano de Marcelo Gallardo será aproveitar os adversários para tentar buscar a melhor campanha na fase de grupos.

O decadente Colo Colo, do Chile, e o Alianza Lima, do Peru, são rivais diante dos quais o clube cearense pode se impor. Para ficar, teoricamente, com a segunda vaga do grupo. E seguir fazendo história e chegar ao mata-mata.

O campeão da Libertadores terá um prêmio fantástico para a realidade da América do Sul.

Serão 23 milhões de dólares, R$ 113 milhões.

A Conmebol decidiu abrir um pouco seus cofres, já que a negociação da transmissão da Libertadores está cada vez mais lucrativa. 

São 3 milhões de dólares a cada equipe na fase de grupos, R$ 14,4 milhões.

Um milhão de dólares às duas equipes, por grupo, que chegarem às oitavas. São mais R$ 4,8 milhões. Àquelas que estiverem nas quartas, mais 1,5 milhão, R$ 7,2 milhões. E os semifinalistas ganharão 2 milhões de dólares, R$ 9,6 milhões. 

O vice-campeão agregará 6 milhões de dólares, R$ 28 milhões.

Só o título vale R$ 16 milhões, R$ 77 milhões.

A Conmebol conseguiu transformar a Libertadores.

Juntou muito mais dinheiro à tradição.

Se tornou fundamental na vida econômica dos grande clubes da América do Sul.

A direção do Corinthians é grande testemunha...

Campeão do Bellator desiste de defesa do cinturão para lutar pela Ucrânia

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.