Cosme Rímoli Comparar acusação de racismo à malandragem pesa. Fortaleza rejeita Mano

Comparar acusação de racismo à malandragem pesa. Fortaleza rejeita Mano

Direção do time nordestino nem aceitou discutir o nome de Mano. O ex-treinador da seleção está marcado pela decadência

  • Cosme Rímoli | Do R7

Mano comparou a acusação de racismo à 'malandragem'.  O que falou está gravado

Mano comparou a acusação de racismo à 'malandragem'. O que falou está gravado

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

"Ele me chamou de negro!"

"Ah, agora virou malandragem?"

"Tem que tomar bico do Daniel Alves mesmo."

"Ele que é mais malandro que tu."

A reação de Mano Menezes à acusação de racismo de Gerson contra o colombiano Ramírez, na partida entre Flamengo e Bahia, dia 20 de dezembro, se tornou um grande empecilho para o ex-treinador da seleção brasileira.

Ainda não por parte da justiça desportiva.

Apesar de a diretoria do Flamengo ter jurado que entraria com ação contra o treinador no Superior Tribunal de Justiça Desportiva, por comparar a denúncia de racismo de Gerson à 'malandragem'.

Mas pela reação dos dirigentes do clubes.

O presidente Marcelo Paz, assustado com a possibilidade de o Fortaleza ser rebaixado, demitiu Marcelo Chamusca, após a derrota diante do Sport, quarta-feira, em um confronto direto para tentar escapar da segunda divisão.

Mano abatido. Fracasso no final do trabalho no Cruzeiro. Encaminhou rebaixamento

Mano abatido. Fracasso no final do trabalho no Cruzeiro. Encaminhou rebaixamento

Reprodução/Twitter

Entre os nomes de treinadores 'fáceis' de serem contratados, desempregados, uma lista foi feita.

E Mano estava nela.

Mas Paz logo tratou de descartar o técnico.

Por conta da comparação de denúncia de racismo à malandragem.

A imprensa cearense entrou em contato com o staff de Mano e foi avisada que ele vai descansar, só voltará ao trabalho quando o Brasileiro acabar.

Só que não há fila de pretendentes.

Muito pelo contrário.

A carreira de Mano entrou em assustadora decadência.

Desde agosto de 2019, três demissões sumárias.

Primeiro do Cruzeiro, que encaminhou para o rebaixamento para a segunda divisão.

Depois, em dezembro do mesmo ano, do Palmeiras.

Não conseguiu resistir a 20 jogos.

No Bahia, chegou a 24 partidas. Foram oito vitórias, dois empates e 14 derrotas, aproveitamento de 36,1%.

Mais do que isso, Mano Menezes se perdeu taticamente. Há tempos não consegue mais montar equipes competitivas, vibrantes, velozes, com personalidade. Ele não tem se adaptado às modernidades táticas vindas da Europa.

Seus times são apenas reativos.

Sem personalidade para propor o jogo, buscar a vitória.

Fora seu comportamento estranho, conversando, discutindo com árbitros, técnicos, jogadores adversários.

Como fez com Gerson.

Ao assumir a seleção brasileira, em 2010, seu projeto com Carlos Leite, que era seu empresário, era audacioso. Disputar a Copa de 2014 e ir trabalhar em um grande clube europeu.

Deu tudo errado. Ambicioso, quis comandar ao mesmo tempo a seleção olímpica. Com a perda da medalha de ouro, em Londres, para o México, foi demitido. Da olímpica e da principal.

Foi para o Flamengo e acabou pagando multa rescisória para sair, alegando falta de adaptação. Os mesmos jogadores, em seguida, venceram a Copa do Brasil de 2013. E na comemoração, celebraram a saída de Mano.

Foi para o Corinthians, não teve sucesso. Sem título algum, não teve seu contrato renovado.

Acabou no Cruzeiro. Estava fazendo ótimo trabalho. Mas virou as costas ao clube aceitando proposta do chinês Shandong Luneng. O contrato era de três anos. Ficou sete meses. Foi demitido.

Em entrevista, Mano não se mostrou preocupado. Porque em sete meses teria recebido o equivalente a "seis anos no futebol brasileiro".

Em três anos de Cruzeiro, ganhou duas vezes a Copa do Brasil, comandando excelente e caríssimo elenco.

Saiu da Toca da Raposa pela porta dos fundos, com o time de 2019 caminhando para o rebaixamento, que se confirmou.

Teve trabalho frustrante no Palmeiras.

No Bahia, chegou com um projeto de 'modernização'.

Assinou contrato de 15 meses.

Ficou de oito de setembro até 20 de dezembro.

Três meses e 12 dias.

Aos 58 anos, ele vive o pior momento na carreira.

Tem o nome vetado no Corinthians, que o acolheu por duas vezes.

Por problemas pessoais com Roberto de Andrade, homem que comanda o futebol do clube.

Daí seu nome ter sido vetado no Fortaleza.

Comparar denúncia de racismo à 'malandragem' foi algo pesado demais.

Com direito ao áudio gravado.

E que ficará para sempre na Internet.

Basta clicar nas palavras 'Mano' e 'malandragem'.

20 jogos apenas no Palmeiras. Demissão depois de o time passar vergonha contra o Flamengo

20 jogos apenas no Palmeiras. Demissão depois de o time passar vergonha contra o Flamengo

Palmeiras

Pesquisa do IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística mostra que 54% da população brasileira é negra.

E, infelizmente, o racismo é muito presente no país.

É preciso muita responsabilidade com qualquer denúncia.

Mano paga o preço pela decadência na carreira.

E por como agiu com Gerson.

Qualquer dúvida, pode ser checada no Fortaleza.

Enderson Moreira é seu novo técnico...

Como estavam os campeões do Brasileirão após 28 rodadas?

Últimas