Cosme Rímoli Corinthians imita São Paulo ao contratar Zanardi. Mano foi embora porque perdeu o respeito dos jogadores ao chamar Yuri de 'burro'

Corinthians imita São Paulo ao contratar Zanardi. Mano foi embora porque perdeu o respeito dos jogadores ao chamar Yuri de 'burro'

Lanterna do Paulista, o Corinthians demite sumariamente Mano Menezes. Ele havia 'perdido' o vestiário ao xingar Yuri Alberto e ironizar Raniele. Melo imita Casares e aposta na modernidade. Zanardi

  • Cosme Rímoli | Do R7

Mano 'perdeu o vestiário'. O respeito. O comando dos jogadores. Ao xingar Yuri Alberto de 'burro'

Mano 'perdeu o vestiário'. O respeito. O comando dos jogadores. Ao xingar Yuri Alberto de 'burro'

Reprodução/TNT

São Paulo, Brasil

Mano Menezes perdeu o vestiário.

O respeito, o comando dos jogadores, com suas ofensas.

Quatro jogos seguidos.

A pouca confiança que tinha do presidente Augusto Melo.

Da Gaviões da Fiel, principal torcida, e que tem enorme influência na vida corintiana.

Por mais que o clube tivesse feito uma profunda reformulação no elenco, o treinador, na pior fase de sua carreira, não conseguiu dar o mínimo padrão tático ao time em 2024.

Tirou a confiança dos atletas, que não sabiam como se movimentar em campo.

Colocou o Corinthians na humilhante zona de rebaixamento do Campeonato Paulista.

E não aceitava questionamentos da diretoria, confiando na sua multa de R$ 20 milhões por uma possível demissão, 'presente' da antiga direção, do ex-presidente Duilio Monteiro Alves.

Depois de garantir ontem que Mano continuaria, Augusto Melo o demitiu, sem constrangimento, no final desta manhã. 

Depois de ser mandado embora do Cruzeiro, Palmeiras, Bahia, Internacional, Mano é dispensado do Corinthians. E embolsará a multa pela demissão, como fez nos outros quatro clubes, nos quais não terminou seu trabalho.

Augusto Melo decidiu seguir o caminho do São Paulo.

E investir em um treinador moderno, capaz de montar equipes competitivas, vibrantes, modernas.

Exatamente como aconteceu com Thiago Carpini, que substituiu Dorival Junior, novo treinador da Seleção Brasileira.

Zanardi faz um trabalho sólido no São Bernardo. Segue os passos de Thiago Carpini
Zanardi faz um trabalho sólido no São Bernardo. Segue os passos de Thiago Carpini Reprodução/Twitter

Sem a possibilidade de contratar Juan Pablo Vojvoda, que segue fiel ao Fortaleza, os olhos de Melo e do diretor de futebol Rubens Gomes se voltaram para o ABC.

Marcio Zanardi foi o escolhido.

O problema é que ele não pode assumir a equipe no Campeonato Paulista, já que comandou o São Bernardo. Faz parte do regulamento.

A saída é Zanardi dar os treinamentos e, nas partidas, um auxiliar ficar no banco de reservas durantes os jogos.

Zanardi tem 45 anos.

Está no São Bernardo desde setembro de 2021.

Venceu a Copa Paulista e levou o clube à Série C.

Em 2022 e 2023 classificou a equipe até as quartas do Paulista.

Ele já trabalhou na base Corinthians, em 2016.

"O Zanardi tem fome de vencer. Ao contrário do Mano, que se mostrava acomodado", resume um conselheiro corintiano, que acompanha de perto a movimentação de troca de técnicos no Parque São Jorge.

Marcio Zanardi fez estágios com Jorge Sampaoli e Fernando Diniz.

Tem ótimo relacionamento com Melo, com quem trabalhou em 2016.

É um treinador que costuma ter o domínio do elenco.

Firme, objetivo.

O Corinthians aposta na modernidade.

Mas com vivência, experiência.

O clima é de otimismo, de alívio no Parque São Jorge.

Algo muito simbólico.

Não há manifestação dos atletas a Mano Menezes.

Muito pelo contrário.

Pelas ofensas a Raniele e a Yuri Alberto, ele conseguiu que os jogadores perdessem a cumplicidade com o treinador.

Isso é fatal para qualquer técnico.

A direção corintiana percebeu que tinha de agir.

Mesmo colocando em risco perder os R$ 20 milhões de multa.

Mano Menezes não ficaria, de jeito algum, até dezembro de 2025.

Cinco jogos foram suficiente para mostrar que o melhor para o Corinthians era mandá-lo embora.

Foi o que Melo fez.

E agora aposta em Marcio Zanardi, que está se desvinculando do São Bernardo.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas