Cosme Rímoli Confissões de Neymar. Medo, sofrimento. Fé. Agradecimento. E promessa de fazer de tudo para o Brasil ganhar a Copa

Confissões de Neymar. Medo, sofrimento. Fé. Agradecimento. E promessa de fazer de tudo para o Brasil ganhar a Copa

Depoimento humano, sensível, revelador de Neymar. Ele mostrou todo o seu medo de ser cortado. E o quanto quer retribuir o carinho daqueles que desejaram sua recuperação. Lutando o quanto puder para o Brasil ser campeão

  • Cosme Rímoli | Do R7

Neymar teve muito medo de ser cortado. De não seguir disputando a Copa. Mostrou seu alívio

Neymar teve muito medo de ser cortado. De não seguir disputando a Copa. Mostrou seu alívio

Reprodução/Instagram

Doha, Catar

Diferente, emocionado, sofrido.

Não havia espaço para brincadeiras, desafios, ironias.

Neymar, depois da partida contra a Coreia do Sul, estava extremamente agradecido. 

A todos que permitiram que o sonho de disputar o Mundial continuasse.

Ele confessou que sentiu muito medo de ser cortado, de não poder jogar aquela que pode ser sua última Copa.

"A noite na qual me machuquei foi muito difícil. Passaram mil coisas na minha cabeça, dúvidas, medo, e tive o suporte de todos os meus companheiros, da minha família, de buscar forças de onde eu já não tinha mais. Ler mensagens boas, com todos mandando boas energias, me confortou bastante.

"Agradeço a todos que, desde o primeiro minuto, me mandaram mensagens, às pessoas que oraram por mim. Obrigado de coração, não tenho como agradecer. Minha forma de agradecimento vai ser dentro de campo, fazendo de tudo para que a seleção brasileira possa ganhar", disse na coletiva, como melhor jogador em campo.

O depoimento para jornalistas do mundo todo foi o complemento do que havia falado para a Globo, assim que a partida acabou.

"Bateu um medo muito grande, vinha de uma temporada muito boa. Sofrer lesão no qual eu sofri é bem ruim, passei a noite e outro dia chorando muito. Rezei, deu tudo certo e valeu a pena e o esforço. Fiquei até 11 da manhã tratando com fisioterapeuta nesse dia e outros dias até 5 ou 6 da manhã. Todo sofrimento é válido para que no final possamos coroar uma coisa tão bonita que vai acontecer."

Neymar cobrou o pênalti com talento. Seu gol foi comemorado com alívio pelo jogador

Neymar cobrou o pênalti com talento. Seu gol foi comemorado com alívio pelo jogador

Lance! Galerias

A pergunta que não poderia faltar era sobre a condição do seu tornozelo direito. Os ligamentos foram rompidos na partida de estreia na Copa, contra a Sérvia.

Tite até confessou que Neymar quis ficar até metade do segundo tempo para ganhar ritmo de jogo.

"Não senti nada, graças a Deus. O desempenho foi muito bom, gostei muito da minha partida de hoje, mas acho que dá para melhorar sempre, é o que sempre busco. Acho que não posso ficar satisfeito pelo jogo de hoje, e sim seguir crescendo juntamente com a equipe. O destaque de hoje foi o nosso elenco, o time completo, não foi apenas um jogador. Estou muito contente, muito feliz pelo desempenho de todos os meus companheiros."

Durante o jogo ficou claro que ele, orientado por Tite, tocou muito mais a bola de primeira, do que costuma fazer. Não a prendeu e evitou assim choques, pancadas, faltas que poderiam prejudicar o seu tornozelo recém-curado.

Neymar estava disposto a desfazer até o que pareceu, e foi entendido, como arrogância por muitas pessoas importantes.

A foto que fez mostrando no seu calção da Seleção seis estrelas, em vez das cinco, que correspondem aos cinco títulos que o Brasil ganhou. A interpretação de muitos veículos de comunicação foi a que ele já considerava antecipadamente a conquista.

"Quando botei a estrela no meu short não foi para desmerecer nenhum rival, e sim para demonstrar o que estava vindo em busca, que é meu sonho, é um objetivo de toda a minha equipe e meu também."

Neymar passou não só pelo teste físico.

Mas pelo psicológico.

Ele entendeu, de vez, como seria frustrante para sua carreira se não disputasse mais a Copa do Catar.

Viu o que perderia.

E sentiu medo.

Por isso, voltou com vontade redobrada de fazer o Brasil campeão.

Maior do que nas duas Copas que disputou e perdeu.

O destino deu mais uma chance.

E ele quer aproveitar.

E colocar mais uma estrela no seu calção da seleção.

Desta vez, de verdade...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas